origem

domingo, janeiro 21, 2007

Coração

Foi preciso sofrer muito para conseguir eliminar o U. Leiria da Taça de Portugal. Ganhámos por 2-1 com os nossos golos a serem marcados já nos últimos 10 minutos e depois de estarmos a perder desde os 58’. Cheguei a pensar numa possível reedição do que se passou nas duas últimas vezes que fomos eliminados da Taça, ambas com derrotas em casa, mas felizmente conseguimos o (justo) apuramento na parte final.

Com o Miccoli (novamente) com problemas físicos, o Fernando Santos voltou a apostar no 4-3-3 com o Rui Costa a entrar de início e o Manú na direita. Mas ficou provado que, com estes jogadores e nesta altura da época, não podemos alinhar neste sistema. O Nuno Gomes fica muito desacompanhado na frente, o Manú pura e simplesmente não existe, o Rui Costa ainda não tem os níveis físicos ideais e por tudo isto a nossa primeira parte foi péssima. Entrámos lentos no jogo e só por uma vez conseguimos imprimir velocidade, o que resultou no nosso único lance de perigo: jogada do Simão pela esquerda, centro atrasado, remate do Petit que um defesa salva quando a bola ia na direcção da baliza e posterior recarga do Rui Costa de fora da área, para outra defesa do guarda-redes para canto. E ficámos por aqui. O que nos valeu foi que o Leiria também nunca criou perigo, dando mostras de estar a jogar para os penalties, com (muito) demoradas reposições de bola em jogo.

Na segunda parte entrámos melhor (também não era difícil…), mas sofremos um golo logo aos 13’ deste período. Foi na sequência de um livre para a área em que o Harison se antecipou à nossa defesa e bateu o Quim de cabeça. A partir daqui, acordámos para o jogo. O Fernando Santos trocou logo o Manú pelo Mantorras, que viria a ser decisivo no desfecho da partida. Começámos a jogar com muito mais velocidade e as oportunidades foram aparecendo. É notório que este ano rendemos mais com dois avançados em campo, o que torna imprescindível a contratação de mais um para suprir a saída do Fonseca. Com o Miccoli no constante joga-não joga e o Mantorras a ser impossível durar os 90 minutos, espero que consigamos no mercado alguém melhor que o Marcel… O Mantorras teve um bom cabeceamento pouco depois de entrar, na sequência de um canto, mas a bola saiu ao lado. Logo a seguir, a bola entrou mesmo na baliza, mas o angolano estava em fora-de-jogo depois de um cruzamento do Simão. Também o Katsouranis teve a sua oportunidade, mas cabeceou ao lado, quando estava em posição de dominar a bola em plena grande-área. Até que a 10’ do fim, um livre cobrado pelo Simão encontra um fio de cabelo do Nuno Gomes e estava feito o empate. A partir daqui, tive esperanças que o jogo nem chegasse a ir a prolongamento, porque estávamos muito empolgados e o Leiria quase não saía do seu meio-campo. E assim aconteceu, na reedição do milagreiro Mantorras. Depois de um mau alívio de um defesa contrário, o angolano mostra mais uma vez que tem o faro dos pontas-de-lança (podia era aumentar esse faro e ter mais atenção aos foras-de-jogo, mas isso é uma luta perdida…) e rodopia muito bem, ficando só com o guarda-redes pela frente. Depois, foi só batê-lo com um remate rasteiro de pé esquerdo. Foi o delírio no estádio a cinco minutos do fim. Até final ainda deu para o Harison ser (mal) expulso e para a standing ovation ao maestro, quando este foi substituído pelo Karagounis.

Individualmente, há que destacar o Mantorras, não só pelo golo que marcou, como pela movimentação que imprimiu ao nosso ataque. O Simão não esteve tão bem como em jogos anteriores, mas mesmo assim foi dos melhores e esteve nos dois golos. Toda a equipa subiu de produção na segunda parte, com duas excepções, mas que servem para o jogo todo: o Manú e o Anderson. Aliás, teremos um grande problema caso o Ricardo Rocha se transfira mesmo para o Tottenham, porque o brasileiro continua numa forma muito sofrível neste ano. Raramente ganhou bolas de cabeça e não é nada raçudo nas disputas de bola. Terá de vir necessariamente outro central, que espero não seja nenhum dos que temos para aí emprestados, nomeadamente o José Fonte. Quem é batido pela velocidade do Marcel (no E. Amadora – Benfica da pré-época no Restelo) não pode ter lugar no Glorioso…

Como “quem sai aos seus não degenera”, o treinador do clube regional B veio queixar-se da arbitragem no final da partida. É preciso ter lata! Depois de um início de campeonato VERGONHOSO em que o Leiria foi mais que beneficiado, tendo agora uma boa meia dúzia de pontos a mais, o Domingos ainda tem o desplante de falar de arbitragem. É verdade que o Sr. Lucílio Baptista é um dos maiores artistas que anda para aí, mas atribuir-lhe grande parte da culpa pela derrota é demais. Eu quero ver se para a semana, quando jogarem com a casa-mãe também se vão queixar do árbitro. Curiosamente quando um jornalista na conferência de imprensa (creio que foi o José Carlos Soares da Antena 1), perguntou ao delegado do Leiria (que disse que o árbitro era “internacional de aviário”) o que tinha achado da arbitragem no U. Leiria - Beira-Mar da 2ª jornada, a TSF (que era a única rádio a transmiti-la em directo) decidiu cortar a emissão, dizendo que estávamos numa “parte sem interesse” da dita conferência. Foi censura em directo, ou não fosse a TSF controlada pela Olivedesportos. O “sistema” também passa muito por isto.

