origem

segunda-feira, março 20, 2006

E se…?

Tudo se perspectivava para mais um jogo a zeros quando no 2º minuto de compensação uma das figuras mais preponderantes da conquista do campeonato passado nos oferece a vitória em Vila do Conde: Mantorras. Quando a bola entrou na baliza, senti um misto de satisfação e revolta. Satisfação porque ganhámos (mais que merecidamente, acrescente-se) um jogo em que tivemos outra vez inúmeras oportunidades de golo, mas em que a bola parecia que não queria entrar. Revolta porque se quem nos deu a vitória hoje não tivesse sido injustiçado como foi, possivelmente não estaríamos na posição que estamos.

Em mais um jogo de sentido único, o Benfica voltou a ser o cúmulo do desperdício. Tivemos pelo menos cinco (!) oportunidades, em que os nossos jogadores estiveram cara-a-cara com o guarda-redes, que não concretizámos (três do Simão, uma do Nuno Gomes e outra do Robert). Criamos bastante jogo atacante, mas estamos muito nervosos e a baliza tem sido muito pequena nos últimos tempos. Ou é o guarda-redes contrário que faz uma exibição do outro mundo (o que nem foi o caso hoje) ou são os nossos avançados que falham, o que é certo é que estamos com um défice de golos que não é normal. O Nuno Gomes está em muito má forma, principalmente no que toca a acertar na baliza. O Miccoli passa mais tempo no estaleiro do que em campo. O Geovanni joga 20 minutos a ponta-de-lança e depois passa para extremo. O Mantorras tem sido ostracizado. O Marcel, sem comentários… Não há muito mais a dizer do jogo de hoje senão que a nossa vitória peca por escassa. O Rio Ave pouco atacou e lances de perigo para nós foram inexistentes, excepto os que foram criados pelo nosso próprio guarda-redes.

Continuo sem perceber algumas das opções do Koeman, nomeadamente a titularidade do Manduca em detrimento do Karagounis. Mais uma vez, quando o grego entrou, o nosso jogo melhorou. Estou farto de dizer que o Karagounis tem que ser titular desta equipa, porque é o único que transporta a bola para a frente em condições (quem é que fez o passe para o Simão no lance do nosso golo?!). A nossa defesa esteve razoável até porque o trabalho foi quase inexistente. Curiosamente, o Léo foi quem esteve pior em relação aos últimos jogos e teve uma falha que poderia ter disso comprometedora logo no início do jogo. O Nélson teve um remate perigoso e está a subir lentamente de forma. O Petit e o Manuel Fernandes praticamente só tiveram que atacar. O Simão foi dos jogadores mais activos, mas teve falhanços imperdoáveis sozinho frente ao guarda-redes. O Geovanni, enquanto esteve a ponta-de-lança, ainda mexeu um bocadinho, mas depois eclipsou-se. O Manduca foi dos piores, principalmente ao nível do remate (duas boas situações, dois passes ao guarda-redes), e demonstrou outra vez que é muito melhor como substituto do que como titular.

Durante o jogo de hoje, lembrei-me deste “e se” em relação à nossa época: e se o Koeman tivesse partido do princípio que os jogadores novos que chegaram tinham que provar que eram melhores do que os que já cá estavam e que ajudaram à conquista do campeonato passado? E se o Koeman não lhes tivesse dado prioridade nas suas escolhas? Estou a pensar fundamentalmente nos seguintes casos:
2) E se o Koeman não tem tirado (injustamente) o Quim da baliza para colocar o Moretto com apenas três treinos? O golo (mal) anulado que sofremos hoje resulta em mais uma falha imperdoável dele, que por sua vez vem na sequência de um lance ridículo em que ele tenta dominar a bola de peito, mas consegue deixá-la fugir para canto. Ainda não houve nenhum jogo que possamos dizer que perdemos por causa do guarda-redes (também não deve demorar muito…), mas esta substituição foi importante pelo que significou em relação ao balneário e à sua quebra de coesão.
3) E se o Koeman não tivesse renegado o Mantorras para a bancada durante dois (!) meses em detrimento do Marcel? Toda a gente se recorda de como o angolano foi importante no ano passado e este ano já lhe devemos quatro pontos. Foras-de-jogo à parte, ficou mais uma vez exemplificada a sua mais valia. A sua movimentação no golo é brilhante e a forma como coloca o pé à bola também.

