origem

segunda-feira, março 03, 2008

Tudo na mesma

Empatámos na casa dos lagartos (1-1) e mantivemos a distância de cinco pontos para eles. Confesso que o resultado me soube a pouco, porque acho que, à parte os primeiros 25’, fomos melhor que eles. Se não fosse a infantilidade da expulsão do Nélson, poderíamos ter forçado um pouco mais e estou convencido que teríamos grandes possibilidades de ganhar. Seria uma óptima prenda para a excursão que a maior parte da Tertúlia Benfiquista fez ao WC.

Para não variar entrámos pessimamente na partida. E tanto assim foi que sofremos logo um golo aos 11’ pelo Vukcevic, num lance em que o Edcarlos em vez de cortar de cabeça preferiu elevar o pé acertando em cheio na atmosfera. A pressão dos lagartos era grande e a nossa defesa tremia por tudo quanto era lado. As ausências do Luisão e Petit fizeram-se sentir mais neste período, em que o Edcarlos mostrou mais uma vez as suas GRANDES limitações, o Nélson estava empenhado em ser um sósia do Luís Filipe, o Maxi Pereira pura e simplesmente não existia em campo e o Di Mária era incapaz de segurar uma bola. Como estes três últimos jogavam sobre a direita, era por aí que os lagartos faziam a maior parte dos ataques. A partir dos 25 acalmámos, a bola passou a chegar mais vezes ao maestro e tivemos duas óptimas oportunidades antes do golo do empate, através de remates do Rui Costa e C. Rodríguez (neste, garanto que vi a bola lá dentro!). Aos 40’ marcámos o merecido tento, numa cabeçada do Cardozo depois de um canto, uma jogada que foi a cópia perfeita do golo do Ricardo Rocha no ano passado. Até final da 1ª parte, o Cardozo chegou ligeiramente atrasado a um livre da esquerda e o Di María rematou enrolado em balão à entrada da área, em lances que nos poderiam ter colocado na frente.

Na 2ª parte, os lagartos voltaram a entrar melhor, mas sem criar grandes oportunidades de golos. A partir dos 60’ começámos a controlar definitivamente a partida e aos poucos íamo-nos acercando com perigo das redes deles. O Edcarlos conseguiu não ter a inteligência de dar dois passos para trás para chegar à bola, quando recebeu um cruzamento/remate do Bynia na sequência de um livre, e perdemos aí uma soberana chance de marcar. A 15’ do fim, o Nélson teve uma entrada escusada sobre o Celsinho e viu o vermelho. Está bem que ele não acertou em cheio no adversário, mas é imperdoável que tenha este tipo de entradas, ainda por cima num lance a meio-campo. Em inferioridade numérica só nos restava manter o empate, o que acabámos por conseguir apesar de os lagartos se fartarem de protestar contra cada decisão do Sr. Paraty. Aos 85’ vi o Cardozo encarnar-se (gosto muito desta palavra!) no Geovanni, mas o magnífico pontapé saiu ligeiramente por cima. E mesmo no fim, o Polga alivia para canto um livre/cruzamento do Rui Costa que ia direitinho para a baliza. Foi uma pena.

O melhor do Benfica foi indiscutivelmente o Binya. O homem fartou-se de correr, cortar bolas e entregá-las jogáveis aos companheiros (aliás, a competência do Fernando Santos pode ver-se no que ele queria fazer a este jogador...). Em grande plano estiveram igualmente o Quim (fez duas ou três defesas aos pés dos avançados deles que foram fundamentais), o Cardozo (não só pelo golo que marcou, mas pelo modo como, ainda que um pouco sozinho na frente, conseguiu combinar com os companheiros) e o Rui Costa (a classe não tem idade). Também gostei do C. Rodríguez, a espaços do Katsouranis e do modo como o Sepsi entrou em jogo. Abaixo de cão (aliás este empate é tanto ou mais meritório quanto jogámos com nove durante toda a partida) estiveram o Edcarlos e o Maxi Pereira. Aquele demonstra cada vez mais porque é que era o quarto central do São Paulo e o uruguaio está em péssima forma. O Di María (que substituiu à última hora o Nuno Assis, que se lesionou o aquecimento!) mostrou igualmente que ainda está muito pouco maduro para estes jogos.

