origem

domingo, novembro 19, 2006

Montanha-russa

Já se percebeu que este ano vamos andar assim. Ora fazemos boas exibições e conseguimos vitórias inequívocas, ou levamos três com actuações sofríveis. Perdemos pelo segundo ano consecutivo em Braga, desta feita por 1-3, e voltámos a lançar dúvidas sobre a nossa capacidade de resposta em jogos importantes. Olhando a frio, chegamos à conclusão que os perdemos todos (Boavista, Manchester, Celtic, clube regional e Braga) e só num dos casos não sofremos três golos. Aliás, em oito jogos fora de casa, conseguimos a proeza de ganhar um, empatar três e sair derrotados em quatro! O sr. Fernando Santos voltou a dizer que “temos que falar internamente”. Estarei errado, ou a época começou há mais de quatro meses? Será que o sr. Fernando Santos fala noutra língua que não em português no balneário? Como é possível os jogadores ainda não terem apreendido a mensagem? Será culpa deles ou incapacidade de comunicação do treinador? Quantas mais vezes vamos ter que ouvir este discurso a seguir a uma derrota?

Ontem começámos pessimamente o jogo e nunca tivemos habilidade para impor o nosso futebol. Os jogadores do Braga chegavam sempre primeiro à bola e os lances divididos eram todos deles. Para ajudar à festa, o Quim resolveu oferecer-lhes o primeiro golo logo aos sete minutos, ao repor mal a bola em jogo, permitindo ao Zé Carlos marcar quase de meio-campo. Os minutos passavam, mas nós continuávamos completamente inoperantes. Através do contra-ataque, o Braga teve oportunidade de aumentar a diferença, mas num lance de bola parada acabámos por ser nós a empatar a partida por volta dos 30’. Livre do Simão para a área, cabeceamento do Katsouranis que o Paulo Santos defende para a frente e o Ricardo Rocha (ATÉ QUE ENFIM, à 5ª época no Benfica marca um golo num jogo oficial!) só teve que empurrar a bola para as redes. Foi um golo caído do céu, porque foi no nosso primeiro remate à baliza! A partir daqui, tive esperanças que conseguíssemos assentar o nosso jogo e dominar o Braga. Puro engano! Melhorámos a nossa produção, mas nunca fomos muito superiores a eles. Numa das poucas boas combinações de ataque, o Miccoli desmarcou-se pela esquerda, centrou e o Nuno Gomes, completamente isolado, conseguiu que o seu cabeceamento acertasse no guarda-redes! Pouco depois, e a menos de cindo minutos do intervalo, um disparate do Nelson a meio-campo permitiu um contra-ataque ao Braga e o Maciel fez o 2-1, num remate em que me pareceu que o Quim voltou a ter culpas, já que não fechou convenientemente o ângulo.

Para a segunda parte, entrou o Karagounis para o lugar do Katsouranis, mas não se notaram grandes melhorias no nosso jogo, bem pelo contrário. Do meio-campo para a frente todos os jogadores estavam muito bem marcados e raramente conseguimos ter espaços para criar perigo. Tínhamos mais posse de bola, mas o jogo era muito mastigado e afunilado. O Simão veio para a esquerda do losango, mas ontem esteve longe de ser o jogador decisivo que cria muitos desequilíbrios. Mesmo assim tivemos uma grande oportunidade para empatar aos 80’, quando o Karagounis fez um bom centro e o Simão, só com o guarda-redes pela frente, cabeceou por cima da barra. A seguir a este grande falhanço, o Braga matou o jogo ao fazer o terceiro golo. Foi através de um livre na sequência de uma falta desnecessária do Paulo Jorge (a propósito, que péssima entrada em jogo!), em que o Paulo Jorge do Braga se antecipa de cabeça ao Ricardo Rocha e tem a sorte de a bola bater num poste e entrar na baliza. Faltavam oito minutos para o fim e o jogo estava perdido. Ainda assim não gostei de ver a atitude de alguns dos nossos jogadores que, quando perdiam a bola, viravam as costas ao lance (lembro-me do caso do Simão). O jogo é para jogar até ao fim e a Gloriosa camisola tem que ser honrada!

