origem

quinta-feira, março 16, 2006

Jogar com os juniores

Afinal as minhas preocupações do post anterior não tinham razão de ser. As forças do futebol português encarregaram-se de pensar no descanso dos jogadores do Benfica para o jogo das meias-finais na semana que vem e resolveram colocar o V. Guimarães no nosso lugar. Tudo a bem de uma boa carreira na Liga dos Campeões, certamente. A paciência tem limites e a minha acabou hoje. A nossa derrota por 1-0 frente aos vimaranenses foi dos resultados mais injustos que vi no futebol nos últimos tempos e, a verdade tem que se dita, teve o alto patrocínio do Sr. Jorge Sousa, um árbitro do Porto (que coincidência…). É a 3ª vez consecutiva que temos uma arbitragem VERGONHOSA nos nossos jogos, pelo que se eu fosse dirigente do Benfica a partir de agora, e até final da época, colocava os juniores em campo. Anda tudo a viver às nossas custas (por exemplo, os bilhetes para o jogo do clube regional em Setúbal custavam 25€ e quando nós lá fomos eram 45€; na Amadora foi a mesma coisa!) e nem sequer temos o direito a ter arbitragens imparciais. “Levados ao colo”?! Devem ser cegos ou acéfalos!

Considero que o Benfica fez um jogo bastante razoável frente ao V. Guimarães e outro grande culpado de não termos ganho foi o seu guarda-redes, um tal de Nilson que já deu uns quantos frangos esta época, mas percebeu-se agora que se esteve a preparar todo o ano para jogar contra nós. Só nos saem Costinhas destes! Isto tudo não invalida dizer que não tivéssemos igualmente culpas no resultado, porque pela 2ª vez consecutiva não conseguirmos aproveitar a vantagem de jogarmos contra 10 durante boa parte do 2º tempo. A bola parecia que não queria entrar e estamos com uma malapata inacreditável. O V. Guimarães, há que dizê-lo com frontalidade, fez um jogo NOJENTO! Conseguiu superar o Gil Vicente no antijogo que fez, que começou mal conseguiram marcar o golo a meio da 1ª parte, num lance em que o jogador que faz a assistência joga descaradamente a bola com o cotovelo para posteriormente o Dário concretizar. Vê-se pela repetição que o árbitro estava bem colocado, pelo que tal como no Domingo passado não quis marcar nada. Mas não foi tudo, a partir daqui assistimos a um festival de perda de tempo com a complacência da equipa de arbitragem. Só o guarda-redes recebeu assistência na 2ª parte por duas (!) vezes, perfazendo um total de quatro minutos no chão, houve seis substituições e quantos minutos de compensação dá o árbitro? Cinco! O Paíto, depois de levar um amarelo, teve duas faltas nítidas para levar o 2º. Conseguiu acabar o jogo, porque entretanto o Cléber já tinha sido expulso e não convinha abusar. E o Vitor Pontes ainda tem o DESCARAMENTO de dizer que foi prejudicado! Uma VERGONHA!

Quando se conseguiu jogar um pouco, fomos a única equipa em campo. Fartámo-nos de atacar, mas não fomos felizes. A ausência de última hora do Simão foi bastante notada e a condição física da equipa também não pareceu ser a melhor. Gostei do Ricardo Rocha (a lateral-esquerdo) e do Nelson, que jogou bastante melhor que no Domingo passado. Apesar de ter havido mão, não se admite a falta de concentração da nossa defesa no golo deles. Ficou tudo a dormir. No meio-campo, o Karagounis fez um jogo esforçado e teve dois remates muito perigosos. Para mim, é titular de caras nesta equipa, já que transporta a bola como nenhum outro. O Manduca foi irregular e baixou imenso de rendimento na 2ª parte. O Geovanni foi dos melhores, mas saiu a meia-hora do final, provavelmente porque ainda não tem capacidade para fazer 90 minutos de três em três dias. O Nuno Gomes esteve melhor que no Domingo e foi pena que aquela bola no início da 2ª parte não tenha entrado (o guarda-redes ainda deve estar para saber como é que lhe tocou!). O Mantorras entrou razoavelmente, teve duas ou três jogadas em que fez boas aberturas para os flancos, mas não teve hipótese de rematar à baliza. Todavia, mostrou que é útil, ao contrário do Marcel. O Robert, ao invés, entrou pessimamente, sem velocidade que era o que se impunha a jogar contra 10. E nos remates de longe esteve péssimo!

