origem

quarta-feira, setembro 15, 2010

Regular

Entrámos a vencer na Liga dos Campeões ao derrotar o Hapoel Telavive por 2-0. Foi uma vitória importante por tudo o que tem acontecido desde o início do campeonato e porque era um jogo em casa contra o adversário teoricamente mais acessível do grupo. Fizemos uma exibição sem grande brilhantismo, mas conseguimos o principal objectivo.

Mais uma vez, entrámos devagar na partida, o que já me parece fazer parte da táctica. Com a equipa ainda sem os níveis do ano passado e a falta de jogadores rápidos para as transições, provavelmente é melhor assim mesmo. O Hapoel ainda pregou dois sustos (e mais outro lance em que o Luisão é bem capaz de ter feito penalty), mas adiantámo-nos no marcador aos 20’ com um golão do Luisão à meia-volta na sequência de um centro do Carlos Martins. O golo tranquilizou-nos e até ao intervalo conseguimos dominar a partida, mas o adversário teve uma oportunidade de golo bem defendida pelo Roberto, que hoje esteve particularmente bem.

Na 2ª parte, voltámos a entrar pior que os israelitas e consentimos o domínio do nosso meio-campo. No entanto, nunca pusemos em perigo a nossa baliza. Equilibrámos as coisas a partir dos 15’, coincidindo mais ou menos com a entrada do Maxi Pereira que substituiu o Gaitán, e conseguimos o 2-0 aos 68’ num boa combinação entre o uruguaio e o Rúben Amorim com remate daquele para recarga do Cardozo. Até final da partida, baixámos o ritmo, mas os israelitas também quebraram fisicamente e o jogo ficou controlado. Mesmo assim, ainda vimos uma bola embater com estrondo no nosso poste.

Individualmente há que destacar o Luisão, Aimar e Carlos Martins. O capitão, não me canso de dizer, é um jogador insubstituível, já que alia um óptimo rendimento a uma liderança que não há ninguém em campo que dê. O argentino está a subir de forma a que não é alheia a sua boa condição física. Quanto ao Carlos Martins, é o principal responsável por o Benfica também ser perigoso nos remates fora da área. O Roberto também esteve bastante bem e fez a melhor exibição desde que chegou ao Benfica. O Rúben Amorim melhorou imenso com a passagem para o meio-campo na 2ª parte, mas esteve fraco enquanto defesa-direito. Com exibições abaixo do seu valor estiveram o Gaitán, Cardozo e Saviola. O primeiro esteve demasiado individualista, o Cardozo, tal como o Jesus disse no final, não está no seu melhor fisicamente, e o Saviola, apesar de ter corrido muito, passou muito ao lado do jogo.

Duas observações finais: acho INADMISSÍVEL que se assobie um jogador do Benfica quando vai entrar em campo e, portanto, ainda nem sequer tocou na bola. Aconteceu hoje com o César Peixoto. Para fazer isto, mais vale ficarem em casa. Quando ao Cardozo, tal como o próprio reconheceu, não pode mandar calar os adeptos depois de marcar um golo. O jogo não lhe estava a correr de feição e faço daqui um apelo ao paraguaio: ó Cardozo, é natural que entre seis milhões de benfiquistas haja alguns que deixem o cérebro em casa quando vão ao estádio e te comecem a assobiar porque estás a ter um jogo menos bom. Sem cérebro, não conseguem perceber que tu te vais tornar nesta época o melhor marcador estrangeiro da história do Benfica. Esquecem-se que tu marcaste 38 golos no ano passado! Não percebem que tu estás em campo para marcar golos e não para fazer grandes correrias. Um conselho: ignora-os, sff.

Espero que esta vitória tranquilize a equipa para o jogo de Domingo frente aos lagartos. Infelizmente, deixámos de ter margem de manobra e uma vitória é imprescindível. Espero é que seja uma partida de futebol normal, ou seja, em que tenhamos que enfrentar 11 (e só 11) adversários.

3 comentários:

Anónimo disse...

Permite-me que acrescente um comentário: " ".

Era este. Concordo contudo, principalmente com os dois últimos parágrafos. Só falta dizer que sobre o Gaitán também há uma grande penalidade que uns certos comentadores querem deixar passar com o "também toca na bola", convém que eles saibam ler as regras, porque a Lei 12 do futebol, fala em entradas perigosas e nunca em momento algum sublinha que se tocar na bola então não é falta. Mas são os comentadores que temos. Tivesse sido um bicho verde ou alguém com nome de ave e teria sido penalti claro.

VHugo disse...

Concordo com quase tudo, até na parte em relação ao César Peixoto, mas deixa-me discordar quando dizes que o Cardozo será o melhor marcador do campeonato. O Paraguaio este ano não marca mais de 15 golos no campeonato!


http://forcamagicoslb.blogspot.com/2010/09/uniao-das-tropas.html

S.L.B. disse...

Eu disse: "melhor marcador estrangeiro da história do Benfica"... Mas, se quiseres saber, também acho ele que vai voltar a ser o melhor marcador do campeonato.