No meio desta pobreza exibicional é difícil destacar alguém. Talvez o Miccoli tenha sido o menos mau, porque foi dos poucos a tentar jogar para a frente e a imprimir alguma velocidade ao nosso jogo. O Luisão fez muita falta (malditos jogos das selecções!) e o Anderson confirmou a sua má forma, ao dar muitos espaços aos avançados contrários, especialmente na primeira parte. De resto, mais ninguém se destacou da mediania. O Nuno Gomes voltou a estar perdulário, na sequência do que fez na selecção. O Nuno Assis pouco se viu, mas quando saiu o Paulo Jorge ainda conseguiu ser pior do que ele. O meio-campo marcou pessimamente e os jogadores do Braga manobravam à vontade. O Quim teve culpas em dois golos e a sua presença na nossa baliza começa a levantar-me sérias dúvidas. Talvez esteja na altura de dar uma oportunidade ao Moreira.

Se a tradição se mantiver (e neste caso é bom que se mantenha…), iremos ganhar folgadamente ao Copenhaga na próxima 3ª feira. Se não conseguirmos os três pontos estaremos definitivamente fora da Champions e mesmo que ganhemos precisamos ainda de uma ajuda do Manchester em Glasgow. O jogo de ontem desiludiu-me bastante, porque sem consistência exibicional é difícil conseguirmos resultados positivos. E nós já andamos há muito tempo neste sobe e desce. Será que vamos ter que levar com isto até ao fim da época?

8 comentários:

GR1904 disse...

Neste momento o que eu sei é que temos o melhor plantel desde que fomos campeões em 94 e não há maneira de atinarmos de vez com as exibições, resultados (fora de casa), fio de jogo e tácticas sejam elas quais forem.

Deixa-me francamente irritado este desperdício ou falta de aproveitamento ou incompetência ou o que quiserem, de um plantel que tem bastante qualidade. Daqui a uns tempos vamos olhar para trás e perguntar-nos como foi possivel ter esta qualidade na equipa sem resultados visiveis. Julgo que vai ser daquelas épocas em que no final se vão fazer reajustamentos só porque não se cumpriram os objectivos e não porque a qualidade não foi devidamente aproveitada. Temo que certos jogadores acabem por não ficar no plantel qd o que aqui se trata em mha opinião é que tecnicamente a equipa está mal e sub-aproveitada.

Não gostei tb de ouvir o LFV a criticar publicamente os jogadores. Por mta pouca atitude que tenham tido, essas coisas não se dizem em público. Caramba, meteram-lhe um microfone à frente e o gajo descamba assim nos jogadores... Diga-lhes isso, mas é internamente e nunca desautorizando os jogadores desta forma, até porque eles estão no Benfica porque alguém os contratou. LFV vai ver a sua imagem mt desgastada ao assumir o papel que o Veiga tinha.

Galaad disse...

Caro SLB,

Pela primeira vez estou a comentar um texto sem o ter lido. Ainda estou de tal maneira em estado de choque com aquilo que (não) jogámos, que nem me apetece ler!!! E vão 7!! 7 jogos a encaixar 3 bolas!!! Será que isto vai acabar? Será que o LFV vai buscar o gordo e aí passaremos a ter uma equipa com estatura mental e psicológica que nos prive destas humilhações constantes? Com o Camachito até podiamos perder, mas porra!, de falta de empenho e de atitude ninguém os poderia acusar!!!

Abraço

guitar disse...

