origem

segunda-feira, janeiro 05, 2015

Complicado

Vencemos em Penafiel por 3-0 e mantivemos a distância para os rivais. O resultado final não espelha as dificuldades que tivemos, porque até à expulsão de um adversário aos 65’ o jogo esteve longe de estar decidido.

Com o Enzo Pérez no Valência e o Samaris a cumprir castigo por amarelos, o nosso meio-campo foi dos teenagers Cristante e Talisca, mas a nossa entrada na partida não foi nada famosa. O Penafiel mostrava muito mais garra que nós na disputa dos lances e só a partir dos 15’ é que começámos a mostrar qualquer coisa. O Ola John teve duas boas jogadas nas duas primeiras vezes que tocou na bola, mas depois voltou ao marasmo habitual. Até ao nosso golo aos 37’, o único perigo que criámos foi num frango do guarda-redes, que largou uma bola vinda de um cruzamento, mas o Jonas não estava atento e, quando rematou, o próprio guarda-redes conseguiu desviar para canto. O golo surgiu numa magnífica abertura de mais de 30 m do Gaitán, excelente recepção do Lima, finta ao defesa e toque para o isolado Talisca, quando tinha o guarda-redes quase em cima dele: o nosso melhor marcador só teve que encostar para a baliza deserta. Estava feito o mais importante e mesmo em cima do intervalo um pontapé de ressaca do Gaitán não decidiu o jogo por muito pouco.

A 2ª parte ia começando mal não fosse um indiscutível fora-de-jogo ser a causa da invalidação do golo do Penafiel, na sequência de um livre para a nossa área. Nós recuámos no terreno e não conseguíamos meter os contra-ataques para aproveitar a subida da equipa da casa. Aos 65’, o sr. Paulo Baptista mostrou o segundo amarelo ao defesa-direito adversário, o veterano Tony, por este ter agarrado os calções do Jonas, depois de o nosso jogador lhe ter roubado a bola. Há causa legal para a amostragem do cartão? Há. Eu mostraria o segundo amarelo num lance daqueles? Não. Mas, verdade seja dita, desde o início do jogo que o Tony se revelava dos jogadores mais faltosos em campo. A partir daqui, a partida tornou-se mais fácil para nós e marcámos mais dois golos, aos 78’ e 88’ através do Jonas e Jardel. O primeiro num combinação entre Ola John e Maxi, com centro deste ainda a bater num defesa e o nosso avançado com o peito(!) a desviar do guarda-redes. O do Jardel foi de cabeça depois de um canto do Gaitán. Aleluia por termos finalmente visto um golo do Jardel! Sinceramente não me lembro da última vez que vimos um golo dele… Será o primeiro de sempre com a camisola principal do Benfica? Nos últimos quatro minutos, o Jesus fez três substituições (para quê…?!) fazendo entrar o Sulejmani, Derley e permitindo a estreia do Gonçalo Guedes na equipa principal. Naturalmente que mal tocaram na bola.

Sem termos feito uma grande exibição colectiva, também individualmente não é fácil destacar alguém de caras. Talvez o Gaitán, por ser dos poucos a conseguir dar o toque de classe que ajuda muito a resolver jogos e o Lima pelo trabalho no primeiro golo. O Jesus voltou a apostar no Lisandro para o centro da defesa em vez do César e sinceramente prefiro o argentino. Tem mais experiência e parece-me mais jogador que o brasileiro, a que não será alheio o facto de também ser ligeiramente mais velho. O Talisca no lugar do Enzo precisa de ter mais cuidado nos passes e o Cristante precisa de saber como não ser batido mais vezes do que seria desejável pelos adversários, porque os seus passes longos são uma imagem de marca a aproveitar. O Ola John era bom que mantivesse a concentração durante o jogo todo, porque a qualidade está lá, mas falta muita cabecinha. O Jonas não estava a fazer uma exibição por aí além, quando inscreveu o seu nome nos marcadores da partida e isso merece sempre realce.

Para a semana frente ao V. Guimarães, não vamos ter o Maxi por causa dos amarelos. Se não recuperarem alguns dos lesionados, especialmente o Luisão, a nossa defesa não vai ter voz de comando. Teremos o Samaris de volta, mas será sempre um jogo muito difícil em que é fundamental para estabilizar a equipa nesta fase pós-férias e pós-Enzo mais uma vitória.

2 comentários:

jose helder soares disse...

Injusto o comentário sobreo Ola J. porque ele foi dos melhores do lado do SLB, revê o jogo, para não escreveres co ideias pré concebidas sobre o jogador. O Gaitan fez um grande passe na 1 parte e o resto saiu-lhe mal, melhorou na segunda parte.

Dr. Ghozé Pablito disse...

Só para acrescentar que o Tony do Penafiel é daqueles jogadores que transpira ódio ao Benfica. Isso aliado ao facto de já ter 34 anos, leva a que seja um jogador muito faltoso, sobretudo quando joga contra nós. Se os árbitros mostrassem os amarelos quando devem, provavelmente ele já não estaria em campo aos 65 minutos...