Esta derrota tira-nos a possibilidade de ganharmos mais um troféu este ano para além da Supertaça. A Taça de Portugal era o mais fácil de ser conquistado, mas infelizmente muito azar e outros factores impediram-nos de a ganhar. Arriscamo-nos a ter um final de época bastante frustrante, mas convém não esquecer que os campeões ainda somos nós. E é nestas (más) alturas que se vê quem é que merece ser benfiquista ou não!

12 comentários:

tma disse...

Não gosto de desculpar os maus resultados do Benfica com as arbitragens (embora esta tenha de forma directa prejudicado o Benfica, peca por ser, acima de tudo, fruto da fraca qualidade dos elementos da respectiva equipa), porque já demonstrou que consegue ser superior a esses factores. Hoje a equipa pareceu-me bastante ansiosa fruto do resultado de Domingo, com a Naval. Ainda para mais, o Nilson, qual Costinha, resolveu "engatar" e as bolas iam ter com ele, como aquele desvio do Nuno Gomes à entrada da pequena área.
A partir de certa altura o Benfica começou a "despejar" bolas para dentro da área, já sem qualquer critério. Não só o Simão fez falta, como também o Léo (apesar do bom jogo do RR). É nestas alturas que me pergunto por que raio o Dos Santos foi "recambiado", pois por muito voluntarioso que seja o RR, não sendo ele um LE de raíz o Benfica perde bastante em termos de soluções de ataque.
Para além disso, na primeira parte revelou, mais uma vez, falta de agressividade, e mesmo após o golo sofrido (e até ao intervalo), a equipa parecia incapaz de se "soltar" (só o Geovanni conseguiu romper a monotonia...).

O árbitro que apitou o jogo é, antes de mais, fraquíssimo. Ou então, era um excelente árbitro de basketball, permitindo diversas vezes que a bola fosse jogada com a mão (com claro prejuízo para o Benfica) e assinalando falta ao mínimo contacto (neste aspecto, nem só o Benfica teve razões de queixa, mas em contrapartida, o Saganowski tirou bastante partido disso...).
O 2º amarelo do Cléber (e consequente expulsão), e apesar do "teatro" do Petit (que não foi atingido na cara), parece-me justo, pois o Cléber movimentou o braço por forma a atingir o Petit. Embora este não tenha sido atingido com a violência que justificasse a reação que teve, a verdade é que o Cléber teve uma acção maldosa, que me parece justificativa do amarelo. Em compensação, o Paíto teve logo de seguida uma entrada para vermelho directo e só viu o amarelo.
Mas repito: o Benfica deve queixar-se, antes de mais, de si próprio...

Definitivamente, o Benfica sente grandes dificuldades quando tem de tomar em absoluto as rédeas do jogo.
Perante equipas que assumem as despesas do jogo (por necessidade, como o Liverpool na semana passada, ou por "filosofia", como o ManUtd ou o FCP), o Benfica consegue bastantes melhores resultados do que com equipas que à partida concedem essa tarefa ao Benfica...
Uma vez que cada mais as diferenças competitivas entre as equipas são menores, todos os pormenores fazem a diferença, desde os golos concedidos/falhados, às arbitragens de má qualidade.
Como acontece após qualquer mau resultado, espero que o jogo seguinte marque o início de (mais) uma recuperação (incluindo de confiança e tranquilidades)... Podemos não conseguir revalidar o título de campeões, mas até lá "CAMPEÕES SOMOS NÓS", e como referiste, temos obrigação de lutar até ao fim, até pq está em jogo um lugar na CL...