Regresso ao blog depois de algum tempo de ausência, ao longo do qual fui vendo a equipa lentamente a melhorar, apesar dos tropeções em Glasgow e no Dragão.
Mas regresso também porque não posso ficar calado como o que vi em Braga. Perdemos na Escócia e no Porto, mal, infantilmente, mas os jogos até foram equilibrados. Mesmo o dos 3-0...Agora o que vimos ontem foi UM NOJO! Ao nível do jogo do Bessa e da pré-época.
Total ausência de empenho, clarividência nula,erros gritantes
Confusão em campo e falta de visão cá fora para mudar alguma coisa.
O Santos não é grande coisa e realmente não parece conseguir dar consistência e equilíbrio à equipa. As substituições foram erradas, porque o Katso não devia ter saído mas sim o Petit. Também o Gomes não jogou nada e onde estava a alternativa? Na bancada, pois claro.
Mas para além disso, que já não é pouco, que culpa tem o treinador de um redes internacional, com experiência, decida fazer a parvoíce de marcar um pontapé de baliza quase junto à linha lateral? Sim, porque mesmo falhando o pontapé, se ele tivesse sido do sítio normal nunca tinha sido golo...Mesmo depois do empate oferecido, quando tinhamos ZERO REMATES aos 31', continuámos sem jogar nada. O segundo golo foi em tudo parecido com o segundo de Glasgow. Mesmo com o Quim mal batido outra vez (será que desta vez sai?), o Miguelito estaria a olhar para as pedras do estádio?
É inaceitável ter SETE, SIM SETE, jogos a levar 3 golos e ter uma defesa ao nível do Setubal, do Paços, etc.
Ontem, o Quim nem merece comentários, os laterais foram uma desgraça (até o Necha estava doente), os centrais foram sempre apanhados em contrapé e muito mal apoiados pelos outros. Petit, uma lástima, Assis nem esteve lá. O Gomes uma nulidade. Os menos maus foram o Simão (apesar do golo que falhou e que pode decidir tudo num jogo), o Katso e o Miccoli (pelo que lutou). As substituições não deram nada, mas também naquela confusão o que poderiam dar?
Estou irritado com o que vi, que deita por terra a ideia que tinha de que a equipa estava finalmente estabilizada, mesmo com dias menos bons. O que vem a seguir? Ninguém sabe. Pode ser uma grande exibição na 3ª feira, de raiva, ou outra bebedeira colectiva. Sinceramente não consigo fazer previsões.
Será que mudar de treinador é a solução? Duvido. Continuo a achar que há um enorme défice físico na equipa. Depois de 2 semanas sem jogar chegámos sempre atrasados à bola, corremos sempre menos, perdemos as disputas de bola e os duelos aéreos, onde ninguém conseguia saltar em condições.
O peparador físico é quem? Um tal Bruno Moura, filho do bruxo. Eu cá acho que o jovem precisa de ser despachado. Porque as lesões também, se calhar, passam por aqui. E têm sido muitas, demais para ser tudo normal.
O pior disto é que o Campeonato está quase perdido (e só não digo que já está porque pode ser que isto mude daqui para a frente DE VEZ E DE FORMA RADICAL), o segundo lugar, se perdermos em Alvalade, estará em vias de seguir o mesmo caminho, e na Champions custa-me a acreditar em milagres. E já houve uma aproximação na época passada.
O que sobra? Um plantel muito jeitoso, como aqui foi dito, a arrastar-se até ao fim, fuga de jogadores essenciais e emagrecimento do dinheiro vivo que as vitórias dão.
3ª feira quem sabe o que vai saír da caixa de Pandora. E já agora queimem estes horrorosos equipamentos de cor de burro quando foge, que dão um galo monstro.
Até 3ª, com esperança angustiada

Mavs disse...

