origem

domingo, outubro 15, 2006

Há quanto tempo…

A primeira vitória fora desta época surgiu na sequência da melhor exibição do Benfica deste ano e uma das melhores das últimas época em jogos realizados fora do Estádio da Luz. Ganhámos 4-0 em Leiria e, ao contrário do que sugeriu o repórter da Sport Tv ao Fernando Santos, dizendo-lhe que o Benfica tinha tido 100% de eficácia (o FS ia caindo para o lado!), poderíamos ter marcado outros tantos golos. Finalmente em Outubro, mais de três meses depois do início da época, mostrámos futebol de qualidade. Resta-nos ver é se isto é para continuar ou foi apenas um oásis no deserto.

Ainda antes do jogo se iniciar tivemos outra má notícia: o Paulo Jorge também se tinha magoado. Como se já não bastasse a lesão do Karagounis na selecção grega, o outro jogador em melhor forma do plantel não iria igualmente jogar. Confesso que estava com as expectativas muito em baixo, porque já não ganhávamos em Leiria há quatro anos e eles, como sucursal do clube regional que são, têm sido das equipas mais beneficiadas neste início do campeonato. Todavia, seguindo o bom exemplo de jogos anteriores, entrámos bem na partida. O Fernando Santos colocou o Petit, Katsouranis e Nuno Assis no meio-campo e o Simão, Nuno Gomes e Miccoli na frente, e este trio trocou várias vezes de posição o que criou uma dinâmica atacante como nunca se tinha visto até agora nesta época. Apesar de não termos um extremo direito definido, havia sempre um jogador do Benfica solto e pronto para receber a bola. As oportunidades começaram a surgir bem cedo e o guarda-redes do Leiria teve quatro (!) defesas muito boas que safaram outros tantos golos. Agora que o Costinha se foi embora para o Belenenses, pensei que teríamos paz, mas afinal os guarda-redes do Leiria fazem gala em defender tudo e mais alguma coisa quando nos defrontam. Confesso que me assustei ao ver a exibição do guarda-redes, porque tantas oportunidades defendidas não é normal e estava com medo que no primeiro ataque do Leiria sofrêssemos um golo, como diria o Gabriel Alves, “contra a corrente” do jogo (já não seria a primeira vez...). Felizmente nada disso aconteceu e aos 30’ um passe do Katsouranis isolou o Miccoli, que estava em linha com a defesa contrária (vá lá que o fiscal-de-linha não marcou fora-de-jogo como tinha feito uns minutos antes em que um jogador nosso se ia isolar e estava mais de meio metro atrás do defesa) e fez um chapéu magnífico. O Leiria tinha dificuldades em reagir, porque o nosso meio-campo fazia uma pressão muito grande, e foi sem surpresa que marcámos o segundo golo já perto do intervalo, numa excelente assistência do Nuno Gomes para um remate de primeira e muito bem colocado do Miccoli. Até ao intervalo, o Nuno Assis comete uma falta idiota à entrada da nossa área (idiotice só comparável à amostragem do amarelo), mas felizmente o livre passou por cima da barra.

Na segunda parte, o Leiria entrou mais pressionante como seria natural, mas nunca criou verdadeiras situações de perigo. Ao contrário do que tem sido habitual, nós tentávamos jogar sempre para a frente perseguindo o terceiro golo. O Miccoli, que já tinha falhado uma boa oportunidade ainda com 0-0, rematando à figura do guarda-redes, voltou a falhar outra boa ocasião, quando, isolado, tentou fazer outro chapéu, mas não conseguiu enganar o guardião contrário. À passagem dos 60’ aconteceu outro excelente golo: o Nélson cruzou rasteiro e atrasado e o Nuno Gomes, de primeira, rematou à meia-volta para dentro da baliza. Estava feito o seu centésimo golo para o campeonato com a Gloriosa camisola (nada mau para um jogador que “não presta”…). Cinco minutos depois, um defensor do Leiria pensou que estava a jogar com a camisola da sua equipa A e cortou a bola com a mão na grande área. Como entre a equipa A e a B ainda há algumas diferenças, e porque o jogo já estava decidido, o árbitro assinalou o respectivo penalty. O Simão aproveitou para rematar colocado para o lado habitual (direita do guarda-redes) e estava feito o 4-0. Até ao final, o Fernando Santos aproveitou para poupar os jogadores que estiveram nas selecções, porque na 3ª feira vamos a Glasgow.

Individualmente, há que destacar o regresso à boa forma do Miccoli, muito bem acompanhado pelo Nuno Gomes e Simão. Com os três a jogarem bem ao mesmo tempo, tornamo-nos uma equipa temível (e ainda falta o maestro…). O meio-campo também esteve muito bem, com o Katsouranis colocado sob a direita e sendo o Petit o único trinco. Parece que o Fernando Santos já aprendeu a lição de que o Katsouranis e o Petit não podem jogar lado a lado, porque aí falta-nos sempre um jogador para o ataque. Mas estou convencido de que quando o Karagounis regressar um deles vai ter que sair. O Nuno Assis também esteve muito mexido embora se note que não é do nível do trio atacante. A defesa esteve segura, embora o Nélson tenha estado infeliz nas acções atacantes (exceptuando o centro do terceiro golo). Todavia, para mim é esta que deve ser a nossa defesa (Nélson, Luisão, Ricardo Rocha e Léo).

