origem

quinta-feira, maio 25, 2006

10

Estes últimos dias foram de uma ansiedade quase incontrolável perante a perspectiva do regresso do verdadeiro dono do nº da camisola que ficou orfão há 12 anos. Propositadamente não fiz nenhum post sobre este assunto até agora, porque há quase dois anos escrevi isto e o regresso não se consumou. Não valia a pena estar a desafiar as superstições… Neste dia, há precisamente 18 anos, o Veloso falhou uma grande penalidade que nos poderia ter dado a Taça dos Campeões Europeus, mas o 25 de Maio foi hoje resgatado da sua má sina pela vinda do Rui Costa para o nosso glorioso clube.

É difícil descrever tudo o que me vai na alma neste momento. Dizer que é o concretizar de um sonho é um pouco redutor. O Rui Costa representa aquilo que todos nós gostávamos de ser, mas infelizmente não temos jeito para tal. Quando ele entra em campo, é como se nós entrássemos com ele, porque quem está a suar aquela bela camisola é um adepto igualzinho a todos nós, mas com a pequena diferença da sua enorme classe a jogar futebol. Por nos sentirmos projectados nele é que há uma grande cumplicidade entre os adeptos do Benfica e o Rui Costa. Apesar de todo o “profissionalismo” que um jogador deve ter nos dias de hoje, o Rui é provavelmente o último jogador à antiga, daqueles que (ainda) joga por amor à camisola. Um pequeno, mas elucidativo exemplo: assinou pelo Benfica em branco! Só depois é que soube quanto ia ganhar! Quantos de nós não fariam o mesmo? Podem dizer que ele já ganhou muito dinheiro na sua carreira, mas quantos não o ganharam também e mesmo assim não abdicaram de um determinado salário até pendurarem as botas? Assinar em branco? Incrível!

Não se deve depreender destas minhas palavras que eu acho que o profissionalismo do Rui não é relevante. Tanto o é, quanto a sua trajectória o demonstra. Quantos “10” de classe mundial reagiriam como ele reagiu à chegada do Kaká a Milão? Não só não se lhe ouviram nenhumas palavras amargas, como o próprio Kaká sempre disse que ele foi dos jogadores que mais apoio lhe deram. Mas uma coisa é profissionalismo e outra é sentir a camisola. O brilho nos olhos dele no momento da conferência de imprensa e, principalmente, da sua subida ao relvado não enganou. Quem ali estava era um benfiquista e não apenas um “profissional” de futebol.

A magia, a classe, a fineza, a simplicidade de processos e a fluidez de jogo voltaram! A bola vai ter olhos novamente e nós vamos ter o privilégio de testemunhar isto ao vivo durante (pelo menos) uma época inteira. Deliciemo-nos com passes bem feitos, remates colocados, corridas sempre sem olhar para a bola, mas sim para qual o colega que está desmarcado, o tornar o difícil fácil e, acima de tudo, o tsunami de inteligência que vai emanar daqueles pés. Ninguém está à espera que o Rui faça 10 golos e 20 assistências durante a época, nem que sequer esteja sempre os 90 minutos em campo. Também não acho que ele vá ser a panaceia para todos os nossos males ou que vamos ganhar tudo pelo simples facto de ele vestir as nossas cores. Mas basta que o Rui seja igual a ele próprio para que o sublime esteja sempre presente nos nossos jogos. E o sublime, meus caros, tem sempre que ser um apelido do GLORIOSO SPORT LISBOA E BENFICA!

Por tudo isto, não podia faltar a este momento histórico. Muito bem acompanhado por este, este e este grandes benfiquistas, vou poder dizer aos meus netos: eu estava presente quando o Rui voltou a casa!



P.S. – Aqueles que acham que o Rui não presta porque já tem 34 anos são provavelmente os mesmo que recusariam a Mona Lisa por ser um quadro velho, pintado há mais de 500 anos, ou que acham que o Sunrise não é uma obra-prima por ser mudo e a preto-e-branco…

14 comentários:

Anónimo disse...

Grande craque,
um jogador com coracao.Pena ser do benfica.

Excelente contratacao

Pedro Malaquias disse...

Vamos lá ver no que tudo isto dá... Foi bonito de se ver, ainda que tenha dúvidas da história do "assinei em branco".

Só espero que na sexta jornada ele não seja assobiado pelos adeptos que agora o aclamam. Eu lá estarei a apoia-lo... (sou capaz de ser das poucas pessoas que até o Beto apoiava)

antitripa disse...

Excelente essa analogia da Monalisa....Muito bem.

Estamos todos de parabéns, obrigado RUI!

JAS disse...

Sem dúvida, um retorno em grande.

Bem-vindo, Maestro!

(http://iliadabenfiquista.blogspot.com)

rui costa disse...

é pá obrigado mas se tão á espera que eu jogue e vos salve tão bem enganados, eu quero é ficar no banco, por isso não tarda nada invento uma lesão po resto da época...dps nao digam que nao acabei a epoca no benfica

Anónimo disse...

é que so vim porque o meu pai obrigou-me e espero um tacho depois no benfica a fazer de estátua tipo o eusébio, andar pra lá a me fazer de bom, alto trabalho e ainda me pagam

rui costa disse...

"Quantos “10” de classe mundial reagiriam como ele reagiu à chegada do Kaká a Milão? Não só não se lhe ouviram nenhumas palavras amargas, como o próprio Kaká sempre disse que ele foi dos jogadores que mais apoio lhe deram"

-> oh meu amigo mas esqueces-te que eu fiz birra quando o deco tirou-me o lugar na selecção, não me faças de santo que coisa, mania de voces de erguer estátuas a gajos!

S.L.B. disse...

És muito original, "Rui Costa". Tens mesmo muita graça... Não arranjas nada melhor para fazer na vida do que andares por aqui com comentários idiotas?!

antitripa disse...

SLB, são as características do Animal Azul!Aposto que de tão ruídinho que demonstra estar pelo apronto sequêncial de comments que já roeu o próprio chispe todo!Autofagia!

Tanque Silva disse...

A magia esta de volta . Muito obrigado Rui em nos fazeres continuar a acreditar na magia do futebol !!!!

MB disse...

Desde o último jantar de bloguiquistas que também vinha alimentando a esperança no regresso do "10" ao Glorioso. Desde o Valdo que não tinhamos "maestro":)

GR1904 disse...

O Rui não se limita a "tocar" os benfiquistas por ser um índio como nós, um adepto fervoroso do Benfica. É que para além de toda a classe que demonstrou como jogador, fê-lo tb como pessoa e homem num mundo futebolistico onde prima a arrogancia, o vale-tudo e a critica destrutiva de um meio industrializado por negocios que sobrepõe desenfreadamente a razão à paixão.

antripas disse...

mb atao o simao na é o "maestro" do benfica dos ultimos anos ?

Olinda disse...

Adorei o teu texto, e podes dizer aos teus netos que eu (www.photoblog.be/allexandra) tambem lá estava. E quero ainda informar-te que o site www.ruicosta10.com está quase on line e com pretenções de ser o oficial, já com guestebook e uma petição á espera da tua e de mutas mais assinaturas passa por lá...