origem

quinta-feira, agosto 04, 2011

Era para ganhar…

Empatámos (1-1) frente ao Trabzonspor e qualificámo-nos para o play-off de acesso à Liga dos Campeões. O mais importante foi conseguido e o facto de marcarmos primeiro, logo aos 19’, serviu para nos (me) tranquilizar. No entanto, este jogo esteve longe de me satisfazer.

A nossa supremacia foi notória e foi com agrado que vi o Benfica tentar marcar um golo logo desde o início. O que acabámos por conseguir pelo Nolito, que dominou mal a bola e fez um remate enrolado, mas o importante foi conseguido. A eliminatória ficou praticamente resolvida, mas um erro defensivo permitiu o empate aos 32’. Até final da 1ª parte e durante toda a 2ª, os turcos quase não criaram oportunidades ao passo que nós falhámos alguns golos de maneira incrível. Tudo ficou mais fácil a partir dos 60’ com a expulsão de um adversário, mas nem assim conseguimos chegar à vitória.

Questão prévia: se me tivessem proposto este resultado antes do início da partida, assinava logo. Só que depois de ver o que se passou e as vicissitudes do jogo, acabei por ficar chateado no fim. O conceito de “controlar o jogo” é algo que, quem me lê há algum tempo já sabe, me irrita. Idealmente o futebol é para marcar golos, quer estejamos a ganhar por um, quer por cinco (e isto até é um dos grande méritos do Jesus no Benfica, querer sempre mais golos). Ora bem, nas competições europeias há que ter um pouco mais de cuidado e não ir para cima deles à maluca. Portanto, “controla-se mais o jogo”. Mas é suposto “controlá-lo” quando estamos a ganhar! Não quando estamos empatados! Ainda por cima, com a eliminatória praticamente resolvida aos 19’ e a jogar com mais um a partir dos 60’, acho inacreditável que o Benfica não tenha feito tudo para o ganhar. Sim, criámos oportunidades, mas abusámos da lentidão e dos passes laterais, quando tínhamos todas as condições para forçar um pouco mais e conseguir a vitória. Não só nos dava moral para o futuro, como era bom para o nosso ranking na Uefa. Empatar quando não se faz tudo para ganhar é algo que me chateia profundamente.

Individualmente, destaco o Witsel que esteve em todo o lado, a 1ª parte do Nolito (embora seja um pouco trapalhão às vezes) e a segurança que o Artur empresta a toda a equipa. O resto da equipa esteve razoável, mas nota-se que ainda há muita margem de progressão. Se o Saviola fizesse umas horinhas extras de domínio de bola, não lhe faria mal nenhum… Parece que desaprendeu. Nota negativa igualmente para a quantidade de amarelos que levámos, alguns deles bem estúpidos, que nos poderão sair caro no futuro. Espero que o facto de o Cardozo ter sido suplente não tenha tido nada a ver com o grande disparate de que se fala, ou seja uma possível troca dele pelo Hugo Almeida…

No sorteio de 6ª feira, era bom que não nos calhassem nem os italianos da Udinese, nem os russos do Rubin Kazan. Quanto aos restantes (Odense, Zurique e Twente), talvez os holandeses sejam os mais complicados, mas qualquer um destes cinco temos obrigação de passar.

2 comentários:

Rearviewmirror disse...

http://averdadedaliga.blogspot.com/2011/06/o-negocio-moutinho.html

Isto foi tirado da blogosfera em Junho a alertar para o negócio


o porto tinha vendido, pouco depois de comprar moutinho, 37,5% dele, por 4,1m, ou seja sem lucro (a cmvm e a pj isto nao investigam, apesar de ser claro que vai haver fuga ao fisco...) a uma empresa holandesa que pertence a dois conhecidos portistas, obviamente testas de ferro de pinto da costa. a empresa com quem eles fizeram o negócio chama-se mamers b.v. e é holandesa. só tem um accionista que é a "stichting mamers" que tem no seu conselho de administração fernando duarte rodrigues cordeiro (presidente), fernando duarte rodrigues cordeiro filho (filho do presidente), antónio fernando maia moreira de sá e flávio azevedo moreira de sá.

antónio fernando moreira de sá foi eleito para o conselho superior dos corruptos e é amigo de longa data de pinto da costa. o seu filho flávio, é um ex-jogador da bola que chegou a jogar na 1ª divisão (rio ave) em 2004/2005. seu sonho sempre foi chegar ao fcp, e mesmo com muitos favores, a falta de talento falou mais alto e acabou por desisitir do futebol ainda jovem.

fernando duarte rodrigues cordeiro é acionista da extinta sln e foi membro do conselho de superior do bpn. interessante frisar que já após a intervenção do estado no bpn, este senhor conseguiu que lhe fosse paga uma fatura de mais de 200 mil euros. é sócio em vários negócios e amigo do peito de antónio fernando moreira de sá, tendo também relações próximas com rui moreira, pinto da costa e reinaldo teles

portanto este fundo é detido por 2 senhores que colocaram na sua administração 2 filhos. o negócio ficou então em familia e o que se sabe, é que se moutinho for vendido, o fundo lucra muito mais que o fcp."

agora o porto recompra pelos mesmos 4 milhoes... apenas 22,5% do moutinho.

ou seja, a empresa dos capangas de pinto da costa, a custo zero fica com 15% do passe de moutinho, que vao dar um lucro de cerca de 6 milhoes de euros. lucro de seis milhoes investindo zero!!!!!!! onde está a pj? há aqui uma fuga ao fisco de milhões!!!! esses 6 milhoes d euros teriam que dar ao estado mais de 2 milhoes... é uma vergonha, e os media não piam! preeocupam-se e com cem mil euros que foram abatidos ao julio cesar...


Se o porto vende o moutinho por 40m, o sporting recebe 8,75, o portimonense 0,5, o porto... dos quarenta so ve 24,75, porque na mao do pintinho, com crime fiscal pelo meio ficam 6 milhoes.

ah, e a cmvm ja perguntou ao braga como e que o nuno andre coelho, internacional a, foi la parar a custo zero?

a cmvm não vê isto? a cmvm aqui não pede explicações? a cmvm aqui não suspende acções?

Vitto Vendetta disse...

é do cabelo...

http://cabelodoaimar.blogspot.com/