E VIVA O BENFICA!!!!!!!!!!!!!

BP disse...

Pois é S.L.B., tá tudo dito. Já o referi no blog do D'Arcy, sempre detestei este discurso contra arbitro. parecem os lagartos. mas a verdade é que ontem conseguiu ENOJAR-ME! dasse! mesmo! Ate a minha mulher, uma tripeira, se ria com a arbitragem!

E mais, a mania de culpar o Koeman ja me enjoou! Já me passei com o boloposte do BnrB com essa porcaria... até teve o desplante de dizer k apoiar a ekipa não é bater-lhes palmas e que ja deviamos ter mostrado o lenço branco ha muito... sinceramente, nao ha cu pra isto!
abraços

Anónimo disse...

Ontem, como seria de esperar, o VSC derrotou o Glorioso na Catedral.

E seria de esperar que assim acontecesse pois, como já devem ter reparado os mais atentos, o VSC vai ter que ir à UEFA, dê lá por onde der e, mais óbvio ainda, não vai descer de divisão. E é assim, doa a quem doer.

Assim que o dito VSC ficou abaixo da linha de água no campeonato, logo se ouviu um sinal de alarme vindo directamente da capital minhota e a aí sim, tive a certeza que não desciam de divisão. Nessa semana o VSC foi ao Funchal. Ganhou, óbvio. Dois maritimistas foram expulsos, óbvio. Na semana seguinte o Marítimo ía às Antas, óbvio. A seguir foi o Glorioso a Guimarães e perdeu, óbvio.
E perdeu num jogo, em que à semelhança do de ontem, venceu quem representa tudo aquilo que de mau existe no futebol. Venceu a manha maldosa, a mentira, a "fita", a simulação, o deixar passar o tempo, a matreirice e a rasteirice (Petit incluído que, como toda a gente viu, simulou a agressão do Cleber que, diga-se também, já devia ter sido expulso meia hora antes).

Mais palavras para quê? É o futebol português, onde seria inconcebível que o "grande" VSC descesse de divisão ou não fosse à UEFA.

Há, de facto, clubes "grandes" em Portugal.

Felizmente, o Glorioso não é "grande".
É o MAIOR.

B.

Luís Fialho disse...

Depois da Liga, agora a Taça.
O Benfica vê-se afastado de ambos os troféus nacionais de forma absolutamente vergonhosa.
Não sei o que se passa em concreto, o que pretendem do Benfica e o que está na base desta perseguição sem precedentes no futebol português. Pura e simplesmente não nos deixam ganhar nada, com arbitragens entre o trágico e o grotesco, com erros próprios das divisões distritais, um ou outro a favor, e quase todos contra.
Posso dizer que, à excepção de Benquerença, assisti nas últimas três semanas, às três piores arbitragens que me lembro em jogos do Benfica nos últimos anos. Paulo Costa (um habitueé), Xistra e agora este cretino.
Não adianta lutar, não adianta jogar. Isto é uma fraude !!
Mas não se pense que este imbecil foi o único culpado. Temos no banco um treinador sem alma, sem carisma, que passado quase um ano, ainda não se soube adaptar ao futebol portugês, nem à realidade portuguesa.
Declara um black-out, e no mesmo dia dá uma entrevista em Espanha, ainda por cima a acusar os jogadores (ontem, e muito bem o Luisão rompeu esse black-out, pois uma equipa de futebol deve ser um grupo coeso e não um conjunto de chefes e empregados). Afasta jogadores campeões, sem que ele tenha ganho nada no clube (nem vai chegar a ganhar, como se está a ver).
Toda a garra que a equipa do ano passado carregava dentro de si para cada jogo, para cada lance, toda a união que emanava do relvado para as bancadas e vice-versa, tudo isso é mera recordação, menos de um ano depois.
Este não é o meu Benfica.
Vá-se embora Sr.Koeman, e leve consigo os seus "reforços"
Para 2006-2007 (há que pensar nisso desde já), do "meu" Benfica seriam dispensados (nem que fosse de borla) Moretto, Karagounis, Miccoli, Robert, Marco Ferreira, Karyaka e Marcel
Não contratava ninguém !, isso mesmo , ninguém !
Mantinha os restantes (entre eles os reforços de verão Nelson, Anderson, Leo e Beto, e recuperava os emprestados João Pereira, José Fonte, Manú, Diego, Hélio Roque, João Vilela e Karadas.
Promovia Tiago Gomes, Fernando Alexandre, João Coimbra e Rui Neréu (apenas teve uma falha nos cinco jogos que fez, e foi sumaria e cruelmente afastado do plantel).
Para recuperar o título nacional, seria esta a receita. Como não iremos estar na Champions (apesar de todo o esforço da direcção em investir na equipa), uma equipa humilde e combativa chegava bem, recuperava-se a alma do campeão e poupava-se dinheiro. Porta da rua para estrelas cadentes e burguesas, que ganham de mais e correm de menos.
Porta da rua também para um treinador acéfalo, arrogante, prepotente, sem alma, sem mística, sem capacidade de liderança e com ideias futebolísticas ultrapassadas e incoerentes. O pior técnico do Benfica dos últimos anos.
Para evitar polémicas e divisões, escolheria um técnico consensual e capaz, identificado com a grandeza do clube, com a mentalidade latina e com as vitórias, exigente mas respeitador, disciplinado mas justo: José António Camacho.

