origem

terça-feira, março 13, 2007

Escusado sofrimento

Não tínhamos necessidade de ter sofrido tanto frente ao Leiria até conseguirmos marcar o “golo da tranquilidade” aos 86’, que selou a nossa vitória por 2-0, num jogo a que tive o privilégio de assistir na companhia do TMA. É certo que o adversário quase não criou situações de golo, mas estou farto de perder pontos preciosos frente a adversários que também pouco fazem em termos atacantes. Com as vitórias dos rivais neste fim-de-semana era imperioso ganhar para manter as distâncias.

Por isso, e mantendo o que é hábito, entrámos bem no jogo, muito pressionantes no meio-campo, usando bastante velocidade nas transições para o ataque e criando várias possibilidades de remate, que infelizmente nem sempre tiveram o destino desejado. Mas foi sem surpresa que marcámos logo aos 16’, um golão do Simão com um remate de pé esquerdo fora-da-área, depois de flectir da direita para o centro. Indefensável e um dos melhores tentos que vimos este ano. Depois do golo, e ao invés do que fizemos em Paris, não abrandámos o ritmo e tivemos mais umas quantas possibilidades de aumentar a vantagem. Infelizmente a bola não entrava e comecei a ficar preocupado, até porque o Leiria nunca ficou muito fechado na defesa. Os nossos avançados têm que rever a pontaria, porque não se justifica que não consigam concretizar algumas das inúmeras oportunidades que criamos. A partir da meia-hora, baixámos claramente o ritmo e o Leiria aproveitou para se aproximar mais da nossa baliza, porém sem criar grande perigo.

Na 2ª parte, entrámos decididos a marcar cedo, para acabar com as dúvidas acerca do vencedor, mas o problema da falta de pontaria manteve-se e tínhamos a tendência para complicar o que era fácil. De qualquer forma, também não estávamos tão bem quanto no início da partida e o jogo parecia caminhar para um impasse. Nem nós o resolvíamos de vez, nem o Leiria se mostrava com capacidade para nos incomodar. Para lançar alguma confusão sobre tudo isto, o Quim lesionou-se depois de fazer uma defesa para a frente e aos 73’ entrou o Moreira (felizmente era dia dele no banco...). A equipa não tremeu com a troca de guarda-redes (nem tinha que o fazer), mas algumas decisões do Sr. Paulo Pereira puseram-nos com os cabelos em pé. O árbitro fez uma arbitragem “à inglesa”, mas houve lance em que a falta foi por demais evidente e não foi assinalada. Até que a quatro minutos do fim, o Petit resolveu acertar na baliza com um dos seus balázios habituais, aliás acertou primeiro no poste (nem sei como é que ele ficou inteiro), e ficámos com a (justa) vitória definitivamente garantida. A próxima jornada é na Amadora, mas sem o Katsouranis que viu o 5º amarelo. Antevêm-se grandes dificuldades até porque o Luisão continua lesionado.

Individualmente, e pela 342ª vez esta época, tenho que destacar o Simão. Abençoado Valência que abdicaste de o levar! O nosso capitão está na melhor forma de sempre e já está na frente dos melhores marcadores. No entanto, e à semelhança de Paris, baixou de rendimento na 2ª parte. Outro destaque tem que ir para o David Luiz. Ou muito me engano ou temos ali jogador. Bom tecnicamente, com garra, voz de comando (ouviste Anderson?!), sabe iniciar jogadas de ataque, fazer passes longos para os companheiros e só tem ainda 19 anos. Percebo as explicações do Fernando Santos (a perspectiva de ter de jogar um só jogo, com o regresso do Luisão, é diferente do caso actual), mas ele já deveria ter jogado nas Aves. No entanto, o melhor em campo foi o Karagounis. Só de pensar que ele esteve quase para se ir embora, dispensado, fico com suores frios. Excelente técnica, muito bem fisicamente, corre quilómetros e neste jogo queria marcar à força um golo, mas os seus diversos remates não acertaram com a baliza. O Petit também foi importante no meio-campo e deve ter marcado dos golos mais bonitos na carreira (curiosa a forma como foi comemorá-lo com o Barbas, é mesmo “um dos nossos”). O Nuno Gomes, apesar de não ter marcado, provou que a sua presença no banco frente ao PSG foi um grande equívoco. Ao invés, o Miccoli parece numa fase de menor acerto, assim como o Nelson que teve vários cruzamentos lamentáveis. Estranhamente também com dificuldades esteve o Léo, que fez um jogo muito fraquito. Pelo contrário, o Katosouranis parece arrastar-se em campo, mas está invariavelmente no sítio certo para cortar a bola e iniciar a jogada de ataque.

