origem

segunda-feira, maio 18, 2009

Eficácia

Vencemos em Braga (3-1) e garantimos o 3º lugar na Liga. Foi uma vitória justa num campo teoricamente muito difícil, em que revelámos um grande aproveitamento das três ofertas da defesa do Braga (duas deles do guarda-redes da selecção nacional, Eduardo). Quando se marca cedo é sempre mais fácil, mas mostrámos nesta partida, mesmo estando em vantagem, uma concentração superior à da Amadora, por exemplo. No entanto, mais uma vez fica um amargo de boca perante o que esta equipa seria capaz de fazer se jogasse sempre assim e o que acabou por conseguir.

Com os castigos do Luisão e do Aimar ainda estava menos confiante do que é habitual, mas os golos do Cardozo logo aos 7’ e depois do Di María aos 13’ tiveram o condão de me acalmar. Entre os dois ainda houve a lesão muscular do David Luiz, que fez entrar em campo o Urreta que foi dos melhores. O Braga tentou responder, criou perigo numa ou outra ocasião, mas nós nunca perdemos de vista a baliza contrária e, com os espaços que naturalmente surgiam, fomos criando perigo. A 2ª parte começou praticamente com o 0-3, numa grande jogada do Urreta depois de outro falhanço da defesa contrária. O Braga foi-se abaixo animicamente e a partida perdeu um pouco de velocidade. Mesmo assim ainda tivemos tempo para uma bola no poste a meias entre o Cardozo e um defesa. No último minuto, já fazia falta o golito sofrido, que desta vez surgiu na sequência de um penalty do Miguel Vítor.

Individualmente destaco o Urreta (excelente entrada na partida, um óptimo golo, muita ajuda defensiva e cruzamentos perigosos), o Cardozo (mais um golo) e o Moreira (que voltou à titularidade e fez uma ou outra defesa em que estou convencido que, se fosse o Quim, a bola entraria). O Miguel Vítor também esteve muito personalizado e o Di María mais objectivo do que é costume. Em plano menos positivo estiveram o Reyes (não sei até que ponto um toque na 1ª parte o deixou inferiorizado) e o nº 25 (que espero tenha realizado o penúltimo jogo de águia ao peito, já que com a lesão do David Luiz infelizmente teremos que levar com ele no próximo fim-de-semana).

Na última jornada lá vamos ter que mandar o Belenenses para a II Liga. Por princípio até teria pena, porque sempre é um clube de Lisboa, mas uma agremiação cujo speaker pediu uma grande salva de palmas para o maior mafioso do futebol português, quando o seu clube foi jogar ao Restelo este ano, deixou de merecer a minha simpatia. Outra coisa: o Cardozo está a três golos do melhor marcador do campeonato (Néné). Dado que este vai jogar ao WC na última jornada, talvez não fosse má ideia incluirmos no plano do jogo a possibilidade de proporcionarmos ao paraguaio o título de melhor marcador (não esquecendo que o Liedson está também um golo à sua frente). É que desde o Rui Águas em 90/91 que não temos um jogador nosso a ser o melhor marcador do campeonato...

P.S. – A arbitragem do Sr. Artur Soares Dias foi das coisas mais inenarráveis que assisti nos últimos tempos. Uma dualidade de critérios inacreditável, cartões amarelos cirúrgicos (cinco jogadores de um lado e outro vão ficar impedidos de alinhar na última jornada -o Braga ir jogar ao CRAC terá alguma coisa a ver com o assunto...?), a expulsão do Yebda em cinco minutos estando ele em campo há 11 e do Quique perto do final foi um festival de poderio do sistema. Nem com tudo decidido no final do campeonato descansam?!

P.P.S. – A selecção nacional que continue com este guarda-redes a titular e depois queixe-se...

1 comentário:

Rui Branco disse...

Que Quique Flores continue!