origem

domingo, setembro 30, 2007

Sem ganhar

Empatámos 0-0 com os lagartos na Luz e pelo 4º jogo consecutivo não conseguimos vencer. Com a vitória do clube regional, já estamos a oito pontos do 1º lugar. “Ainda há muito campeonato e tal”, mas a diferença começa a ser significativa. O que vale é que o clube hediondo é treinado pelo Jesualdo e portanto podemos continuar a ter esperança.

Ao contrário do que vinha sendo habitual nas últimas partidas, entrámos bem no jogo. Actuando com velocidade criámos problemas à defesa lagarta, mas isto durou apenas 20’. Com a entrada do Luisão na equipa titular, o Katsouranis subiu para o meio-campo, onde teve a companhia do Maxi Pereira, jogando o Rui Costa a “10”. Nos extremos, o Di Maria e o C. Rodríguez eram dos mais mexidos, mas o que é certo é que as bolas raramente chegavam ao Nuno Gomes e foi o Quim quem acabou por ter mais trabalho (se bem que não muito) durante a 1ª parte. A partida estava viva, mas nós insistíamos SEMPRE no erro de bombear bolas para a frente, onde o Nuno Gomes perdia claramente de cabeça para o Polga ou o Tonel. Foram vezes sem conta que o Quim marcava os pontapés de baliza para o meio-campo contrário, com a bola a ser invariavelmente ganha pelos defesas e por isso a partir dos 20’ deixámos de surgir na área contrária.

Na 2ª parte melhorámos bastante de produção, a que não foi alheio o facto de FINALMENTE termos passado a sair a jogar pelo chão. Aos 56’, um excelente remate do Rui Costa a 30m da baliza criou a nossa melhor oportunidade, com o Nuno Gomes na recarga a rematar incrivelmente ao lado, mas com a bola ainda a ser desviada pelo Stojkovic sem que o árbitro tenha marcado o respectivo canto. Logo no estádio achei estranho que o Nuno Gomes, completamente isolado e com o lado direito da baliza à sua mercê, tivesse conseguido rematar para fora e pela TV dá para ver que a bola foi desviada, caso contrário seria golo. O jogo estava mais partido e os espaços abundavam nos dois meios-campos. O Di Maria também teve uma boa oportunidade ao isolar-se, mas não conseguiu fazer o passe de morte para o Nuno Gomes, porque entretanto a bola foi cortada por um defesa. Logo a seguir, um cruzamento do maestro proporcionou ao Nuno Gomes um excelente cabeceamento, com a bola a sair ao lado. Aos 81’, o Quim também evitou um golo do nº 31 contrário, ao defender com o pé. E até final fomos nós que procurámos mais o golo, mas as forças já não abundavam.

Mais uma vez não compreendi as substituições do Camacho. Ou melhor, até as aceito, só não percebo é porque é que foram feitas tão tarde (Nuno Gomes por Cardozo aos 74’ e Adu em vez do Di Maria aos 82’). Mais: porque é que os suplentes do Benfica só se levantaram do banco para aquecer aos 70’?! É certo que não estávamos a jogar mal, mas era preciso fazer algo mais para tentar ganhar o jogo. A razão pela qual o Cardozo e o Nuno Gomes deixaram de jogar juntos é algo que me ultrapassa (foi assim na Madeira e curiosamente foi o nosso melhor jogo). O maestro tem que ser preservado e não pode jogar 90’ três vezes por semana. E o Adu mostrou que deveria ter entrado mais cedo, já que o gás do Di Maria também se esgotou a meio da 2ª parte. Individualmente, o melhor foi o Katsouranis que finalmente mostrou a sua mais-valia no lugar onde costuma jogar na selecção grega. A defesa esteve em bom nível (com o Luisão as coisas são mais simples), nomeadamente o Nélson que, ao fazer uma excelente partida para quem vinha de uma lesão, demonstrou que a lateral-direita tem que ser dele. O Quim voltou a mostrar que a baliza é sua e ponto final. O Maxi Pereira fez um jogo muito esforçado a meio-campo, correndo durante os 90’e o C. Rodríguez deve ter desfeito de vez as dúvidas a quem ainda as tinha. Tem muita qualidade técnica, poder de choque e capacidade de finta. Não percebo como é que o PSG o deixou ir embora, mas ainda bem. O Rui Costa não sabe jogar mal, mas fisicamente não acho que esteja no seu auge. O Nuno Gomes batalhou muito com os centrais contrários, mas deveria ter concretizado aquela recarga.

