origem

domingo, outubro 29, 2006

Inglório

Como eu previa saímos derrotados da casa do clube regional (2-3), só que nunca imaginei que fosse desta forma. É a segunda vez que temos um resultado negativo sofrendo um golo aos 91’. E este foi na sequência de um lançamento da linha lateral! Perfeitamente inacreditável, especialmente depois da bela recuperação que fizemos.

Ao contrário do que tem sido habitual, começámos pessimamente o jogo e aos 20’ já perdíamos por 0-2. Nesta altura cheguei a temer que a minha previsão de 0-3 falharia por defeito. Não conseguíamos ligar uma jogada, a bola não chegava aos jogadores da frente, os espaços no meio-campo eram mais que muitos e deixávamos os jogadores de clube regional rematar à vontade. O primeiro golo surgiu aos 12’, quando um remate do Postiga é desviado inadvertidamente pelo Lisandro e trai o Quim. Ficamos a saber que a sorte não só protege os audazes como também os corruptos. Oito minutos depois foi a vez do Quaresma tirar o Nélson do caminho e fazer o 0-2, mas há uma falta não assinalada sobre o Petit no início desta jogada... Só que o Anderson lesionou-se e teve que sair por volta da meia-hora e a partir daí conseguimos equilibrar as coisas. O clube regional atacava mais, mas nós poderíamos ter chegado ao intervalo empatados se o Helton não tivesse feito duas intervenções do outro mundo a remates do Kikin Fonseca e do Paulo Jorge. Ao intervalo, o resultado seria justo se houvesse só um golo de diferença.

Na segunda parte entrámos um pouco melhor (também pior do que na primeira era impossível) e o jogo ficou equilibrado, com o clube regional a jogar declaradamente em contra-ataque. Aos 53’ o Nuno Assis entrou para o lugar do Paulo Jorge e aí a balança começou a pender para o nosso lado. Já conseguíamos trocar a bola e chegar-nos à baliza adversária. Até que por volta dos 60’, e também já com o Mantorras em campo no lugar do Fonseca, marcámos o nosso primeiro golo através do Katsouranis. Foi na sequência de um canto muito bem marcado pelo Simão com o desvio do grego ao primeiro poste. Cerca de 10’ depois, o Mantorras teve uma excelente oportunidade após uma óptima simulação do Nuno Gomes, mas falhou o remate. Estávamos claramente em cima deles e sentia-se que o empate era possível. E assim aconteceu aos 81’ na melhor jogada da partida. Foi num contra-ataque nosso, com um bom passe do Mantorras a desmarcar o Nélson, que centrou rasteiro para o Nuno Gomes desviar do guarda-redes. Tínhamos feito o impensável e o jogo estava empatado. Mas no único ataque de jeito que o clube regional fez nos últimos dez minutos conseguiu um lançamento lateral. E aí alguém se esqueceu do Bruno Moraes que marcou de cabeça, já dentro da pequena-área, o (injustíssimo) golo da vitória aos 91’. É incrível como a desconcentração faz perder pontos desta maneira!

Em termos individuais há que destacar o Simão que mesmo durante a nossa péssima meia-hora inicial era o único jogador que tentava empurrar a equipa para a frente. Também gostei bastante do Ricardo Rocha que esteve praticamente intransponível. O Quim fez um par de boas defesas e não teve culpa nenhuma nos golos. O Nélson viu-se um pouco aflito na primeira parte, mas depois subiu de rendimento e fez a sua segunda assistência da época para o Nuno Gomes. O Luisão e o Léo estiveram regulares, com o esquerdino a combinar muito bem com o Simão. No meio-campo, o Petit esteve muito mal. Durante toda a primeira parte raramente acertou um passe e nunca foi tampão suficiente aos ataques do clube regional. O Katsouranis também pareceu perdido durante boa parte do jogo, mas marcou um excelente golo de cabeça (tivesse ele feito isto em Glasgow…). O Paulo Jorge foi a surpresa na equipa titular dado que vinha de uma lesão com duas semanas e não esteve ao nível que já vimos. Mesmo assim participou directamente nas duas oportunidades que tivemos na primeira parte com a assistência numa delas e o remate na outra. O Fonseca foi muito esforçado e teve o tal remate que poderia ter entrado. O Nuno Gomes estava a ser um dos jogadores que mais estava a passar despercebido até marcar o golo do empate. Típico dos grandes jogadores e com isto já tem três golitos no campeonato. O Nuno Assis deveria ter sido titular, já que a sua entrada revolucionou a equipa e mesmo o Mantorras entrou bem na partida.

