origem

segunda-feira, agosto 22, 2005

Empate em Coimbra

Não começámos o campeonato da melhor maneira, cedendo um empate a 0 contra a Académica. Na equipa inicial, o Koeman optou pela inclusão do Karyaka, deixando o Manuel Fernandes no banco e desfazendo (e bem) a equipa dos três trincos. Nos primeiros 10 minutos conseguimos criar alguns desequilíbrios e há um lance de cabeça do Luisão na grande-área, em que a bola é desviada pela mão de um defesa da Académica. Se é verdade que não há intenção deliberada de cortar o lance, não acho que os jogadores possam saltar à vontade com os braços no ar. Curiosamente, ou talvez não, ninguém fala disso, mas para mim não era escândalo nenhum se fosse assinalado penalty. Todavia não foi por causa do árbitro que empatámos, mas sim porque produzimos muito pouco durante o jogo todo. Com excepção da grande jogada do Simão que isolou o Karyaka perto do intervalo, com este a permitir a defesa do guarda-redes, todo o perigo que criámos foi através de lances de bola parada, com destaque para a cabeçada do Geovanni em que a bola ainda bate na trave. Bem sei que estamos em início de época, mas o futebol que apresentamos permanece muito pouco estimulante e continuamos com grandes dificuldades para criar oportunidades de golo em lances de bola corrida. A necessidade de reforços para o ataque é evidente de jogo para jogo.

Pela positiva há que salientar a segurança do Moreira (há duas bolas que ressaltam à sua frente e ele bloca-as, ao contrário de outros guarda-redes que andam por aí) e de toda a defesa. Desta vez não passámos por calafrios nenhuns como no jogo da Supertaça, embora o João Pereira tenha mostrado as suas limitações, apesar de ter sido mal expulso, já que o jogador da Académica atira-se para o chão mal sente o contacto dele. Quando chegar a altura vai ser difícil escolher entre o Anderson e o Ricardo Rocha, já que não podemos ter um defesa-esquerdo que não ajude o ataque durante toda a época e, portanto, daqueles dois só um vai poder ser titular. Sendo assim, eu escolheria o Ricardo Rocha. Também gostei do Nuno Gomes, que está mais rematador e a movimentar-se melhor, mas precisa urgentemente de alguém para jogar ao lado dele. Menos bem estiveram o Beto, que depois de jogos particulares muito bem conseguidos já é o 2º jogo oficial em que desce de rendimento, o Karyaka que, tirando os primeiros minutos, esteve muito intermitente e o Geovanni, que andou a maior parte do tempo “desaparecido”. Aliás, foi notória a subida de rendimento da equipa quando entraram o Manuel Fernandes (que, no entanto, tem que ser mais lesto a libertar a bola, para o jogo fluir melhor) e o Nuno Assis, pelo que nesta altura acho que o melhor é jogar do meio-campo para a frente com os titulares da época passada. O Simão ainda não está em forma, mas continua a ser um jogador que luta imenso e não desiste de tentar dar a volta às coisas durante o jogo todo.

Partimos já em desvantagem perante os nossos rivais, porque os indomáveis-mas-que-perderam-tudo ganharam com um golo de sorte ao Belenenses (a bola defendida pelo guarda-redes bate no defesa e entra na baliza), embora tenhamos que agradecer ao Ricardo por nos continuar a fazer rir (será que ele vai dizer que foi falta como da outra vez?), e o clube regional venceu só com um golo ao Estrela da Amadora. No entanto, podemos andar durante esta época toda de cabeça bem levantada porque, pelo menos durante um ano, os campeões somos nós!


P.S. - A grande surpresa da jornada foi a derrota em casa do V. Guimarães com a Naval 1º de Maio por 2-0, um óptimo resultado para todos adeptos do bom futebol. Quanto mais depressa o Jaime Pacheco for despedido, menos luta-livre deixaremos de ver nos relvados portugueses.

4 comentários:

BP disse...

