origem

quinta-feira, setembro 14, 2006

Medo ridículo

Espero que o Sr. Fernando Santos se mentalize que está a dever 300.000€ ao Benfica, que é quanto deixámos de amealhar por não ganharmos o jogo frente ao FC Copenhaga, o Penafiel da Liga dos Campeões deste ano. Não tenhamos ilusões, o resultado é péssimo! Pior do que não termos ganho, é precisamente nada termos feito para tal. Limitámo-nos a jogar para o 0-0 e fomos um zero durante toda a partida. De outro modo, como se explica que tenhamos rematado três, é verdade, t-r-ê-s (!) vezes à baliza durante o jogo todo?! São dois pontos perdidos, porque acho quase impossível o Manchester United e o Celtic não ganharem lá. Ainda por cima, o goleador do Copenhaga, Allbäck, estava castigado e o melhor jogador, Grønkjær, lesionou-se no final da primeira parte. Tivemos uma oportunidade bestial para ganhar o jogo, já que eles na segunda parte foram praticamente inofensivos, mas nunca demonstrámos vontade para tal e terminámos a partida a trocar a bola entre os defesas sem progressão no campo. Lamentável…

E não me venham com histórias do trauma do Bessa. A equipa tem que saber recuperar das derrotas e mentalizar-se que perder pontos com o Penafiel, o do campeonato ou o da Champions, é sempre um mau resultado. Quando esperava que o Sr. Fernando Santos viesse dizer no final do jogo que o empate não era mau (foi o que ele disse na véspera), eis senão quando ele afirma que nos últimos 10 minutos mandou a equipa para a frente, mas ela retraiu-se. Ainda pior! Quer dizer que a equipa não cumpriu o que o treinador pediu, o que só demonstra que ele não a controla. E isto é muito grave!

Claro que a melhor oportunidade de golo foi nossa, com o remate do Paulo Jorge ao poste já nos 15 minutos finais, mas isto é muito pouco para 90 minutos. O Simão voltou à equipa, fazendo o primeiro jogo após o Mundial, mas naturalmente que ainda não tem o ritmo necessário. No entanto, é imperdoável o falhanço dele, isolado frente ao guarda-redes, apesar de o árbitro ter invalidado (mal) o lance por fora-de-jogo. Fez-me lembrar a cena de Barcelona no ano passado. São dos tais golos que não se podem perder. Apesar disto e de não estar a 100%, a bola fica mais redonda quando vai ter com ele. O destaque maior vai para a defesa (Quim incluído) que controlou sempre os (altos) dinamarqueses, não lhes permitindo ter grandes oportunidades de golo, apesar dos muitos remates que fizeram. No meio-campo esteve o problema, já que as transições para o ataque não existiram. O Katsouranis e o Nuno Assis devem ter feito 99% dos passes para o lado e para trás, ninguém imprimia velocidade ao nosso jogo, de tal maneira que o Nuno Gomes acabou por ser um espectador. O maestro fez muita falta, mas não percebo porque é que não se convoca o Karagounis (já que vai ficar cá até Janeiro), na sua ausência. Não será ele melhor e mais desequilibrador que o Nuno Assis? O Paulo Jorge voltou a mostrar a sua faceta de lutador e foi dele o tal remate ao poste. No resto, mantivemos a mediocridade dos últimos tempos.

No domingo espero que o Rui Costa e o Miccoli já estejam bons, porque já que vamos ter que levar com o Beto (e sem o Nuno Gomes), todos serão poucos para contrabalançar as ausências dos castigados do Bessa. E já agora pedia ao Miccoli para esperar o regresso do Nuno Gomes daqui a dois jogos para se poder lesionar outra vez…

P.S. – O Benfica está muito à frente de todos os outros… É a primeira vez que um duplo amarelado leva dois jogos de castigo! Era assim tão óbvio que o Nuno Gomes precisava de estar parado o maior número de jogos possível já que tem vindo a marcar muitos golos neste início de época?

8 comentários:

tma disse...

No blog do D'Arcy já comparei o SAntola ao Charlie Brown, por isso, e perante o que escreveste (e com o qual concordo), só apetece dizer mais uma coisa: good grief...

Verdi NN disse...

Que falta de ambição que demonstrámos ontem. Lembro-me das palavras do FS quando assumiu o comando técnico do Benfica, referindo que queria implementar uma mentalidade vencedora jogando todos os jogos para conquistar os 3 pontos, mas ontem demonstrou precisamente o contrário.

P.S - Espero que a opção pelo Ricardo Rocha seja para ficar, porque na minha opinião, ele é mais jogador que o Anderson.

Tiago: Deves estar a fazer um grande equívoco rapaz.

Ricardo Moreira disse...

O que mais gostei o dia de hoje foi ouvir o Fernando Santos a dizer que foi um erro jogar pró empate...
Sem comentários!!

Anónimo disse...

Isto com o Santolas não vai a lado nenhum. Quero dizer, até vai a um lado: PARA BAIXO

GR1904 disse...

