origem

sábado, março 17, 2012

Alargamento?!

Vencemos o Beira-Mar por 3-1 e, com a vaca que o CRAC teve frente ao Nacional na Choupana (aquele Mateus devia ser processado por falhar tantos golos), mantivemos a desvantagem de um ponto em relação ao 1º classificado. Foi uma partida muito calma, disputada a um ritmo baixíssimo e em que os nossos dois golos na 1ª parte definiram logo o vencedor. Um jogo-modelo, portanto, com 2-0 ao intervalo e o terceiro a abrir logo a 2ª parte. Deviam ser todos assim.

Com o castigo do Maxi, voltou a ser o Witsel o lateral-direito e foi dele a assistência para o Cardozo inaugurar o marcador aos 26’, depois de um passe no timing perfeito de El Mago Aimar. Até aí, só nós é que atacávamos, o Beira-Mar não saía do último terço do seu meio-campo, mas a falta de velocidade fez com que só dois lances do Nélson Oliveira e cabeça do Gaitán é que tivessem criado relativo perigo. Aos 44’, inverteram-se os papéis habituais e foi o Cardozo, com um passe na altura certa, a desmarcar o Gaitán para o segundo golo. Íamos para intervalo com o jogo resolvido, porque para este Beira-Mar a bola é redonda demais…

A 2ª parte iniciou-se com o nosso 3º golo, numa assistência de calcanhar do Nélson Oliveira a desmarcar o Cardozo, que contornou o guarda-redes e rematou para a baliza deserta. Estavam decorridos apenas 48’ e atingíamos a tranquilidade total. A partir daqui, baixámos claramente o ritmo já a pensar nas partidas bastantes mais importantes que se avizinham, até porque o Beira-Mar mostrava muito pouco para uma equipa da I Liga. Só que, já na compensação, um mau alívio do Jardel dá origem a um contra-ataque, o Emerson fica nas covas e lá sofremos o golito da ordem, com o Artur a parecer-me também mal batido. Só a lagartada é que ficou a zeros na Luz para o campeonato, algo que deveria fazer o Jesus reflectir e bem. Sofrer um golo de uma equipa destas é uma vergonha. E, claro, que saí do jogo relativamente chateado. Detesto sofrer golos e ainda por cima no último minuto!

Em termos individuais, o Cardozo com dois golos e uma assistência foi obviamente o melhor em campo. A equipa com o Aimar sabe logo o que tem que fazer à bola e o jogo torna-se mais simples. O Gaitán, no seu segundo jogo consecutivo a marcar, sobe lentamente de forma. Ao Nélson Oliveira fazem-lhe bem estes jogos, porque precisa ainda de crescer muito nomeadamente na altura de soltar a bola em vez de fazer remates disparados e de ângulos quase impossíveis. No entanto, a assistência para o 3º golo é brilhante. Todos os outros estiveram regulares e a partida até deu para estrear o André Almeida no campeonato.

Este jogo devia ser mostrado a todos as alimárias que defendem o alargamento da I Liga para 18 clubes. É para isto?! Para vermos mais dois “Beira-Mares” no campeonato?! Uma equipa nem sequer está nos lugares de descida e que apresenta esta qualidade futebolística?! Tenham lá paciência, mas poupem-nos a isto! Nunca coisa o Ulisses Morais teve razão nas declarações no final, quando disse que mostraram coerência: não jogaram nada durante 90’. Gostei igualmente da declaração de que quem marca um golo na Luz pode aspirar a tudo… Estes tipos vivem noutro mundo, só pode.

1 comentário:

mrmg disse...

Partilhar informar e apoiar o glorioso.

http://aminhachama.blogspot.pt/2012/03/avram-noam-chomsky-renomado-lingista.html