BP disse...

oh fialho, desculpa... nao consigo concordar! eu tento, mas nao consigo! eu nao o conheço, mas de certeza k nos tempos do camacho dizia que, coitado do espanhol nao tem jogadores pra mais. agora que ha jogadores, quer mandá-los embora????????? nao. agora que tem um treinador que pela 1ªx em 10 anos, minto, em 20 anos, joga de peito feito na europa... ele não é bestial, mas tb n é besta!
apoiemos o que temos!

Luís Fialho disse...

BP !
Uma equipa de futebol não é um mero conjunto de jogadores com maior ou menor capacidade técnica.
É antes de mais um grupo profissional, que para render tem que estar altamente motivado e coeso.
O Benfica de Camacho e Trapattoni não tinha de facto tantas "estrelas", mas tinha alma, tinha mística e por isso foi campeão (só não o sendo um ano antes devido a um super-Porto).
Koeman, holandês, com uma mentalidade muito pouco próxima do tipo de jogador latino (que necessita de uma maior afectuosidade para se sentir motivado), nunca soube, desde o início da temporada, criar, ou pelo menos manter, a coesão que o grupo patenteava antes dele chegar.
Os episódios são muitos, desde a titularidade concedida a Miccoli e Karagounis, quase sem treinos com a equipa, em Alvalade, deixando Nuno Gomes no banco, até ao caso Quim, sem falar do tratamento dispensado a jogadores como Mantorras, Nuno Assis, Dos Santos, Geovanni (por pouco não foi dispensado) etc.
A responsabilização constante atribuída aos jogadores em declarações à imprensa é também uma característica deste técnico (ex: jogo com a Naval), para além de declarações surrealistas que só servem para motivar os nossos adversários, como aquela de colocar o Sporting fora da luta pelo título.
Por outro lado, jogadores em fim de carreira como Karagounis (de uma irregularidade impressionante), Robert (empenhado em passar umas boas férias em Portugal) etc, podem trazer experiência para um ou outro jogo internacional, mas não garantem um patamar de rendimento digno de uma equipa campeã, desmotivando também os restantes, a maioria dos quais a ganhar muito menores salários.
Por tudo isto, acho que a filosofia do Benfica campeão da época passada devia ser recuperada, e para isso, nada como uma limpeza de balneário (incidindo em jogadores que não fortalecem a equipa, mas antes a engordam).
Talvez me tenha excedido um pouco nas palavras, e no timing das mesmas (estou infelizmente quase certo que no fim da época muitos irão defender o mesmo que eu, pois por este caminho, até já duvido que seguremos o terceiro lugar), mas isso deveu-se à natural frustração de ver o meu clube afastado das duas competições nacionais em poucos dias, num ano em que forma feitos investimentos que justificariam um novo título (sem reforços de inverno e com Camacho ou Trap no banco seriamos campeões quase de certeza).
Oxalá no fim da época ainda me possam vir a fazer engolir tudo o que agora digo. É o que mais desejo. Acredite.
Continuarei a ir à Luz apoiar a equipa, agora e sempre.
Mas a minha opinião é esta.
Viva o Benfica !!!

bem litrado disse...

