origem

segunda-feira, janeiro 07, 2013

Convincente

Ganhámos na Amoreira por 3-1 e mantivemos a distância para o CRAC a uma semana de os defrontar na Luz. O Estoril tem feito um campeonato regular, mostrou ser uma boa equipa (especialmente na 1ª parte) e era importantíssimo ganhar os três pontos nesta partida, porque bem nos lembramos como no ano passado desperdiçámos uma vantagem de cinco pontos em apenas dois jogos antes da recepção aos assumidamente corruptos.

A 1ª parte foi bastante complicada, criámos poucas ocasiões, o Estoril deu uma excelente réplica e o 0-1 caiu um pouco do céu num canto do Cardozo(!), que à 3ª tentativa lá o marcou em condições, para o Gaitán fazer um golo soberbo de calcanhar todo no ar. Estavam decorridos 37’ e até então só tínhamos criado perigo num falhanço incrível do Tacuara (era só encostar com o pé direito e ele rematou muito mal com o esquerdo) e uma boa mancha do guarda-redes a uma entrada na área do Melgarejo. Curiosamente foram duas assistências do Rodrigo nas duas únicas intervenções de jeito que teve no jogo.

A 2ª parte começou com o Lima no lugar do Rodrigo e foi logo outra coisa. Aumentámos a pressão a meio-campo, o Enzo Pérez subiu imenso e o Estoril nunca mais se viu. Fizemos o 0-2 aos 59’ numa abertura fantástica do Gaitán para uma recepção perfeita com o peito do Lima, seguida de fuzilamento do guarda-redes. E acabámos de vez com o jogo aos 65’ num remate do Salvio que fez a bola entrar e sair da baliza. Felizmente, o fiscal-de-linha estava atento. Até final, controlámos a partida e ainda bem para aplaudir o regresso de El Mago Aimar, três meses depois de ter pisado o relvado pela última vez. A 2’ do fim, o Artur resolveu despachar já o seu frango anual e largou uma bola muito fácil num livre, que foi depois cabeceada para a nossa baliza deserta. Antes nesta jornada do que na próxima, mas fico sempre com uma sensação desagradável quando o último golo do jogo, perto do fim, não é nosso.

Em termos individuais, destaque óbvio para o Gaitán com um golo genial e uma óptima assistência. O Lima foi essencial na nossa subida de produção na 2ª parte, assim como o Enzo Pérez que se fartou de acelerar o nosso jogo. O Salvio voltou a marcar passado muito tempo e a notícia foi o Tacuara ter ficado em branco. O Garay é um senhor e mais que compensou algumas fífias do Jardel, que não estando a 100% não esteve tão bem como nas últimas partidas. O Matic mantém a regularidade e o André Almeida substituiu bem o castigado Maxi Pereira.

Estamos muito concentrados e a jogar óptimo futebol. Assim nos mantenhamos para a próxima semana. Pelo meio, temos a Académica para a Taça da Liga, onde se espera que carimbemos a qualificação para as meias-finais, enquanto se dá descanso a alguns titulares.

P.S. - Devo dizer que desejo que o Estoril se mantenha por muitos anos na I Liga, porque tem um estádio bem simpático, onde gostei imenso de me estrear. Serei visita regular sempre que lá jogar o Glorioso. A quantidade pessoas nas janelas, varandas, escadas de incêndio(!) e telhados(!) circundantes é um espectáculo por si só!

2 comentários:

antoniomaia disse...

O que caiu do céu? Ahahahah e aquela jogada soberba que o Cardoso falha a 2 metros da baliza por não ter pé direito...
Mais.uma exebição fantástica. O mestre Jorge Jesus é o melhor treinador português de todos os tempos, sem duvida :) que equipa, pode sair qualquer um poque o companheiro que entrar vai fazer bem o papel :) grande treinador tem Benfica.
Até quarta ahahahah

leão azedo disse...

S.L.B., para dar sorte para Domingo e espantar a maldição dos últimos Benfica-porto para o campeonato, que tal um "Relembrar", talvez o 3-1 de 1982-83. O último "Relembrar", culmimou com uma excelente campanha na Champions, só parada por mais um roubo na Luz (centro de Maxi e Terry a abrir os braços).