Isto vai mesmo de mal a pior:
1- Fernando Santos é um péssimo treinador. A táctica não funciona e, em termos de liderança e motivação é, claramente, dos piores treinadores que passaram pelo Benfica. ATé o Souness com o discurso do "eu não estudo os adversários, eles é que se têm de preocupar connosco porque nós somos o BENFICA" motivava mais.
2- Quim nunca foi, nem será (agora com 31 anos) guarda-redes para o Benfica. Teve sorte de ser, esta época "aclhido" pelos adeptos por causa da injustiça do Koeman com o Marcelo Moretto.
3- O lanca do primeiro golo não é só culpa do Quim. O Fernando Santos está a 5 metros do lance e tem de ser ele a impor-se e a ordenar que o livre seja marcado por um central. Devia estar a dormir, como é hábito.
4- O Anderson é mau demais. É um mole, e não tem inteligência na colocação em campo, sendo, invariavelmente batido em todos os lances no um-contra-um.
5- O decréscimo de qualidade do Petit do ano passado para este ano é inacreditável. Até o Beto é capaz de ser melhor soluição, neste momento, para o nosso meio-campo.
6- A equipa está de rastos. Não sei se é do preparador físico (como diz o Guitar) ou da (não) rotação de jogadores. MAs quando nos damos ao luxo de "dispensar" estupidamente e negligentemente o Rui Costa por 3 meses, está tudo dito.
7- O ambiente no balneário deve ser dos piores de sempre. Senão vejamos: Qual dos jogadores saiu em defesa do Veiga quando este saiu? O Simão ao dizer que lhe dedicava os dois golos que marcou na selecção? Logo o Simão que sempre teve as divergências com o Veiga que todos conhecem...
8- O discurso do "temos de falar para dentro" e "as coisas vão mudar daqui para a frente" já enjoa.
9- Ontem, a equipa foi um descalabro. Para além dos jogadores que já fiz a negativa referência (Quim, Anderson e Petit), o Nélson perde bolas de uma forma parva. O Miguelito está a anos-luz do Léo. O Rocha, apesar do golo, está ligado a dois golos sofridos. O Paulo Jorge está, se calhar, a mostrar aquilo que realmente vale. O Karagounis entrou para fazer ainda pior que o Katsouranis (ainda assim, aquele fez um centro de morte que o Simão desperdiçou, e este tem o cabeceamento que, depois, originou o golo.) O Nuno Assis tem de ser elucidado sobre qual é o lado em que o Benfica está a atacar. O Gomes, esse, esquece. O Miccoli e o Simão foram os "menos maus" o que não invalida dizer que... foram maus!
10- Nem dos nossos equipamentos, da NOSSA cor, nos podemos já orgulhar. Aqueles equipamentos são um nojo.

tma disse...

Só tenho mesmo uma coisa a dizer: se pôr aquela equipa a jogar com regularidade é difícil, ao menos que façam algo bem simples para que os adeptos se sintam identificados com a equipa: usar cores decentes para os equipamentos alternativos. O branco devia ser SEMPRE a cor alternativa do Benfica. O preto tb não era mau. Mas aquela "cor-de-burro-quando-foge" dá mesmo uma imagem deslavada da equipa, tão deslavada quanto as exibições que faz quando usa aquele equipamento.
De resto, quanto à exibição, não tenho mesmo mais nada a dizer. O resultado, a forma como os golos foram sofridos (e mesmo o facto o nosso golo ter "caído do céu aos trambolhões") e o historial de resultados em jogos mais difíceis dizem tudo.

GR1904 disse...

Mais uma crónica n'A Bola do MST a falar sobre... o Benfica. Era engraçado reunir numa tabela o nº de vezes que este fulano fala do Benfica e comparar com as do fêcêpê. Como é triste a vida desse estafermo.

tarirari disse...

Sim, estou muito mal disposto com o Benfica, incluindo Veigas, Fernandos Santos e jogadores.
Estes, parece que estão à espera que alguma coisa lhes caia do céu aos trambolhões, nem eu sei bem o quê.
Nestas ocasiões, há sempre a tentação de arranjar um culpado para que a derrota não seja tão pesada.
Por mim, já arranjei há muito: é o Fernando Santos que não tem capacidade nem coragem.
Não tem capacidade para dirigir equipas de nível superior ao Estrela da Amadora e não tem coragem para dar dois berros e dois murros na mesa a meninos que desde muito cedo ficaram ricos.
Soube tirar o Alcides, quando as coisas não lhe correram bem. Soube tirar o Anderson, quando as coisas não lhe correram bem. É um critério, defensável como outro qualquer: vamos a ver se tem a coragem de tirar o Quim e pôr a jogar o Moreira.
É que depois dos dois primmeiros golos, no jogo com o Braga, terem a "assinatura" do Quim, este tem mesmo de sair da equipa, por respeito ao critério anteriormente adoptado.
Se não, que será preciso mais para que o Moreira vá para a baliza? Em quantos jogos será necessário o Quim "enterrar" a equipa para sair e dar o lugar a outro?
Se nao, o Quim só sairá quando se lesionar ou quando se reformar, o que não é justo.

d'Janja disse...

No primeiro fez a assistência, no segundo abriu as pernas e no terceiro atirou-se encolhido e tarde demais.

Obrigado, Quim!!!
Nem os Gato Fedorento me fazem rir tanto como tu e os teus colegas de baliza!!! :)