origem

segunda-feira, setembro 03, 2012

Matic

Vencemos o Nacional por 3-0, com dois golos do Cardozo e um do Rodrigo, e continuamos na liderança do campeonato com vantagem de golos sobre o CRAC. Foi uma vitória justa, totalmente construída na 2ª parte, perante um adversário que nos criou bastantes problemas na 1ª.

Da etapa inicial, quase nem vale a pena falar. Entrámos devagar, mudámos para a passo e acabámos quase parados. Foram 45’ deitados à rua, com o Witsel a fazer de Javi García e o Carlos Martins, mas ambos parecendo um pouco perdidos em campo. A única situação a destacar é o remate ao poste do Salvio, depois de um toque de calcanhar do C. Martins. O Nacional fez vários ataques perigosos e poderia inclusive ter chegado à vantagem. Antes do intervalo, o C. Martins teve que ser substituído pelo Matic, porque contraiu a sua enésima lesão muscular.

E foi o sérvio que mudou o cariz do jogo na 2ª parte. Subimos no terreno, passámos a ganhar bolas no meio-campo contrário e a nossa baliza nunca mais passou pelas mesmas aflições do 1º tempo. O Matic foi o tampão a meio-campo que o Javi costumava ser. Chegámos à vantagem numa boa jogada do Maxi pela direita, que centrou para o Cardozo só encostar de cabeça aos 51’. A jogada começou uma óptima variação de flanco do Melgarejo. Cinco minutos depois, acabámos com o jogo com uma iniciativa fabulosa do Salvio pela direita e um centro milimétrico para a cabeça do Rodrigo. O Nacional ainda criou um ou outro lance, mas sempre com perigo relativo e mesmo no final da partida fizemos o 3-0, novamente pelo Cardozo, num remate rasteiro de pé esquerdo, depois de uma assistência do Aimar, que entretanto tinha entrado.

Terceiro jogo no campeonato, terceira vez que o Salvio é dos melhores em campo. Outro jogo fabuloso de um jogador genial e que é um prazer ver com a camisola do Glorioso. Referência também obviamente para o Matic, cuja entrada foi fundamental para a vitória, e para os dois golos do Cardozo (espero que não tenham sido os últimos, o mercado na Rússia demora tanto tempo a fechar…!). O Rodrigo voltou a mexer-se bem, mas o Enzo Pérez não me convence na esquerda. O Artur também não esteve perfeito (uma ou outra saída extemporânea e pouco habitual) e o Melgarejo não comprometeu. Ah, e é sempre um prazer quando o Aimar entra em campo: a bola fica logo com olhos.

O campeonato vai parar agora por três(!) semanas por causa das selecções (ainda não consegui que me explicassem porque é que não vai haver jornada no fim-de-semana de 15 e 16 de Setembro…), o que vai fazer com que o nosso próximo jogo seja já a 1ª jornada da Champions em Glasgow. Onde não vamos ter o Maxi por causa da expulsão em Chelsea…

1 comentário:

Benfiquista de Famalicão disse...

Acho rídiculo contínua insistência nesta táctica kamikaze que até com o Nacional cria problemas. Tem alguma lógica. Jogar com dois oitos no miolo e quatro jogadores no último terço do campo? Por amor de Deus é óbvio que perdemos o meio-campo. As rotinas defensivas continuam desastradas por mais que se tente pensar o contrário. Coisas à Jesus, vá-se lá compreender porque época após época insiste em erros tácticos completamente estapafúrdios.