origem

domingo, janeiro 27, 2013

Malapata quebrada

Vencemos em Braga (2-1) e mantemo-nos na liderança do campeonato. Este era um jogo em que os nossos adversários depositavam várias esperanças, mas não demos hipóteses nenhumas e conseguimos um triunfo muitíssimo importante num terreno onde não ganhávamos há quatro anos.

Entrámos muito bem na partida, com dinâmica e a criar vários problemas aos defesas contrários e pusemo-nos em vantagem logo aos 5’ através de uma boa jogada colectiva (Gaitán, Lima e Salvio) bem concretizada pelo Salvio numa recarga a um seu próprio remate. O Braga respondeu bem e num canto proporcionou ao Artur uma excelente defesa, naquela que foi a verdadeira oportunidade deles. A 1ª parte foi disputada a grande velocidade e aos 35’ aumentámos a vantagem num contra-ataque letal conduzido pelo Gaitán e concretizado pelo Lima, com um remate em que o Beto foi mal batido. Até ao intervalo, o mesmo Lima demorou muito tempo a rematar quando estava em boa posição, permitindo um corte de um defesa.

A 2ª parte foi bastante diferente, na medida em que deixámos praticamente de atacar. Adoptámos o “controlar o jogo”, algo que me tira do sério, porque é um futebol sem balizas que nós nunca fizemos com êxito na nossa história. Então, “controlar o jogo” com dois golos, arriscando-se a sofrer um e depois ficar com coração nas mãos é ainda pior. Algo contra-natura, felizmente, durante o consulado do Jesus, mas que resolvemos pôr em prática hoje. E, claro, sofremos o golito da ordem aos 77’, mas conseguimos congelar a partida desde aí e não colocar a nossa baliza em perigo. Em termos atacantes, um chapéu muito curto do Lima e uma boa jogada do Salvio com remate rasteiro para defesa do Beto foram as únicas coisas que conseguimos fazer.

Em termos individuais, o Gaitán a jogar a 10 num esquema só com um ponta-de-lança por lesão do Cardozo terá sido provavelmente o nosso melhor jogador, especialmente pelo que fez na 1ª parte. O Matic esteve no seu habitual nível alto e o Salvio também. A defesa esteve praticamente intransponível, com destaque para alguns cortes providenciais do Jardel. O Lima voltou a marcar outra vez (já tem nove golos) para além de ter feito um jogo muito esforçado na tentativa de segurar a bola, já que era o único avançado. E ainda deu para assistir ao regresso do Urreta, um jogador de quem eu sempre gostei.

Vitória essencial para não deixarmos o CRAC fugir no comando, mas agora temos que mudar o chip e olhar para 4ª feira, para o jogo da Taça de Portugal, em Paços de Ferreira. Se pudéssemos acabar já com a eliminatória, até porque o jogo da 2ª mão é no meio de um calendário muito apertado, seria fantástico.

2 comentários:

Rearviewmirror disse...

Época 2012/13

Penaltys a favor - Benfica 7; Porto 4
Penaltys contra - Benfica 2; Porto 0
Vermelhos "a favor" - Benfica 6; Porto 4
Jogadores expulsos - Benfica 2; Porto 0
Cartões Amarelos recebidos - Benfica 31; Porto 24
Cartões Amarelos dos Adversários nos jogos - Benfica 30 Porto 44

Em 16 jornadas o FCP não teve nenhum jogador expulso (apesar de entradas, como aquelas que Fernando e Moutinho tiveram no Estádio da Luz).
Em 16 jornadas não teve nenhum penalty contra (apesar do espectáculo que o Alex "goalKeeper" Sandro tem dado nos relvados portugueses).

Nos seus jogos, o FCP tem 20 (vinte) cartões amarelos a mais mostrados aos seus adversários.

O Benfica, que também é 1º classificado, e tem o melhor ataque da prova consegue ter uma diferença negativa (30-31) nos seus jogos em relação a cartões dessa cor. Como se explica esta diferença de critérios, quando o Benfica passa a maior parte dos jogos a atacar???

Agora, uma estatística interessante em relação a expulsões nas ultimas épocas, retirado do site oficial da Liga de Clubes:

2005/06 - SLB 4 ; Porto 4; Campeão Porto
2006/07 - SLB 6 ; Porto 1; Campeão Porto
2007/08 - SLB 3 ; Porto 1; Campeão Porto
2008/09 - SLB 6 ; Porto 1; Campeão Porto
2009/10 - SLB 3 ; Porto 3; Campeão Benfica
2010/11 - SLB 9 ; Porto 3, Campeão Porto
2011/12 - SLB 5 ; Porto 3; Campeão Porto
2012/13 - SLB 2 ; Porto 0;

Ultimas 8 épocas: Benfica 38 expulsões; Porto 16
Cartões Amarelos: 537 - 489


São "só" 22 expulsões e 48 amarelos de diferença. É algo que não há comparação em termos de critérios em qualquer campeonato pela nossa Europa fora, entre equipas de igual valia.

Mais que os penaltys e foras-de-jogo, é no capitulo disciplinar que se vê a forma como se condicionam jogos e campeonatos. É aí que os árbitros cavam a diferença entre clubes.
E é aí, que o FCP é sistematicamente favorecido, ano após ano.
E este, já vai pelo mesmo caminho.

S.L.B. disse...

Muito obrigado por esse serviço público, Rearviewmirror!