Aqui não se trata apenas de prejudicar o Benfica. As arbitragens, ao não sancionarem dois lances claros de falta nos últimos dois jogos (penalti sobre o Léo e mão no golo do Guimarães), acabam por ter uma influência preponderante no resultado final destes dois jogos, independentemente da falta de acerto dos jogadores do Benfica que têm obrigação de não desperdiçar tantas oportunidades. Mas o facto mais relevante é que estes erros aparecem numa fase da época decisiva, em que qualquer deslize se torna difícil de recuperar. Será apenas obra do acaso? Sem estes dois erros escandalosos, estaríamos provavelmente (não é um dado adquirido) a 5 do Porto e 3 do Sporting no campeonato e estaríamos nas meias finais da taça. Todos os befiquistas estariam muito mais optimistas quanto ao futuro e os nossos adversários bem mais preocupados. Abrir-nos-ia perspectivas muito diferentes. Assim, estamos com as contas complicadíssimas para o campeonato e fora da taça. O que custa não são apenas os erros, são erros seguidos nesta altura em que as coisas se definem.
Mais uma coisa, não haveria outro árbitro para o último jogo? Jorge Sousa do Porto!!!! Vão gozar com a p... que os p.... Não basta ser honesto, é preciso parecê-lo e isto parece tudo menos honesto e imparcial.
VIVA O BENFICA!!! A esperança nunca acaba. As alegrias que tivemos este ano são inesquecíveis e isso ninguém o pode tirar.

bem litrado disse...

Quanto ao Koeman, por muito que me custe e como venho dizendo, também não gosto dele, concordando com muito do que aqui foi dito pelo Luís Fialho (apenas na parte que diz respeito ao Koeman). Está visto que este treinador não sabe gerir o plantel, valorizando muito mais os nomes do que os desempenhos de cada jogador. Quanto mais opções tiver, pior para ele. Por outro lado, não sabe motivar os jogadores porque não é justo nas opções que toma. Incutir motivação nos jogadores passa por ter um grande sentido de justiça, para que os jogadores sintam que o seu trabalho será reconhecido. Ora o Koeman tem cometido grandes injustiças com alguns jogadores e isso não será certamente ignorado por outros.
A propósito de jogadores, já ninguém se lembra do Ednilson que chegou a fazer uma muito boa época no Benfica?
VIVA O BENFICA.

guitar disse...

