origem

terça-feira, agosto 16, 2005

A 4ª Supertaça

As minhas férias acabaram com o que eu tinha previsto: uma Supertaça no bolso (finalmente, já lá iam 16 anos!) e sem as contratações prometidas. Comecemos pelo menos agradável: em relação às aquisições, estou a ver o caso muito mal parado. É notório que precisamos de dois jogadores (pelo menos) para o meio-campo ofensivo e o ataque, mas não há meio de eles virem. O “caso Kalou” foi o que foi, mas não sei se o desenlace não acabou por ser benéfico para nós. Sinceramente não conheço o jogador, mas tem apenas 20 anos e só na última época é que se destacou no futebol holandês. É mais uma esperança do que alguém com créditos firmados, pelo que não sei se seria uma mais-valia imediata. Só que falta menos de uma semana para o início da Superliga, nós só temos dois pontas-de-lança e ainda nos demos ao luxo de dispensar o Karadas! Enfim, esperemos por um milagre durante os próximos dias.

Quanto à Supertaça, lá estive no Estádio do Algarve a festejar a primeira conquista da época. Jogámos mal? Esperava-se melhor? O V. Setúbal está mais fraco do que na época passada? É tudo verdade, mas conseguimos o mais importante: ganhámos! No ano passado, demos um festival ao clube regional e acabámos por perder este troféu, pelo que eu prefiro este sistema de jogar mal, mas ganhar. Todavia, espero que o Koeman tenha reparado que não podemos actuar com três trincos. Não conseguimos desenvolver convenientemente o jogo atacante desta maneira, até porque o Beto desiludiu em relação ao que já tinha mostrado e o Manuel Fernandes está fora de forma. Para o bem ou para o mal, o Nuno Assis ou o Karyaka têm que jogar de início. Apesar de não ser um fora-de-série, não percebo esta marginalização a que o Nuno Assis tem sido votado. Se ele não tivesse vindo no ano passado não seríamos campeões e é preferível ter um médio ofensivo em campo do que um defensivo a tentar fazer passar-se por aquilo que não é. Quanto à baliza, fico feliz pelo regresso do Moreira, apesar de ter que melhorar o tempo de saída aos cruzamentos. Estranhei a colocação do Ricardo Rocha a defesa-esquerdo, mas depois de ver o Dos Santos no pouco tempo que esteve em campo, e estando o Léo lesionado, percebeu-se a opção do Koeman. O João Pereira perdeu pontos relativamente ao Alex, já que teve pelo menos duas situações em que deixou que o V. Setúbal criasse perigo, e o Anderson mostrou ser seguro, mas vai ter que ser ele ou o Ricardo Rocha a jogar, já que espero que o Léo confirme ser bom jogador, porque precisamos de laterais que ajudem o ataque. O Geovanni praticamente não se viu, o Simão lutou muito mas não desequilibrou tanto quanto deveria, pelo que apenas tivemos o ressurgimento do Nuno Gomes. Como já disse aqui, o 21 é dos meus jogadores preferidos e é com pena que tenho assistido nas últimas épocas à quebra da sua veia goleadora. No entanto, foi de longe o nosso melhor jogador no Sábado passado, porque para além do bom golo que marcou, na 1ª parte teve uma cabeçada que seria golo se o guarda-redes não tivesse feito uma grande defesa e um remate que passou rente ao poste. Aliás, os remates do Nuno Gomes são em geral muito colocados e perigosos pelo que não percebo porque é que ele não chuta mais vezes à baliza. Deve ser um dos avançados mundiais com melhor relação remates/golos, só que infelizmente passa com muita frequência jogos inteiros sem rematar à baliza. Espero que este golo lhe dê ânimo para a época que aí vem, porque bem precisamos dele ao melhor nível. Se vier um ponta-de-lança que faça a diferença, ou muito me engano ou vamos passar a jogar em 4-4-2, porque a continuar assim o Nuno Gomes é titular absoluto.

Uma taça já cá canta e vamos esperar que cheguemos ao fim da época com mais duas no currículo (é claro que eu sou realista em relação à Liga dos Campeões…). Mas se não vierem reforços que o sejam na realidade (Delibasics, Eversons e Paulo Almeidas não, obrigado) e porque milagres como o do ano passado não acontecem frequentemente, duvido que terminemos a época a festejar.

