origem

segunda-feira, outubro 10, 2005

Portugal – 2 – Liechtenstein – 1

Num jogo deplorável da selecção portuguesa conseguimos a qualificação para o Mundial. Perante uma equipa de terceira categoria, só marcámos o golo da vitória a cinco minutos do fim na 1ª vez que o Nuno Gomes (que demorou 80 minutos a entrar...) tocou na bola e quando já nos dávamos por contentes com o empate (!). Apesar de o nosso grupo ser dos mais fáceis, tivemos o mérito de conseguir a qualificação antes do último jogo (algo que não acontecia há 40 anos), mas a política dos “lugares cativo” na selecção ainda nos vai sair muito cara. Se há posição no terreno onde não deve alinhar um jogador com falta de confiança é a de guarda-redes. É incompreensível que os dois guarda-redes da selecção sejam suplentes no seu clube. Aliás, não sofremos três golos no Sábado porque defrontámos o Liechtenstein, porque se fosse uma selecção minimamente conceituada, aquelas três saídas do Ricardo ter-nos-iam custado outros tantos golos. Não deixa de ser irónico que no Mundial da Coreia/Japão o Baía tenha sido titular, quando era suposto ser o Ricardo (e custando-nos essa decisão a eliminação na 1ª fase), enquanto que agora deveria ser o contrário. O pior é que já se percebeu que o Scolari não irá mudar de ideias e que o Ricardo, aconteça o que acontecer até final da época (a não ser que se lesione), será o guarda-redes durante o Mundial. Depois de ter tido muitas culpas no golo da Grécia na final do Euro e da excelente forma que demonstra agora, perspectiva-se o pior...

P.S. – Só num jogo do clube regional (e a seu favor, naturalmente) é que um lance como aquele em que o jogador do Liechtenstein defendeu a bola com a mão antes de entrar na baliza teria também possibilidades de ser transformado num canto. Acho que em nenhum outro jogo em qualquer estádio do mundo isso aconteceria. Desde a última vez em que o Baía defendeu fora-da-área com as mãos e não foi expulso que não via uma situação destas. O que é que a FIFA vai fazer a um árbitro que não vê um lance destes?

7 comentários:

tma disse...

Se calhar, mesmo com o Ricardo lesionado o Chocolari convoca-o...
Achei piada ao Ricardo dizer que lances como o que deu o primeiro golo por vezes acontecem. A verdade é que no caso do Ricardo, esses lances por vezes NÃO acontecem, e não foi o caso de sábado: das 3 vezes em que o Ricardo teve de intervir em lances que qq GR resolveria sem problemas, ele deu 3 "patos", em que um deles foi golo, no outro se fosse o Luisão que estivesse por perto também seria golo e por fim houve aquele em que foi o avançado do Liechtenstein a fazer as vezes do Ricardo...

francis disse...

Temos o Ricardo a defender frangos e o Pauleta a rematar com Queijo-bola dos Açores :-)
Tal como contra a Grécia, o Ricardo voltará a ser decisivo :-(
Espero estar enganado.
Bom blogue!

MB disse...

Eu se fosse Guarda-Redes do Liechtenstein sentia-me ameaçado pela concorrência. Primeiro é o defesa que faz uma estirada brilhante a remate do Figo, depois é o avançado que evita um golo certo (na baliza de Portugal).

tma disse...

Em qq dos casos - GR do Liechtenstein + defesa e avançado intervenientes nesses lances - qualquer um deles esteve melhor a defender a baliza que o Ricardo.

Anónimo disse...

O que me custa é ver um guarda-redes titular da Selecção Nacional que nem no seu clube o querem...

Quanto ao Baía, acho que já provou abundantemente que não consegue aguentar a pressão em jogos decisivos (vejam-se as palhaçadas do último munidal e do jogo da Taça Intercontinental).

Quim a titular (na Selecção e no Benfica)!!!

B.

tma disse...

O problema do Baía acho que é outro: ele não fica descansado se não for titular. No mundial 2002 ele foi convocado como "recompensa" (sempre pensei que seria o 3 GR) - tal como o Paulo Sousa, que cada vez que lhe tocavam lesionava-se, mas mesmo assim foi convocado - e não sei por que artes "mágicas", foi o titular.
Penso que o que terá motivado o Scolari a afastar o Baía da selecção não foi tanto uma questão técnica (o Baía não é pior que o Ricardo; houve também a rábula do Bruno Vale...), mas uma questão de afastar um elemento que poderia perturbar a união do grupo (diga-se que essa união é o grande mérito do Scolari).

S.L.B. disse...

Neste momento, qualquer guarda-redes do mundo deve ter mais confiança do que o Ricardo. A continuar assim, ele entra na galeria dos "notáveis" que já defenderam a baliza dos lagartos como o Rodolfo Rodriguez ou, melhor ainda, o Bela Katzirz!

B: quanto ao Baía, não concordo contigo. No Mundial 2002 ele vinha da recuperação da lesão grave que teve no joelho e nunca deveria ter sido titular. Na Taça Intercontinental teve uma indisposição, tal como teve o João Paulo do U. Leiria contra o V. Setúbal na jornada passada. Às vezes acontece. Nos outros jogos decisivos (Final da Liga dos Campeões, Taça Uefa ou Supertaças europeias) nunca teve nada de especial.