Há um pequeno pormenor no teu texto que eu quero salientar e que até acho merecedor de um post inteirinho. Para reflectir mesmo.
A situaçao do Karagounis é ridicula e demonstra algum desnorte que tem assolado a direcçao tecnica do Benfica. Ele quis saír e o clube não se opôs. Até aqui concordo, pois nao vale a pena ter jogadores desmotivados e que nao se sintam uteis. No entanto nao se conseguiu transferir para outro clube e ele acabou por ser inscrito (tal e qual o Karyaka) na liga e na champions. Não é convocado nem para uma nem para outra prova e nem sei se treina (e se não treina, então mais grave é a situaçao). No entanto o Benfica precisa dele e na optica do jogador, ele proprio precisa tb do Benfica para se mostrar. Há aqui uma simbiose que podia ser aproveitada enquanto ele esta por cá, ainda por cima com o Rui Costa a jogar um jogo e a ficar de fora outro, que é o que ainda vai acontecer durante a época (a preparaçao fisica em PT nao tem rigorosamente nada a ver com a de IT, dito pelo proprio ha 2 anos numa reportagem da rtp e que mesmo o Miccoli pode confirmar com os resultados que temos visto - cada jogo que faz, fica 1 mes de fora). É uma situaçao incompreensivel e que jeito ele nos daria. Isto para nao falar no facto de estarmos, nos todos, a pagar-lhe o ordenado para ficar de fora. Mas o Santos já teve a palavra e pelos vistos nao vai contar com ele. É mais uma para juntar à caixa do engenheiro.

Ja com o Simao foi a mesma coisa. Esteve de ferias prolongadas por causa do mundial e qd voltou teve quase 3 semanas sem treinar porque andava em negociaçoes com o Valencia. E eu pergunto: o que tem isso a ver com as obrigaçoes profissionais do Simao que, enquanto jogador do SLB, tem de cumprir as fases da epoca? Nada! No entanto, teve paradissimo durante o vai-nao-vai e so dps de ter falhado a ida para Espanha, é que começou a treinar. Resultado: lesionou-se logo no inicio dos treinos e atrasou ainda mais a sua entrada na equipa. Precisavamos dele na austria, nepia. Na Luz, nepia. Para o inicio do campeonato, valeu n termos jogado contra o gil/belem senao era nepia na mesma. Para o bessa, nepia. E na 4ªf, foi quase nepia porque, objectivamente, nao tem ritmo ainda. Ate o proprio jogador teria interesse em começar a treinar enquanto decorriam as negociaçoes para dps, se fosse o caso de se transferir, ja tinha uma base de preparaçao feita e mais facilmente se integrava na futura equipa. Para nao falar no facto de as negociaçoes poderem correr mal, como correu, e quem ficou a arder foi novamente o Benfica pelo atraso da sua preparaçao. É mais uma situaçao incompreensivel e lamentavel de uma direcçao tecnica que desde o inicio começou com equivocos.

bogalho disse...

SLB, e que tal um post da rubrica relembrar para animar as hostes? ;)

S.L.B. disse...

Bogalho: nesta semana é impossível. Vamos lá a ver se arranjo tempo na próxima... :-)

guitar disse...

Acabadinho de chegar de Copenhaga, não há quase mais nada a acrescentar ao que escreveste e aos restantes comentários. Apenas que o Benfica tem uma imagem, uma história, uma tradição na Europa que, mesmo já não sendo o que era, não é compatível com aquilo que vimos na 4ª feira. Saí do estádio envergonhado pelos assobios que ouvi quando a equipa saíu do campo. Asssobios justos, porque o que o nosso clube apresentou em 90 minutos foi a antítese do futebol. Medo, amorfismo, ausência total de dinâmica. Mas percebeu-se facilmente que era tudo ordens do treinador. Estou mesmo a imaginar a palestra antes do jogo. Não podemos perder por 3-0, não saem de lá de trás a não ser pela certa, Leo e Alcides não passam de meio-campo, Petit e Karagounis passem para trás e se necessário (como aconteceu muitas vezes) para o Quim. Este 0-0 é aquilo que queremos daqui...
Depois do jogo fui jantar e um dinamarquês perguntou-me o resultado. Após a resposta disse "better luck next time". O que quer dizer que a ideia "local" era de que o Copenhaga iria perder todos os jogos da Champions.Pudera!
Enfim, uma tristeza. Pelo que vi dos dinamarqueses, o 0-0 parece-me um mau resultado. Mas pode ser que me engane...
De novo uma nulidade no ataque, ausência completa de fio(e sistema) de jogo, talento zero. Não fizemos uma jogada de jeito e mesmo a bola no poste foi um lance individual. Diferente do Bessa só foi a defesa, que jogou melhor, e o adversário, que foi bisonho.
O Simão não devia ter jogado, porque não conseguia sequer ir para a frente. Claro que a bola fica redondinha nos seus pés, ao contrário de outros, mas dele espera-se mais. Não estava em condições. O Léo está sem pernas, os 2 medios defensivos foram mesmo defensivos, ponto final. O Nuno Assis foi uma anedota a construír jogo e o Gomes apesar de sózinho pareceu-me que se mexeu pouco. O Kikin jogou 3-4 minutos e ganhou logo 2 bolas.
Eu bem disse que se calhar me ia arrepender rapidamente de achar que o Santos era uma boa aposta. Agora, tenho grandes dúvidas e não o vejo com capacidade e pulso para dar a volta a isto.
Pelo que vi hoje no Record, o Karagounis afinal estava de castigo e era por isso que não jogava. Será que agora vai jogar? Será que vai mudar alguma coisa?
Por mim enquanto continuarmos na estratégia do medo estamos condenados a marcar um golo quando rei faz anos e ter escassas oportunidades de golo. Que raio, o glorioso não tem a tradição do medo! O que é isto? Agora o Santos já não precisa só de ganhar. Precisa de devolver o orgulho aos benfiquistas. De nos convencer a todos que ainda pode ser qualquer coisa de parecido com um treinador de futebol e não um boneco borrado de medo de falhar. Porque mais do que pouco competente, neste momento é apenas medroso.

Um abraço e espero ganhar (e convencer) no domingo. Não posso estar no jogo, mas vou estar em pulgas para saber se continuamos em desgraça ou começamos a levantar a cabeça.