4 comentários:

BP disse...

Olá! Bem vindo de volta de férias! Espero que tenhas descansado o suficiente, porque cheira-me que este ano vamos voltar a ter que ir pro estádio com o valdispert no bolso do casaco! :P
De facto o problema com o meio campo, nem é bem os jogadores que o constituiram, mas sim a baixa de forma dos dois que deveriam apoiar o ataque (fernandes e beto). Quanto ao resto gostei da defesa, e da pressão alta, mas nem por isso do estoiro que se ouviu nos últimos 10 mins e que permitiu ao vitoria sair do seu meio campo (coisa que ainda não tinha acontecido!!!). Não jogamos bem, mas a verdade é k tb não deixámos jogar... mesmo que seja um facto que o setubal n esteve bem.
Abraços

S.L.B. disse...

Obrigado BP. De facto, descansei bastante o que espero que me ajude durante este ano futebolístico. Para mim, o problema dos últimos 10 min. foi a nossa muito pouca eficácia nas bolas bombeadas para a área. Tanto o Luisão como Anderson deixaram dois jogadores do V. Setúbal cabecear a vontade o que nos ia custando a vitória. Não podemos relaxar só com um golo de vantagem, senão arriscamo-nos a ter dissabores em lances fortuitos como foram esses dois do Setúbal que nasceram de jogadas de bola parada. Não serve de nada "controlar" o jogo durante a maior parte do tempo, não deixar o adversário construir jogadas perigosas, porque num canto ou num livre podemos sempre sofrer um golo. Poderíamos e deveríamos ter tentado "matar" o jogo com o 2º golo.

guitar disse...

Umas férias culminadas com mais um título do glorioso é o que se pode chamar de "férias felizes".
Valeu a vitória. O jogo foi simplesmente horrível. De fugir...
O Setubal se jogar assim não ganha a ninguém! Mas perdeu meia equipa.
Quanto a nós, os mesmos problemas. Pouca profundidade ofensiva, lentidão incrível no meio e bastante solidez na defesa, apesar das duas baldas no final.
Saliento a péssima forma do Simão (o que andou a fazer nas férias?) e do Manuel Fernandes, o subrendimento do Petit e a descida a pique do Beto. Os disparates do Pereira são de bradar aos céus, em alegre convivência com algumas jogadas muito boas (o que é que está dentro daquela cabeça?) e, quanto ao Geovanni, foi dia de "soneca". Já viram que o Moreira já põe a bola em jogo sempre com as mãos ao contrário do ano passado? Não me venham dizer que não era o Trap que mandava.
Para o fim, o Maria Amélia. Como sabes estou sempre a criticá-lo, mas neste jogo foi ele que mais tentou ganhar e acabou por o conseguir. A muitos quilómetros de distância, o melhor em campo e tão só isso.
Está visto que o ponta-de-lança vai ser aquele que ninguém quiser ou mais uma daquelas descobertas que servem para tapar os nossos olhos. Quanto ao 10 nem falo, mas estou de acordo que, neste momento, e em 4-3-3, o Assis ou o Karyaka têm que jogar.
Pode ser que o dinheiro do Miguel (se vier já) possa ajudar a tirar um coelho da cartola. Mas os nomes sonantes já estão quase todos colocados.
A propósito, alguém ouviu falar num tal Jô? 18 anos, 8 golos no ano passado e um este ano, fisicamente frágil. Haverá milagres??
E Coimbra é já a seguir. Rezemos para que volte S.Simão depressa e o Geovanni acorde, sem que o anestésico seja posto no copo do Maria Amélia.
Volto após a jornada.

S.L.B. disse...

Também reparei que o Moreira está bastante mais rápido do que antigamente a repor a bola em jogo para iniciarmos o contra-ataque. Deve ter aprendido com o Quim, já que este tipo de lances era uma das poucas coisas em que ele era melhor que o Moreira.

Quanto ao Jô, 100 jogos e 17 golos parece-me bastante sofrível. Só tem 18 anos, é verdade, mas não acho que seja uma solução que nos resolva o problema imediatamente. De qualquer maneira, vamos ver se não é mais uma especulação de jornais.