OK, vamos por partes! Assisti na 4ª feira a uma das arbitragens mais vergonhosas do últimos anos. E não quero com isto desculpar as responsabilidades da equipa. As arbitragens da Amadora e da Naval foram horríveis, mas esta ultrapassou tudo! E não falo sequer do golo com falta que acabou por decidir o jogo. Falo sim do anti-jogo. Do primeiro ao último minuto. Em todas as reposições de bola, em todas as faltas, em todos os contactos entre os jogadores. Então o redes foi um escândalo. Houve para aí 20 pontapés de baliza e EM TODOS, MAS EM TODOS, sempre que a bola vinha do apanha-bolas, ele puxava as meias, ajeitava as botas, ajeitava a bola, gesticulava, eu sei lá. E não querem mesmo saber que só viu o amarelo a cinco minutos do fim?
Enfim, foi REVOLTANTE. Jorge Sousa para os distritais já! Mas vão ver como vai ser compensado com um jogo importante ou com boas classificações.
Agora, o resto. Deixem-se de coisas porque quem não consegue marcar um golo em 60 minutos (30x2) contra dez não pode ganhar. Quem, jogo após jogo, não assume o mesmo, deixa correr o tempo à espera dos últimos 20 minutos, como aconteceu na Amadora, com a Naval e com o VSC, dificilmente ganha. Se aos 20 minutos de jogo estivessemos a ganhar por 2-0, não acham que o árbitro bem podia roubar que o jogo estava no papo?
Erro de quem? Koeman? Jogadores? Não sei, mas a verdade é que a equipa não assume o jogo. Joga bem ou razoável na expectativa e é pouco menos que incapaz em ataque continuado. A táctica não presta? A condição fisica não é a melhor? Acho que é tudo junto. Ao Koeman parece-me faltar talento e golpe de asa, mas não me venham dizer que os jogadores estão isentos. Alguns arrastam-se, como aqui foi dito do Robert, do Karagounis, do Gomes ou do Fernandes. Outros são o que são como o Beto, o Marco Ferreira ou o Marcel (quem falha um golo como ele falhou contra a Naval nunca mais devia vestir aquela camisola). E sejamos francos, a equipa não tem platel para tanta agitação e tantas provas.
O objectivo de lá de cima é que fiquemos do 4º lugar para baixo. Porquê? Porque não podemos voltar a fazer uma época como esta na Champions, senão começamos a ter dinheiro para comprar jogadores a sério e lá se foi o domínio destes últimos anos. Portanto, preparem-se, que ainda não acabou. Em Vila do Conde e Braga vai ser outra vez um assalto à mão armada. Depois de perdermos com o Braga talvez possam vir um ou 2 jogos para compensar e atirar poeira para os olhos dos incautos.
Pode ser que me engane, mas vamos ver já amanhã

Boa sorte e depois falamos.

S.L.B. disse...

Luís Fialho: concordo contigo na parte da perda da mística, mas não concordo com as dispensas e com as (não) contratações que referes. O nosso problema no ano passado era a falta de um banco à altura, o que temos este ano. Só que infelizmente não temos um treinador justo na avaliação dos jogadores, especialmente na preferência dada às contratações em detrimento dos que já cá estavam. Confesso que estou um pouco divido em relação ao Koeman: por um lado, há esta questão da injustiça que nos pode sair muito cara, mas por outro ele está ligado aos melhores resultados europeus que tivemos em muito tempo e que nos permitiram calar as bocas internas e dar-nos prestígio internacional. Vamos ver o que nos reserva o final da época.

Não esquecer igualmente que estamos praticamente com a mesma pontuação do ano passado, só que os rivais é que estão melhor. E tens dúvidas que com o Trapattoni não teríamos nem de perto nem de longe a performance internacional que tivemos este ano? Ou achas que ele jogaria com quatro jogadores de características atacantes em Anfield?

Luís Fialho disse...

É difícil especular sobre o que seria o Benfica, com Trapattoni e este plantel.
No entanto recordo que Trap foi campeão europeu, da uefa, da intercontinental, e Koeman para já, enquanto técnico, nada provou.
Não sei se teria jogado com 4 avançados em Anfield, mas provavelmente teria pelo menos empatado em Leiria, Guimarães e se calhar com o Sporting, teria ganho 1-0 à Naval, ao Belenenses e ao Rio Ave, e ao Guimarães para a taça, e estaríamos em boa posição para fazer a dobradinha.
Com sorte, na Europa estaríamos onde estamos.
Mas repito, tudo isto é especulativo.
As dispensas seriam de jogadores caros e pouco combativos. No entanto admito que alguns deles, com outro técnico, tivessem outro rendimento.
De qualquer modo, para já o que mais interessa é ganhar ao Braga e ao Barcelona.

Pedro Soares disse...

Sei que este tópico já tens anos, mas só quero deixar aqui bem claro que este jogo foi, de facto, vergonhoso. Eu fui à Catedral e, acreditem, no final do jogo, se não fosse uma amiga minha, muito provavelmente eu iria invadir o relvado e dar porrada no árbitro, independemente das consequências que daí resultassem. FDP este JS!