Este jogo serviu ainda para quebrar algumas malapatas. Aproveitando a (feliz) iniciativa de o Glorioso oferecer a possibilidade de chamar amigos dos sócios aniversariantes para assistir a jogos, revolvi convidar alguns entre os quais o já referido TMA e (eu sei que arrisquei, mas algum dia o mau karma tinha que acabar) o J.M. Quando as coisas estavam num impasse a meio da 2ª parte, ainda pensei se não estava na altura de ele se ir embora, mas felizmente tudo acabou em bem. Curiosamente um outro amigo que foi só tinha visto o Benfica em três ocasiões: Chelsea, Juventus (ambos na pré-época do ano passado) e Boavista este ano. Ou seja, nem sequer tinha visto um golo do Benfica ao vivo e perdemos dois dos três jogos! Foi mesmo muito arriscado, mas acho que as malapatas acabaram. Será bom prenúncio para o resto da época?!

5 comentários:

CORTO MALTESE disse...

Eu sou uma besta!
Uma verdadeira besta!
:(

rui tendinha disse...

e nao mencionas aquele fora de jogo escandalosamente tirado na segunda parte? Temos de invadir a Amadora se o Porto perder pontos no Dragão este sábado!

tma disse...

Obviamente o meu "karma positivo" anulou o "karma negativo" dos teus amigos :-D

De resto, quase nem preciso dar a minha opinião, que é idêntica à tua e de acordo com o que fomos conversando durante o jogo.
Ainda assim, não queria deixar de destacar alguns aspectos:
- dos dois golos, qual o mais espectacular... (ainda assim voto no do Petit)
- a quebra de ritmo durante o jogo é 'aceitável' se tivermos em conta que na 5ª temos um jogo importantíssimo. O que não é tão aceitável foi a forma como algumas jogadas de ataque, com algum potencial, foram atiradas para o "lixo", assim como alguns passes errados a meio campo, revelando alguma falta de lucidez, que temo estar associada a um certo desgaste da equipa. Ainda assim, tenho a certeza que na 5ª feira vão superar-se e vencer o PSG.
- individualmente, destaco alguns dos suspeitos do costume (para além do Simão, o Karagounis, como tem sido habitual: neste momento é titular indiscutível). E obviamente tenho de destacar o David Luiz. Para além do talento natural, revela grande maturidade para quem tem apenas 19 anos. Confio nele para o importantíssimo jogo de 5ª feira.
- o Harison tem, definitivamente, e utilizando uma expressão Gwaihiriana, a personalidade do produto intestinal de uma égua sifilosa, tendo por diversas vezes demonstrado o quanto ambiciona vestir aquelas camisolas parecidas com as barracas das praias...

tma disse...

De saudar, ainda, o regresso do Moreira (ainda bem que era ele que estava no banco...), embora lamente, como é óbvio, a lesão do Quim. Preferia que não tivesse sido assim...

Careta disse...

O Porto perder pontos no dragao com o sporting??? Meus amigos, contentemo-nos com o segundo lugar porque os tripeiros nao vao largar o poleiro. Nao se vao lixar agora no fim...nem pensem. Segundo lugar = champion's league, bem bom.