Foi por pouco que as ínfimas esperanças que temos de revalidar o título não foram por água abaixo, mas por agora temo-nos de concentrar em manter o 3º lugar. Para a semana contra o Braga é imperativo vencer para aumentar a distância e só espero que esta vitória nos dê um pouco mais de confiança em termos de finalização.

P.S. – O golo anulado ao Rio Ave pareceu-me uma má decisão do fiscal-de-linha. É um lance duvidoso, mas dá a sensação que a bola não saiu pela linha-de-fundo. Todavia, comparar este lance difícil de ajuizar com os dois lances CLAROS que nos prejudicaram na semana passada (comparação que alguns irão fazer certamente) é uma prova de desonestidade intelectual. Ou então de acefalia.

8 comentários:

Caminhante Solitário disse...

NÃO deixem jogar o Marcel ( e já agora, o Moretto, o Manduca, o Marco Ferreira e, às vezes, o próprio Robert...)

bem litrado disse...

Ontem, notou-se sobretudo um tremendo medo de errar por parte dos jogadores. Nos últimos 3 jogos, o Benfica terá feito 60 remates à baliza, tendo conseguido apenas um golo. Isto explica o que se tem passado. Enfim...espero que esta vitória sirva para acabar com esta intranquilidade.
Quanto ao resto, estou inteiramente de acordo com o teu post. Apenas um senão, continuo a não ser um grande admirador do Mantorras e mantenho algumas esperanças relativamente ao Marcel, embora admita começar a ter sérias dúvidas.
VIVA O BENFICA

antitripa disse...

Hum....cá para nós...que ninguém nos lê, o nuno gomes (castigado) a defesa do barça de baixa...e o koeman com as orelhas quentes.....só pode dar bom resultado!

Galaad disse...

Queria apenas dizer que desde que o marcel chegou ao benfica (exepção feita ao jogo com o último classificado a Luz) SEMPRE que jogou o Benfica nunca ganhou e SEMPRE que ele jogou, perdemos... são factos e não me venham com histórias de adaptação: ou sabe jogar ou não sabe... não é como o Nuno Gomes que está em baixa de forma, mas sabe jogar... Se ele fosse bom jogador era mesmo para a Académica que ele ia, era...
São factos. Quem quiser tentar desmentir, que investigue, mas desde já digo que não vai ter sorte nenhuma!!!

Galaad disse...

Adenda:

O que quis dizer foi que sempre que ele jogou nunca ganhámos e sempre que não jogou, vencemos!!!

BP disse...

Ena, S.L.B., agora os anti-ENORME falam de jogo perigoso!!!!! Mas como é possivel?? Alguém me explique porque fiquei tão parvo que não consigo raciocinar!! A ouvir ontem a "bancada central" na TSF ia-me dando uma coisinha má... que nojo de programa, que nojo de futebol.

Luís Fialho disse...

Já que estamos na luta com o Braga por um lugar na pré-eliminatória da Champions do próximo ano, fica a nota de que, caso lá estejamos, muito provavelmente seremos cabeças de série.
Se os campeonatos terminassem agora, ficariam apurados directamente : Barcelona, Real Madrid, Milan, Juventus, Chelsea, Manchester United, Bayern de Munique, Hamburgo, Lyon, Bordeus, F.C.Porto, Sporting, PSV Eindhoven, Olympiakos, Celtic de Glasgow e CSKA Moscovo.

Como cabeças de série na terceira pré-eliminatória, em princípio poderiam estar: Inter de Milão, Liverpool, Valencia, Panathinaikos, Schalke 04, Lille, Auxerre, BENFICA, Brugges, AZ Alkmaar, Basel, Sparta de Praga, Werder Bremen, Lokomotiv de Moscovo, Steaua de Bucareste e Anderlecht.
Como possíveis adversários, poderíamos ter, por exemplo: Besiktas, Dinamo de Kiev, Zenit S.Petersburgo, Rosenborg, Levski de Sófia, Shaktior Donetsk, Slavia de Praga, Galatasaray, Estrela Vermelha, Wisla Cracóvia, Slovan Liberec, Fenerbahce, Fiorentina, Osasuna, Tottenham e Hearts, tendo algumas destas equipas de ultrapassar eliminatórias anteriores.

Mas ainda acredito, ainda que de forma ténue, no segundo lugar e no consequente apuramento directo...

antitripa disse...

Mais logo....2 equipas que defendem bolas dentro da baliza....um árbitro que não vê as que entram....o que poderá dar?