BOm dia!
Não acho que seja mal de todo começar a construir uma equipa de trás para a frente. ha que lançar bases para melhorar efectivamente a nossa defesa porque a verdade é que sofremos golos demasiado incriveis para serem verdade no ano passado... e a verdade (ainda k a briosa n seja um adversário temivel) é que há movimentações do meio-campo defensivo e da defesa que não deixa o adversário subir... é muito bom. Quanto ao ataque, não ha muito pro Koeman fazer: se lhe prometeram 2 reforços... não vai estar a fazer conjecturas pra voltar atras quando e se estes vierem. ( o miccoli parece estar quase mas...) Compreendo-o! mais vale não perder agora, tendo contenção e boa defesa e dps então atacar... vamos aguardar.
Abraços

tma disse...

SLB e BP, concordo com a vossa análise, por isso, só tenho a acrescentar que:
- A Académica do Nelo Vingada continua a demonstrar ser uma equipa muito bem organizada, e este início de campeonato vem na continuidade da excelente 2ª metade de época, creio que com 15 consecutivos jogos sem perder.
- Apesar de tudo, não é justificação para o mau resultado do Benfica, até pq a maioria dos adversários vai tentar fazer o mesmo que Académica: entregar a iniciativa ao Benfica mas "cheirar" sempre que possível o ataque, para deixar o adversário "em sentido". Por isso, o Benfica tem de encontrar soluções para ligar o jogo ofensivo (sem sacrificar, é claro, a segurança defensiva).
- Sobre a bola na mão, com diz um tio meu: "ninguém nasce com a mão no ar". Essa treta de avaliar os lances de acordo com a intencionalidade é algo que me irrita nos comentadores. Se no seu movimento, um jogador corta a bola com o braço (pq os tem afastados do corpo ou levantados), é falta, o árbitro não tem que ter capacidades "telepáticas" para avaliar a intencionalidade do lance. Acho que as regras até são claras quanto a isso, sobretudo dentro da área.

guitar disse...

slb
Permite-me que comece por dizer: não houve classe, talento, velocidade e...pernas! Esforço, sim!É pouco, e o jogo foi parecido com outros que vi nas últimas 3 semanas. Um pouco melhor apenas que o da Supertaça.
De resto,concordo com a maioria dos teus comentários.Bem a defesa, com o Anderson a convencer. Marca bem, posiciona-se a preceito e especialmente não faz faltas. O Rocha faz o que pode mas não sobe porque não é lateral. O Pereira é o tonto do costume.
Daqui para a frente,foi um deserto de ideias. Beto está já no que eu esperava.Antes é que foi surpresa. Vamos ver. O russo esvaziou! Já deve ter várias russas em carteira no Elefante e análogos. Logo que dá uma corrida até sopra. Petit e Manuel Fernandes muito em baixo (verdade que a equipa melhorou com a sua entrada e do Assis) e o Simão não ganha um lance de para um, quando antes ganhava todos.
O Gomes foi de novo dos melhores, mas quando vai às alas abrir o jogo não fica ninguém no lugar dele. o Geovanni entrou em hibernação. Voltas e mais voltas.
Falta profundidade ao nosso jogo de ataque, os extremos não entram e os laterais não sobem. Por isso o modelo não funciona. Precisamos de um 10 e de um ponta de lança como do pão para a boca, mas vamos ver se isso resolve o problema.
Na verdade, só houve uma clara oportunidade de golo (do Karyaka), o resto foram festas na bola e alguma vontade.
Para terminar, viste bem que todos os cartões amarelos, os correctos e os outros, foram sempre porque não tivemos pernas para acompanhar o adversário e depois foi preciso agarrá-los? A Académica foi uma equipa jeitosa, mas o Estrela também e vai haver muitas mais equipas assim. Sem talento e, sobretudo, VELOCIDADE, vai ser difícil ganhar jogos. Venham os craques...Se algum fundo de investimento não voltar a estragar tudo com assinaturas, jogos subterrâneos e outras coisas que não consigo imaginar. Até sábado.

S.L.B. disse...

Guitar: a falta de pernas é uma boa justificação para os amarelos que vimos, embora alguns deles tenham sido um pouco forçados. Quanto aos reforços, esta "novela" Miccoli está a assemelhar-se perigosamente com a do Tomasson, mas não há dúvidas que seria uma mais valia para a equipa. Espero bem que venha. Vamos ver como corre o jogo contra o Gil Vicente, mas não me passa pela cabeça não o ganhar, claro!