A sorte não quis nada connosco (o primeiro golo deles foi à tabela e o terceiro caiu literalmente do céu), mas considero que nós cometemos um grande erro depois de chegarmos ao empate. Em vez de os pressionarmos um pouco mais para chegar à vitória, já que se percebeu perfeitamente que o clube regional estava em baixo em termos anímicos, começámos a tentar fazer o “controlo” do jogo. Quando ganhávamos a bola não éramos tão rápidos a partir para o ataque, o Nuno Gomes estranhamente começou a posicionar-se no lado esquerdo em vez de estar na área e demonstrámos que o empate nos servia. Mesmo assim não deixámos o clube regional criar perigo nenhum, mas acabámos por sair derrotados quando poderíamos ter ganho. A falta de audácia paga-se caro. Por outro lado, não percebi a constituição inicial da equipa. O Nuno Assis, que tem sido um dos nossos melhores jogadores, foi para o banco, preferindo o Fernando Santos colocar em campo o Paulo Jorge que já não jogava há duas semanas. Viu-se bem a diferença quando o Nuno Assis entrou em campo… Um aspecto preocupante e que tem que ser revisto rapidamente é que aquele meio-campo, quando é submetido a alguma pressão, treme por todos os lados e é inconcebível que estejamos a perder por 0-2 aos 20’.

Estou imensamente frustrado com esta derrota, porque ficou a sensação que a vitória estava ao nosso alcance. Em termos globais não jogámos mal, mas cometemos erros incríveis. Estamos indiscutivelmente a jogar melhor que há uns tempos atrás, mas continuamos com o péssimo hábito de sofrer três golos. Espero que na próxima 4ª feira possamos dar a volta obtendo uma vitória frente ao Celtic, porque, apesar de eu já não acreditar no apuramento, sempre são 600 mil euros que entram para a nossa conta.

P.S. – É a primeira vez que me lembro de sairmos da casa do clube regional sem ter visto cartões amarelos. Quer isto dizer que o Sr. Lucílio Baptista esteve bem? Pelo menos, não esteve mal e eu estava à espera de sermos bastante mais prejudicados. Claro que os dois golos aos 20’ ajudaram o árbitro a não ter que ficar nervoso…

P.S. 2 - Qual foi a ideia de termos jogado com os calções pretos?! Achavam que iamos dar 4-0 como em Leiria?! Não percebo estas fezadas num clube profissional...

11 comentários:

Nuno Magalhães disse...

Mereciam ganhar?
A transmissão da Sport TV deve ter estado codificada para a grande capital e viram tudo aos tracinhos.
Dêem graças (ao Lucílio) por não terem saído do Dragão com uma humilhação histórica.
Sois ridículos nesse fato de glórias passadas, vestidos de histórica mas sempre mancos no presente. Enxerguem-se.

Pedro F. Ferreira disse...

Perdemos este jogo de forma estúpida. Há duas coisas que são inadmissíveis: dar 30 minutos de avanço aos andrades, e permitir um golo, no último minuto, num lançamento lateral. Indesculpável, o primeiro aspecto; ridículo, o segundo.
Um Benfica à Benfica, com ONZE jogadores à Benfica e um treinador com "eles" no sítio, teria ganho este jogo.
Da-se!!

Anónimo disse...

O´nuno magalhães, quantas putas é que pagaram ao Xistra na semana passada? E a puta custou mais ou menos que a renda ridícula que pagam à CMGaia pelo CE? Só ganham porque são corruptos. Exerguem-se.

Lagarto Vermelho. disse...