Quanto aos lances polémicos, acho que o Pedro Henriques errou para os dois lados. Todavia, NÃO existe intencionalidade na mão do Katsouranis. O braço dele está COLADO ao corpo e não faz movimento nenhum, pelo que não existe penalty. Os lagartos são engraçadíssimos, ao pretenderem que o penalty fosse marcado, porque o fiscal-de-linha o assinalou! Não interessa se foi falta ou não (este argumento é lindo!), o que interessa é que o fiscal-de-linha provocou a interrupção do jogo, assinalou o penalty e o árbitro deveria ter ido atrás! Tal como aconteceu na Amadora, portanto “o critério tinha que ser igual”. Só rir! Mas acho que há de facto um penalty na 1ª parte do Katsouranis sobre o Romagnoli, apesar de este já ir em queda. Não era um escândalo se fosse assinalado. No entanto, no último minuto a falta do Moutinho sobre o Adu é EVIDENTE. É mesmo em cima da linha, é penalty, mas percebo que para o árbitro fosse difícil de ver se era dentro ou fora da área. Agora, falta é de certeza e é incompreensível como é que o Pedro Henriques, a 2m do lance, mandou seguir.

Quarta-feira temos outro jogo importantíssimo frente ao Shakhtar Donetsk. Já agora, era bom que voltássemos às vitórias...


P.S. – O nº 31 dos lagartos é um dos jogadores mais NOJENTOS do campeonato. Passa a vida a fazer jogo sujo e a tentar sacar faltas e cartões aos adversários. Desportivismo é uma palavra que lhe passa completamente ao lado. Além disso, errou na profissão, deveria ter ido para o circo. As cambalhotas que deu depois de um toque do Rui Costa entram directamente para o anedotário nacional. Se não fosse um palhaço, daria um bom malabarista. Lamentável!

3 comentários:

VeRMeLHoVZKy disse...

Não sei se repareste que sempre que sentiam um toque eles se rebolavam no relvado.

Eu acho que não era fita... era mesmo vontade de sentir o que é relva a sério.

MALUCODOFUTEBOL disse...

EMPATAS

O clássico da 6ª Jornada ficou marcado pelo empate e pela polémica em redor da arbitragem, tema que me debruçarei um pouco mais à frente.

Para mim, foi um derby emotivo, mas não muito bem jogado, daí que considere o empate um resultado justo. De realçar, uma vez mais, o medo de Camacho em arriscar e tentar algo mais. Este é um Camacho difernte, definitivamente. Quanto ao Di Maria, rende mais à esquerda (Camacho teima em não ver isso) e ainda não é o craque que a Comunicação Social quer fazer crer (tem potencial, mas precisa de crescer e errar....). Além disso, terá de aprender a rematar à baliza.

Nulo Gomes fez aquilo que é normal, falhar golos. E para os defensores deste pseudo-jogador, errar é humano, mas sistematicamente e até várias vezes por jogo é que é demais. E relembro só jogadas de golo feito:
a) No Benfica – Boavista conseguiu falhar com a baliza aberta a um metro da linha de golo
b) No Benfica - Espanhol conseguiu falhar com a baliza aberta a 15 cm da linha de golo
c) Neste jogo com o Sporting conseguiu falhar com a baliza aberta a um metro da linha de golo
E não me venham dizer que é perseguição, é sistemático, o que só prova a nulidade desta “vedeta” em campo.

ARBITRAGEM

Não quero ferir susceptibilidades mas só vou falar no Sporting e no Benfica:
Leixões – Benfica ( carga de Ezequias a Nuno Assis): -2 pontos
Benfica - Guimarães ( carga sobre Fábio Coentrão): -2 pontos
Benfica – Sporting (Para mim nenhum é penalty, mas..... No resumo das imagens esqueceram-se do “possivel” penalty sobre Christian Rodriguez. Será que foi para dar a ideia de que o Sporting foi prejudicado?)

Porto – Sporting: Livre mal assinalado e – 1 ponto para o Sporting e + 2 para o Porto
Sporting Setúbal: + 1 ponto para o Sporting e – 2 para o Setúbal
Benfica – Sporting ( a haver penaltys, teriam de ser dois para cada lado. Aquele do Katsouranis não é penalty, definitivamente)

Assim sendo, o Sporting tem a pontuação que devia ter e quem tem menos quatro pontos é o Benfica.

P.S: A capa do Record é elucidativa. Dá-se a ideia que o Sporting é o grande prejudicado e o Benfica o grande beneficiado. Branqueia-se o Benfica/Leixões e o Benfica/Guimarães, enquanto o F.C. Porto vai tendo algumas ajudas para estar com 18 pontos. Porque será que nem Soares Fraanco nem Paulo Bento fizeram tanto barulho depois do jogo com o F.C. Porto?

P.S (2): Está montado o circo. Iremos levar com os últimos dois jogos até ao fim da época.

Pelicano disse...

Gostei da exibição. Mais tarde ou mais cedo, havemos de marcar golos. Confio nas habituais quebras das equipas do prof. pardal.
"Benfiquistas desde pequeninos"
http://pelicanobenfica.blogspot.com