origem

segunda-feira, novembro 03, 2008

Masoquismo

Ganhámos em Guimarães (2-1) num jogo que deveria ter sido muito mais tranquilo do que o que foi. Como o CRAC perdeu com a Naval aumentámos a diferença para eles para 4 pontos, o que à 7ª jornada não está nada mal. Estamos em 2º lugar a um ponto do líder Leixões e espero que na próxima jornada, ganhando nós ao E. Amadora, continuemos a um ponto do líder Leixões... :-)

O Quique surpreendeu ao colocar o Aimar, que vinha de um mês sem jogar, de início e deixar o Nuno Gomes no banco. Confesso que no início me desgostou e surpreendeu esta decisão, porque acho que o nosso capitão não merecia, na forma em que está, ser relegado para suplente e porque tinha receio que o Aimar não estivesse no seu melhor em termos físicos. Continuo a achar que não foi justo para o Nuno Gomes, mas ao invés nem deu para notar que o Aimar esteve parado. Começámos o jogo de maneira excelente. Futebol (muito bem) ligado, boas movimentações e, na sequência de um passe magistral do argentino (de letra), o Suazo arrancou para a baliza contrária em contra-ataque, desembaraçou-se de dois defesas e fez um dos melhores golos do campeonato até agora. Isto foi aos 15’ e logo 3’ depois, na sequência de uma falta sobre o Aimar, o Reyes marcou um belo livre que encontrou a cabeça do Sidnei e daí só parou na baliza adversária. Estávamos a ganhar por 2-0 ainda antes dos 20’. Para uma partida que se antevia muito complicada não poderia ser melhor começo. O V. Guimarães continuou a quase não criar perigo e nós controlávamos completamente o jogo. Só que, caindo um pouco do céu, o adversário conseguiu reduzir o marcador aos 41’, num lance em que o Luisão tem culpas porque faz o carrinho e não corta a bola, e o Quim não cobre bem o ângulo mais próximo, embora o Douglas estivesse isolado. Como se não bastasse isto, e achando certamente que a partida precisava ainda de mais emoção na 2ª parte, o Reyes lembrou-se de levar dois amarelos em 5’ e fazer-se expulsar antes do intervalo. Ou seja, tínhamos o jogo mais que controlado e, nos últimos 5’ da 1ª parte, resolvemos ajudar o V. Guimarães a pensar em ganhar pontos.

Dado o historial recente de enormes dificuldades em segurar vantagens, estava bastante apreensivo para o 2º tempo. Só que numa ruptura completa com os jogos anteriores, fizemos uns últimos 45’ excelentes sob o ponto de vista defensivo. A equipa esteve bastante coesa, dando naturalmente a iniciativa aos vimaranenses, mas não permitindo a criação de oportunidades de golos. Também não deixámos de ter em vista a baliza contrária, enviando a bola para o Suazo e esperando que o tanque hondurenho criasse perigo, o que aconteceu por mais de uma vez. É um lugar comum dizer que são nestes jogos que se ganham campeonatos, mas por alguma razão assim é. Gostei bastante da capacidade de sofrimento da equipa, apesar de ela se ter posto nesta situação por culpa própria. Parece que, ao contrário de anos anteriores, esta época não só não falhamos em jogos importantes, como ainda nos superamos e aumentamos o nosso nível exibicional. O que é deveras reconfortante para mim. Só falta manter esta consistência nas partidas com os adversário teoricamente mais acessíveis para termos a equipa em cruise control em direcção a grandes conquistas.

Numa exibição bem conseguida colectivamente, é quase injusto fazer destaques individuais, mas mesmo assim vale a pena referir o Suazo e o Aimar. Combinaram muitíssimo bem e augura-se um grande futuro a esta dupla, se bem que nos jogos em casa, e contra equipas mais fracas, eu colocasse o quarteto Aimar – Reyes - Nuno Gomes - Suazo. Também gostei do Ruben Amorim (quando entrou o Carlos Martins, percebeu-se a opção inicial do Quique pelo ex-belenense) e da dupla Katsouranis – Yebda. O Luisão teve a falha do golo, mas foi importante a comandar a defesa, em que o Sidnei se afirma cada vez mais e até o nº 25 não esteve nada mal.