Agora é recuperar fisicamente para o importantíssimo jogo de 5ª feira e esperar que estas duas últimas menos más exibições para o campeonato (apesar dos dois empates) signifiquem uma melhoria efectiva da nossa qualidade de jogo.

P.S. 1 – Não é preciso ser a Maya para presumir que a lagartada se vai pôr a chorar durante toda a semana por causa do árbitro. Temos a trilogia perfeita: dizem eles que o canto que dá o empate não existiu, o Cardozo deveria ter sido expulso e há penalty sobre o Vukcevic. Quanto ao primeiro, o Katsouranis está no meio de dois lagartos. É virtualmente impossível ver quem tocou na bola, mas quando se discute lançamentos laterais do Binya espera-se tudo. A resposta do Cardozo aos jornalistas é a melhor para o segundo caso: “o futebol não é para mulheres”. É claro que o Cardozo lhe dá um pequeno toque no queixo com o cotovelo, mas a entrada anterior do Tonel não é inocente e o posterior teatro é injustificável. A não ser que o Cardozo tenha razão... Por fim, há um toque o Léo sobre o Vukcevic, mas o montenegrino aproveitou-se para se deixar cair.

P.S. 2 – Gostei do sorriso do Rui Costa e da resposta “mas o Benfica ainda não” à pergunta que lhe foi feita no final do jogo sobre se o Benfica já tinha decidido que não queria ficar com o Léo, como este tinha dito uns minutos antes. Haja esperança!

6 comentários:

BP disse...

Explica la essas declarações do Rui e do Cardozo?? Eles disseram mesmo isso??

VeRMeLHoVZKy disse...

A falta sobre Vukcevic eu até aceito... o gajo faz fita, mas há o toque.

O problema dos lagartos, é eles se esquecerem que na mesma jogada há 2 faltas! Uma sobre o Léo e outra um empurrão ao Maxi.

Foda-se... empatar em Alvalade, deixar os gajos no 5º Lugar e acabar o jogo com Maxi, Edcarlos, Zoro e Luís Filipe.

Se eles tivessem vergonha hoje nem falavam!

VeRMeLHoVZKy disse...

Quanto ao Léo...

O que eu sei é que o Benfica quer que ele fique. E as coisas já estiveram bem perto do acordo, mas o Léo e especialmente o tal Breno (que não é empresário do gajo mas sim um advogado) insistem nos 3 anos e numa verba muito elevada (bem acima dos 100 mil euros mês).

Se lhe oferecem isso noutro sítio, ele que vá. A vida é dele... agora que o meu benfica vá torrar 4 a 5 milhões com ele... prefiro que não o faça!

S.L.B. disse...

BP: eu vi (e ouvi) ambos a afirmarem isso nas televisões nas entrevistas no final do jogo!

Vermelhovzky: sinceramente custa-me a acreditar que o Léo queira mais de 100.000€/mês durante três anos...

Pulha Garcia disse...

Já conhecem a historia do lagarto e do urso tripeiro?

http://www.youtube.com/watch?v=IWjLslwJgKc&eurl=http://sol.sapo.pt/blogs/akfak//

É uma historia baseada na vida real. O lagarto é um animal viscoso e rasca. O Urso tripeiro tem a boca suja e no final acaba com problemas com a justiça.

Paulo disse...

Tu tinhas o lugar 11, eu tinha o lugar 17 dessa mesma fila :P

Mas não resisti a ficar lá em baixo, na 1ª fila, e ficar mais "perto" da nossa claque :)