Sr. Nuno Magalhães! O facto de o Sr. usar o seu nome, merece-me todo o respeito. O facto de o Sr. achar que o Benfica deve alguma coisa ao Sr. Lucilio, da-me vontade de rir, mas é a sua opinião, e tem todo o direito a ela. Mas se me permite, vamos falar de coisas visiveis em imagens televisivas, e como tal, pouco sugeitas a opiniões: É ou não verdade, que o segundo golo do Porto, é consequencia directa do facto de o Sr. Lucilio ter feito vista grossa a uma falta sobre Petit? é ou não verdade que no terçeiro golo,no lançamento laterl, o jogador do Porto, não só levanta o pé, como inclusivamente o adianta e pisa o relvado antes de largar a bola, beneficiando claramente de maior inpulso no lançamento? É ou não verdade, que a ser assim, (as imagens televisivas podem confirmar)o Sr. Lucilio teve clara influêcia no Resultado?. É ou não verdade que no lance da lesão de Anderson, o Katsuranis toca primeiro a bola, e o contacto fisico é ao nivel da coxa do Benfiquista com os pés do Portista? é ou não evidente que Anderson, simplesmente não estava em condições, e que a dependencia que o Porto tem deste atleta, levou a que se comete-se o mesmo erro que o Benfica cometeu, com Rui Costa?.
Veja as imagens. Seguramente,elas não estão viciadas.

Verdi NN disse...

Entao os médidos qualificados do clube regional permitiram que o Anderson reentrasse em campo com uma fractura do perónio? E no final o rapazinho ainda foi capaz de festejar (a correr) no relvado com os colegas. Para mim o lance nem é merecedor de marcação de falta.

GR1904 disse...

Há coisas no jogo que gostei. Gostei de ver os tripeiros a saltarem qd os adeptos do Benfica entraram em grande estilo no estádio. Gostei de ver o estadio todo a cantar o célebre hino do SLB fdp SLB. Gostei da enorme cabeça dos tripeiros e do seu silêncio sepulcral quando o Benfica chegou ao empate.

Mas tb há coisas que não gostei. Não gostei da exibição do Luisão, pareceu-me mt inseguro e perdido. Não gostei de não ter gostado de ver o Mantorras a entrar e dou a mão à palmatória pq ele foi FUNDAMENTAL para chegar ao empate. Não gostei da pura sorte que os tripeiros tiveram no jogo e basta comparar os golos do Benfica com o 1º e 3º golo dos tripeiros para se ter bem a noção do estado de demência do Jesualdo quando diz que o 3º golo é de crença e preserverança. Há um dicionário em qualquer casa portuguesa, excepto na dele.

O sr. Magalhães é mais um a provar que jamais saberão ganhar. Esta lenga-lenga do Andersson é o cúmulo do nível dos dirigentes tripeiros. Que estão tão dependentes desse jogador, toda a gente sabe. Mas agora ficámos a saber que estão desesperados pela dependência que desenvolveram. O corte de bola do Katsouranis é tão limpo que só se compreendem as criticas devido a esse desespero. Tristes. O Benfica sem Rui Costa, Karagounis e Micolli, só não saiu do dragão com o empate pq o céu lhes caíu em cima nos descontos.

Anónimo disse...

nuno magalhães, tire as palas e não seja parvo. é andrade e ainda por cima asno.
Quanto ao gr1904, respeite as pessoas da cidade do Porto. a grande maioria nada tem a ver com os "andrades". Quando se referir aos fcp`s trate-os como fazem os Tripeiros de gema: tratam-nos por "andrades"

GR1904 disse...

Anónimo, futebolisticamente falando qd se designa "tripeiro" todos sabem para o que é. Aqui não andamos com meias medidas. Sei mt bem que "tripeiro" é um habitante do Porto. Mas estamos a falar de futebol, um tema especifico, e os cá de baixo tratam os portistas (clube) dessa forma. Alías, segundo o que diz se chamarmos de "tripeiros" não é insulto por isso a questão do respeito nem é para aqui chamada. Mas futebolisticamente, ao chamarmos de "tripeiros" a ideia é picarmos.

PS: Prezo muito os tripeiros do Benfica.

Bem Litrado disse...

Relativamente ao Ricardo Rocha, sou de opinião que esteve muito mal no terceiro e fatídico golo do Porto, não cabeceando a bola como se exigia. Este é de facto um bom jogador mas falta-lhe algo mais para subir a um nível que o distinga dos outros.

antitripa disse...

Planeada foi a lesão do saguí para denegrir o benfica. O animalzinho foi mal avaliado, jogou e saíu a coxear. Pelo inchaço das bochechas e da peida deve ter sido tratado aos dentes e ao pacote, quando a lesão perece-me que era na perna....graaaaaaaaande departamento méRdico!

Anónimo disse...

ENFARDARAM 3 OUTRA VEZ !!!!!!!
E PELA PRIMEIRA VEZ NO ESTÁDIO DO FCP, O PRESIDENTE DO BENFICA TORCEU PELO ... BENFICA!!!
HE HE HE HE HE HE HE