origem

segunda-feira, abril 27, 2009

Contra 12

Vencemos o Marítimo (3-2) e mantivemos a distância para os dois da frente, que também ganharam nesta jornada. Foi mais uma agradável exibição da nossa parte, especialmente no 1º tempo, numa partida marcada por uma arbitragem infame dessa criatura que eu me recuso a nomear por ter o mesmo nome do nosso maestro (Ó Rui, não queres registar o teu nome para que mais ninguém o possa usar?). Direi apenas que é o irmão desse outro grande artista da arbitragem portuguesa chamado Paulo Costa.

Quando aos 39’ fizemos o 3-0, ainda pensei que iríamos finalmente assistir descansados a um jogo na Luz, mas esqueci-me que aquele larápio também estava em campo. Entrámos bem na partida, com velocidade e a tentar empurrar o adversário para a sua área, se bem que o Marítimo, quando tinha a bola, não se coibia de avançar no terreno com cinco homens, o que tornou o jogo bastante vivo. Um cruzamento tenso do David Luiz, que não chegou a tocar em mais ninguém, só parou no fundo da baliza e fizemos assim o 1-0 aos 28’. Foi apenas a 3ª vez esta época em que marcámos na 1ª parte em jogos para o campeonato. E felizmente não ficámos por aqui, porque pouco depois o Cardozo bisou em apenas três minutos (34’ e 37’). Só que antes do intervalo o irmão do Sr. Paulo Costa entreteve-se a arranjar livres para o Marítimo perto da nossa área, já que de outro modo eles não chegavam à nossa baliza. E lá conseguiu os seus intentos, pois sofremos um golo dessa forma aos 44’.

Na 2ª parte, o Quique tirou o Aimar (lesionado?) e colocou o Di María. Ao contrário da 1ª, não entrámos tão bem já que concedemos muitos espaços ao adversário para desenvolver o seu jogo atacante. A distância do Ruben Amorim e do Carlos Martins para os nossos defesas era muito grande, o que permitia ao Marítimo ter a bola nessa zona. O Quique ia colocar o Kasouranis para equilibrar isso mesmo, mas pouco antes disso (60’) o irmão do Sr. Paulo Costa resolveu dar mais emoção à partida, inventando um penalty num lance em que o Maxi Pereira não toca no adversário (coloca a sua perna ao lado da dele, mas não lhe seja a tocar). Há um nome para isto que começa por "r" acaba em "o" e tem "oub" no meio. O Quique manteve a substituição e o que é certo é que, a partir daí, o Marítimo deixou de ter tanto espaço naquela zona. Nós íamos fazendo contra-ataques perigosos, mas à semelhança da 2ª parte de Setúbal não fomos eficazes na hora de rematar à baliza. Criámos várias oportunidades, mas nunca conseguimos matar o jogo. Só que como não houve mais nenhum jogador do Marítimo a entrar na nossa área, o irmão do Sr. Paulo Costa não teve possibilidade de arranjar mais nenhum penalty. No entanto, conseguiu, isso sim, distribuir amarelos como o CRAC distribui fruta pelos árbitros e terminámos a partida com cinco jogadores amarelados contra somente um do adversário. Critérios de cafézinho com leite, obviamente.

Individualmente tenho que destacar o Cardozo. Seis golos nos últimos quatro jogos é notável e demonstram mais uma vez (como se fosse necessário...) que é o melhor ponta-de-lança que o Benfica tem em vários anos. Saibamos mantê-lo é o que desejo e só fico com um amargo de boca ao pensar no que poderia ter sido a nossa época, se ele tivesse sido mais vezes titular. Também gostei da 1ª parte do Reyes (desceu um bocado na 2ª) e do jogo todo do Ruben Amorim. Aliás, acho que esta melhoria exibicional se pode atribuir a dois factores que muita gente andava a reivindicar há muito tempo: dois pontas-de-lança e Ruben Amorim no meio. Queria ainda destacar o Maxi Pereira, que continua um autêntico relógio suíço.

Para a semana teremos um jogo complicadíssimo na Madeira perante o Nacional e, se levarmos com outro larápio como este irmão do Sr. Paulo Costa, temo o pior. Teremos que ser MUITÍSSIMO melhores que o adversário para ganhar, algo que nunca tem que suceder aos outros dois. E depois ainda acham que o Lucho e o Hulk fazem muita falta! Com Olegários e afins em campo, não têm nada com que se preocupar.

3 comentários:

Anónimo disse...

CONCORDO A 100%.
SO ESPERO QUE A DIRECÇAO NAO FIQUE EM SILENCIO.
VI O JOGO NA CASA DO BENFICA NO PORTO(QUE EU NAO TENHO SPORT TV, OLIVEIRINHA NEM VE-LO) E A INDIGNAÇAO FOI GERAL.
DEPOIS DE VARIAS FALTAS DURAS DE JOGADORES DO MARITIMO( QUE SE PROLONGARAM POR TODO O JOGO) EU DISSE ALTO E BOM SOM QUE O PRIMEIRO AMARELO SERIA PARA UM BENFIQUIATA, ENGANEI-ME FORAM MAIS E ALGUNS RIDICULOD.

ESTE POLVO TEM DE LEVAR UMA NAVALHADA NA CABEÇA, E NOS TEMOS A FORÇA E A FACA, ASSIM NOS UNAMOS TODOS NESTE PROPOSITO.

FORÇA, PELO BENFICA SEMPRE.

Rui Branco disse...

A questão é:

E se o campeonato começa-se agora?

RV disse...

O Benfica tem de falar mais, assim não dá. Não podemos ser tenrinhos.

Assim não vamos ser campeões.

http://etpluribusunumbenfica.blogspot.com/