origem

quinta-feira, março 02, 2006

Clubes grandes vs. clubes pequenos

Por ser perto de casa, porque o futebol é muito mais emocionante ao vivo do que na televisão e porque havia aí uma proposta de reunião de bloguiquistas durante um jogo, estava a pensar em ir à Reboleira no próximo sábado ver o Glorioso. Dei sorte no ano passado no jogo da Taça e é sempre bom estar presente para ver as camisolas berrantes ao vivo. O bilhete da Taça para a central superior custou 11€ e foi com este valor em mente que telefonei para o Estrela para saber o preço dos ingressos deste ano. A senhora, na sua voz monocórdica, lá me disse: central 40€, lateral 30€, central superior 25€, superior norte 20€! Isto tem um nome: ROUBALHEIRA! Já se sabia que éramos o abono de família todos os clubes, mas isto é demais. Ainda por cima num estádio com aquelas condições, este roubo deveria ser um caso de polícia. Para além do mais, o Ry disse-me que um conhecido dele foi ver o clube regional na Amadora e o bilhete para a central superior custou 10€ (em vez de 25€) e ainda lhe ofereceram outro! Mas nem assim encheram o estádio. É a diferença entre clubes pequenos e clubes grandes. No entanto, neste caso o Estrela que faça bom proveito dos bilhetes que quem não alimenta chulices destas sou eu!

7 comentários:

tma disse...

Isto remete-nos para um post anterior: o nº adequado de clubes da 1º liga de um país como Portugal...
Qualquer coisa tem que mudar, mas mais do que 14 clubes é exagero.
Tanto com 14 como com 12 clubes, como propuseste, abrir-se-ia a possibilidade de um sistema de playoff a 2 mãos (ou algo do género) entre as 8 melhores. Neste caso, uma equipa jogaria, no máximo, 34 ou 26 jogos (consoante fossem 12 ou 14 equipas), e aumentava até a incerteza quando ao vencedor, o que seria certamente um atractivo para o público, inclusivamente de outros clubes que não os 3 grandes.
Lucrava a liga com as receitas, pois teríamos mais jogos decisivos e os clubes verdadeiramente competitivos também lucrariam certamente, mais do que jogando com equipas que lutam para não descer (mesmo que por vezes até joguem um futebol agradável).
As equipas restantes disputariam um playoff para não descer...
Com 10 clubes, teríamos o modelo da Escócia (creio eu), e a competitividade também seria grande, mas provavelmente a luta pelo título estaria restrita aos 3 dos costume.

Em qq dos casos, a 2ª liga seria consituida por equipas com reais capacidades para jogar numa 1ª liga neste modelo, e todas as outras jogariam em competições não profissionais, já que um país pequeno como Portugal não terá capacidade para sustentar muito mais que 20 clubes profissionais, como temos vindo a observar.
É a escolha entre manter uma liga profissional sustentável ou o risco de colapso da mesma...

tma disse...

correcção: com 12 equipas num sistema de playoff, uma equipa jogaria no máximo 30 jogos...

Ry disse...

Acrescento: o bilhete do meu amigo custou 10 euros porque lhe venderam um bilhete a preço de sócio (que ele não é). E ainda lhe disseram para ele dar o outro a alguém ou para o vender, se quisesse.

Surreal.

Luís Fialho disse...

Quanto ao modelo, defendo ou o escocês (10 equipas e quatro voltas), ou 14 equipas a duas voltas, em que a redução do número de jogos poderia beneficiar as equipas portuguesas nas taças europeias e a própria selecção nacional.
A liga de honra é uma aberração, e foi criada só para sedimentar o poder do norte no futebol português. A segunda divisão deve ser a 3 ou mesmo 4 zonas, e de tendência semi-profissional, pois não há dinheiro para mais.
Quanto ao preço exagerado dos bilhetes, teremos que ressalvar que um lugar cativo no estádio da Luz pode ser comprado por 100 euros. Para os jogos fora os preços são de facto proibitivos, mas em casa, para os sócios dos clubes , não me parece que seja esse o principal problema.

Caminhante Solitário disse...

Depois querem encher os estádios de futebol. E o pior é que, com jogos contra o Benfica... conseguem!
Lamentável...

http://caminhante-solitario.blogspot.com/).

antitripa disse...

Eheheh...Só para veres, esta semana no estádio do cabrão, oferecem um pacote de kleenex à entrada e um very light por pessoa à saída. Com autocarros destinados ao Olival de 10 em 10 minutos, onde o Cu de ranso deixa o automóvel.

tma disse...

Ry, isso que contastas é mais que surreal: é suspeito. Terá tido alguma coisa a ver com a lesão do Bruno Vale? ;-)