Acabo a falar da arbitragem do Sr. Carlos Xistra. Aqui mostrei as minhas preocupações, mas devo dizer que, comparando com o que eu já vi este senhor fazer, acabou por realizar uma arbitragem normal para o seu (péssimo) nível. Foi com espanto que eu ouvi no final nas rádios críticas tão incisivas à sua actuação, porque nos dois lances mais importantes acho que decidiu bem. O Aimar já vai em queda quando é tocado (embora eu aposte o meu braço direito em que se fosse na grande-área contrária, era marcado penalty) e o Reyes mereceu os dois amarelos. Mas depois, pensando bem, há um fora-de-jogo mal assinalado ao Suazo em que ele ficava isolado, o hondurenho é barbaramente agredido com um pontapé na cara e nem falta foi(!) e houve uma série de faltinhas inexistentes para permitir ao V. Guimarães bombear bolas para a área. Só faltou, de facto, marcar penalty ao Maxi e premiar o teatro do adversário. Como isso não aconteceu, eu já me dou por satisfeito com a arbitragem. Isto é o melhor que este senhor tem para oferecer.
Quando é que ele atinge, mesmo, a idade da reforma?

5 comentários:

Rui Branco disse...

Este Sr. Xistra, é daqui da cidade onde moro, Covilhã, é sportinguista dos 7 custados! Pela história da sua família o pai era um anti-benfiquista admirado por todos os da laia dele!
O Padrinho de casamento deste senhor é ao que consta, Valentim Loureiro... Querem que diga mais o que??? E eu que frequento a mesma barbearia que ele... Sei muito bem o que por lá se fala!!!

Pedro disse...

Yb acho q não é penalty sobre o Aimar mas o fora de jogo é uma aberração e a cotovelada ao Aimar foi nas trombas do árbitro...O pontapé ao Suazo não tem descrição...

Remate Cruzado disse...

e voces nao viram o pontape a la chuck norris de meireles em katsouranis...

S.L.B. disse...

Têm razão, esqueci-me da cotovelada no Aimar e no pontapé (acho que foi do Nuno Assis) no Katsouranis.

Rui Branco: eu dou graças por não me ter cruzado com nenhum Xistra ou Isidoros Rodrigues a seguir a jogos do Benfica arbirados por eles...

Rui Ferreira disse...

Olá amigo! Mais uma vitória daquelas que só nós é que temos no curriculum: a lutar contra tudo e contra todos!

Concordo com quase tudo o que disse e até no penalti do Aimar compreendo a sua alegação mas acho que ele não é nenhum forcado e não tem de aguentar firme e hirto para que o jogador do guimarâes lhe parta as pernas... mas ok!

Agora peço que olhe com atenção para o lance do primeiro amarelo do Reyes pois estou convencido que este nem sequer toca no adversário. No lance do segundo é típico de quem tem uma vontade engasgada de nos prejudicar ver uma agressão num lance apenas dividido e que acontece um azar.

No lance do fora-de-jogo a Suazo acho que é daquelas situações que são rápidas demais para termos a certeza de que viram que estava em jogo, acho apenas que se cumpriu a lei que vigora à muito "em caso de dúvida prejudica-se o Benfica".

Não percebo sinceramente o espanto e incredulidade dos Benfiquistas pois isto passa-se semana sim, semana sim e não só nesta jornada.

Se tiver oportunidade veja o lance que deu penalti a favor do leixões e principalmente o mesmo para o amadora!!! (será o fantasma de jardel?!!). e depois comente!!

Um abraço e o importante são não só vitórias mas a integridade do nosso clube que muito me orgulha