origem

quinta-feira, janeiro 15, 2009

Natural

Ganhámos ao Olhanense (4-1) e estamos muito bem colocados para atingir as meias-finais da Taça da Liga. Foi um triunfo justo, embora a equipa de Olhão tenha mostrado bom futebol, especialmente na 1ª parte. Só que, quando a nossa equipa entra concentrada e com ambição, mesmo que não jogue bem, é muito difícil de batê-la.

O ritmo da partida foi bastante agradável, especialmente no 1º tempo e, depois de duas boas oportunidades da nossa parte (Cardozo e Katsouranis), deixámos o adversário colocar-se na frente aos 13’. Um frango do Moretto, que defendeu para a frente uma bola rematada a 30m da baliza, permitiu ao ponta-de-lança fazer uma recarga fácil. Pouco depois, as coisas poder-se-iam ter complicado bastante, quando esse mesmo jogador (Djalmir) teve uma grande chance de fazer o 0-2, ao cabecear ao lado quando estava praticamente sozinho na grande-área. No entanto, em três minutos (25’ e 28’) virámos o marcador através do Nuno Gomes (boa abertura do Carlos Martins) e do nº 25 (foi impressão minha, ou ele insurgiu-se novamente contra os adeptos do Benfica, que o assobiaram quando começou a fazer asneiras, nos festejos?). Até final da 1ª parte, o Olhanense poderia ter empatado depois de uma boa assistência do nosso nº...25.

Na 2ª parte, acabou-se o gás à equipa algarvia e foi com naturalidade que fizemos o 3-1 através do Sidnei aos 61’. Antes disso, uma óptima jogada do Reyes merecia ter tido outro fim que não a bola empate no poste. O Maradona veio cá ver o Di María, mas o Quique (e muito bem) não se afastou do que tinha previsto para esta partida e o argentino iniciou-a no banco. E, se calhar, até foi melhor para ele, já que as últimas exibições não têm sido nada famosas. Só que há pessoas que foram abençoadas pelos deuses e o Di María, que entrou a 30’ do fim, possivelmente inspirado pela presença do astro, marcou um golão de chapéu já muito perto do fim. Foi o 1º golo dele no Estádio da Luz e espero que não seja necessário um regresso do Maradona para ele elevar os níveis das suas exibições daqui para a frente.

Em termos individuais, o Reyes foi dos melhores em campo. O Benfica fica logo com outra cara com ele em campo. Também gostei do Katsouranis (embora aquele falhanço não lembre o diabo...) e dos pontas-de-lança (Cardozo e Nuno Gomes). A defesa, nomeadamente os centrais e exceptuando o Miguel Vítor, pareceu estranhamente insegura na 1ª parte, mas depois lá se recompôs.

Basta-nos empatar com o Belenenses no sábado para atingirmos as meias-finais, mas obviamente que não espero outra coisa senão a vitória. Até para saudar o regresso dos jogos às 16h00 no nosso estádio.

P.S. – Os lagartos ganharam em Vila do Conde aos 88’ com um golo inacreditavelmente em fora-de-jogo. Pela boca morre o peixe! Depois do escarcéu que fizeram a propósito do Benfica-Braga, foi muito bem feito! Será que também vão pedir um inquérito?

2 comentários:

Rui Branco disse...

Grande Di Maria! :) Espero bem que nas meias finais o Benfica defronte o CRAC!! Benfica rumo ao Titulo!

djeiti disse...

Que honra e orgulho em ter no nosso estádio esse grande ídolo de todos os adeptos do futebol.
Não sei quando poderia voltar a ter a oportunidade de ter novamente Dios Maradona na Catedral, mas será mais uma história para recordar.
E nada melhor que um jogo aberto e agradável de seguir com bons golos.
Obrigado Rui Costa por descobrires o segredo de fazer o Di Maria parecer o Di Magia que o meu primo tanto defendeu quando eu só o consegui até hoje insultar.
Garante a presença do Maradona na bancada todos os fins-de-semana e teremos o jogador que brilhou no Jogos Olímpicos sempre ao serviço do SLB!
Mas não posso deixar de destacar o Miguel Vítor pois foi aquele que mais vezes me fez levantar e aplaudir de orgulho e entusiasmo durante este jogo. Força miúdo!
PS - Parabéns aos adeptos de Olhão por estarem a dar força e a trazer de volta à 1ª Liga um clube do Algarve. Dia de semana e 2000 na Luz, é de clube grande sem dúvida!