Esta retumbante (e inesperada) vitória deixa-nos com água na boca para Glasgow. Verdade seja dita que o Fernando Santos (como ele próprio referiu) já vinha dizendo há algum tempo que a equipa estava a melhorar, mas até este jogo isso não tinha sido visível desta forma tão nítida. O nosso plantel é de facto excelente e era um mistério perceber porque é que não estava a render. Vamos ver se teremos o regresso das grandes noites da Champions na próxima 3ª feira, ou se o que se passou neste jogo foi uma bonança passageira.

P.S. – A arbitragem foi imensamente habilidosa. Ainda com 2-0, houve uma série de (inexistentes) faltas perigosas que foram assinaladas contra nós e os lances divididos eram todos para o Leiria. Já nem falo dos foras-de-jogo fantasmas ainda com 0-0. Mas com 4-0 era impossível à equipa de arbitragem fazer mais. O pior é que nem sempre se consegue um resultado tão dilatado, pelo que este campeonato promete ser bastante difícil…

6 comentários:

D'Arcy disse...

De facto, o repórter da SportTv foi uma coisa indescritível. Para além dessa da eficácia total, gostei também de o ouvir tentar vender a ideia de que o penalti era mais bola na mão do que mão na bola - o Rui Águas é que lá o corrigiu.

Ontem gostei de ver o Katsouranis jogar um bocado mais adiantado e fez-me lembrar o Tiago na forma como ajudou na defesa e rapidamente aparecia integrado nas acções de ataque. O tridente atacante esteve simplesmente imparável. Só espero é que o Miccoli não tenha mais lesões.

Unrelated: já tiveste alguma resposta do Gwaihir? Se queremos marcar um jantar, isto começa a ficar apertado...

S.L.B. disse...

D'Arcy: enviei-te (e ao Pedro Ferreira) um email sobre o jantar.

tma disse...

Boas S.L.B.
Vamos por pontos...
1. Mi-Mi-Miccoli!!! Um verdadeiro artista da bola, que tem de caras lugar no 11 inicial. A ver se as lesões o deixam em paz, sobretudo agora sem Rui Costa (sobretudo este, para não ficarmos desprovidos de 'artistas'), Karagounis e, pelos vistos, Paulo Jorge.
2. Nuno Gomes "centenário": o mínimo que se pode dizer é que não é para todos... E ainda para mais com um golo espectacular, a realçar o alcance de uma marca sempre digna de registo. É verdade que o Nuno Gomes por vezes é um pouco desesperante, mas continuo a ser dos jogadores da actualidade que mais admiro (posso estar a ser faccioso, mas acho o Nuno Gomes é, de longe, melhor que o 'Paletas nos olhos', é pena faltar àquele o 'instinto matador' deste).
3. Como habitualmente (não tenho SportTV) não vi o jogo, mas acompanhei a maioria do relato, cuja ideia transmitida está de acordo com a tua crónica: 3 atacantes bastante móvel com o meio-campo a secundar também bem o ataque nessa postura dinâmica em campo. Nem sempre a mobilidade significa jogar bem (tem acontecido várias vezes este ano a equipa revelar algum dinamismo mas ser inconsequente - o melhor exemplo é à 1ª parte com o Man Utd), mas pelos vistos, ontem estava tudo muito bem articulado, para o que contribuiu decisivamente a capacidade técnica dos 3 avançados. Se tanto tenho criticado o FS, desta vez merece os parabéns pela forma como conseguiu ontem pôr a equipa a jogar, não sendo também de ignorar a utilização do Katsouranis mais adiantado.
Impressão minha, o aquilo não terá sido um losango disfarçado? Miccoli/NG mais adiantados, Simão a circular no apoio, Nuno Assis e Katsouranis como "interiores" esquerdo e direito (resp.) e Petit a trinco?
4. Quando comecei a ouvir tantas defesas do GR do Leira, tb temi o pior... Estava a ficar com a sensação que qq ser vivo que vestisse a camisola de GR do Leiria nos jogos em casa contra o BEnfica estava "condenado" a defender tudo o que havia para defender. Só mesmo aquela "maldade" do Miccoli para quebrar o "feitiço" ;-)
5. QUando é que será que põem comentadores que percebam de futebol a comentar? Um gajo (que não o GR) corta um remate com o braço dentro da área, há-de ser o quê? Ponho-me a pensar nas hipóteses que iriam na cabeça do comentador:
a) bola ao ar (mais adequado aos níveis de conhecimento do comentador que 'bola ao solo')
b) golpe duplo
c) cartão amarelo para o jogador do Benfica, por tentar simular penalty... (a mais provável, apesar de tudo)

PS: estou chocado com o que se passou com o Petr Cech...

Pl@ka disse...

Finalmente um bom jogo do nosso Benfica!! Espero sinceramente que seja para continuar e que Fernando Santos me faça engolir um sapo enorme no fim da época... Os comentários do inergúmeno da SportTv foram de grande qualidade... a meio da primeira parte comecei a ver o jogo a ouvir boa música... experimentem, é bem melhor para a nossa sanidade mental!

Bogalho disse...

Boas!

Epá.....a qualidade do nosso futebol em Leiria foi de tal ordem que houve altura em que pensei que estava a ver uma rubrica televisiva deste blog.......o relembrar!

Hoje vamos lá aos lagartos da Escocia.

antitripa disse...

Eh pá, não concordo. Acho que por muito dificil que seja este campeonato temos pelo menos mais 3 jornadas seguidinhas onde é muito possivel repetir a chapa 4!