10 comentários:

Anónimo disse...

o marcel nao é assim tao mau. neste sistema e com o nosso meio campo, ele pode ser alternativa.

Mavs disse...

Esquece lá isso do Marcel. Entre ele e o Delibasic, ou o Fonseca, ou o Manduca, etc, etc....

Anónimo disse...

Do outro lado do Atlantico fico ansioso pela cronica dos jogos do SLB até ler o teu blog. Aquele Abraço, HD

BP disse...

Vamos la ver quem (se é que vem alguém...) vem! o Rocha já saiu... pode ser que venha o puyol ou assim...

Anónimo disse...

MISERÁVEL GESTÃO DESPORTIVA
Quem me conhece sabe que não morro de amores por Ricardo Rocha, mas deixá-lo partir assim? Cometem-se os mesmos erros que em 2006. Lembram-se das dispensas de Manuel dos Santos e de João Pereira? Não, não eram estrelas, mas bem aproveitados até eram alternativas.... Este ano sucede o mesmo.
Depois de Alcides se ir embora, Rocha também vai. Ou seja, uma equipa que luta pelo título, pela taça e pela uefa fica com apenas 1 defesa direito e 2 centrais. E se alguém se aleija? No ataque é a pobreza franciscana que se vê. Jogar com Nuno Gomes é jogar com dez, tendo como suplente Mantorras. E continuamos a torrar dinheiro em pseudo - avançados...
No meio - campo, Rui Costa arrasta-se (já não tem velocidade para estas andanças) e faltam-nos alternativas válidas a Petit, Katsouranis e Simão. Curto, muito curto....
Pelas minhas contas, com um plantel tão curto, o cansaço virá ao de cima, por isso não estou muito optimista. talvez a Taça de Portugal, talvez....

UM EXCELENTE RESULTADO PARA UMA PÉSSIMA EXIBIÇÃO
Mais uma vez Mantorras salvou o Benfica, não só pelo golo que marcou, mas fundamentalmente por aquilo que jogou e fez jogar. Realmente é uma pena este jogador não ter pedalada para os 90 minutos, seria um caso muito sério, não fosse a incompetência de alguns.... Uma primeira parte horrível e uma exibição miserável foram as notas dominates dos primeiros 45 minutos. Já depois do golo da União de Leiria, a equipa acordou e conseguiu inverter o rumo dos acontecimentos, mas com muita sorte. Valeu-nos S.Pedro.... Mantorras.
Quanto aos destaques, não há muito a dizer. Simão, como sempre, acima dos outros; Nuno Gomes uma autêntica miséria ( e para mal do Benfica... sem alternativa); Nélson a precisar de uns valentes açoites já que comete asneiras atrás de asneiras a defender (e para mal do Benfica, também sem alternativa).
P.S: Louvo Fernando Santos pela coragem demsonstrada ontemno flash - interview. Finalmente, alaguém encara a verdade e afirma que Mantorras não tem capacidade para os 90 minutos de jogo.

Anónimo disse...

Esqueci-me de assinar: Maluco do Futebol

hla disse...

Realmente esta do Ricardo Rocha só se explica se ele fez muita força para sair. 5 milhões de euros?? Onde é que nos vamos buscar um central bom o suficiente para ser titular com 5 milhões de euros?? E isto depois de o Alcides ter ido embora?? E depois de o Luisão ter dito que o ciclo no Benfica está a chegar ao fim?? Enfim...

Maluco do Futebol, quanto ao Nuno Gomes acho que estás a ser injusto: todos sabemos que o Nuno tem muitas limitações e não é um matador, mas trabalha muito para a equipa, sacrifica-se muito entre os centrais adversários (principalmente quando joga sozinho na frente, como ontem) e abre muitos espaços com as suas movimentações. Pode não estar na melhor forma, mas é um dos jogadores mais importantes do nosso onze, e isso nota-se quando ele não joga. Quanto ao Rui Costa, também me pareceu muito preso de movimentos, mas não nos podemos esquecer que ele tem 34 anos e que vem de 3 meses de paragem. Dêem-lhe tempo, que o homem sabe o que faz e ainda pode ser muito útil.

Por fim, gostava de ver o Linz do Boavista no SLB. Parece-me um gajo bom e já está habituado ao futebol português (é capaz é de ser caro). Às tantas vamos buscar mais um brasileiro por uns milhões de euros, que vai demorar 6 meses a integrar-se e no início da próxima época já cá não está. Enfim...

Lá vamos ganhando, mas acho que andamos todos muito desmoralizados..

antitripa disse...

Era mesmo caso para dizer ao bofe - Ó Domigos....Paciência!

JAS disse...

Caro S.L.B.,

Não acho que o "sistema" também passe por isso. Para quê perder tempo com energúmenos como o director-desportivo do Leiria? Não vale a pena acicatar os ânimos.

A TSF fez bem em cortar essa parte. O tipo é um imbecil com tempo de antena. Qualquer frase que ele solte só pode ser absurda.

S.L.B. disse...

HD: não te esqueças de evangelizar uns quantos aborígenas em relação ao nosso Glorioso! :-)

JAS: é claro que o tipo é um imbecil, mas foi precisamente quanto ele estava a começar a gaguejar na resposta àquela pergunta que a TSF cortou a emissão. E aquela foi a pergunta mais interessante da conferência.