origem

segunda-feira, dezembro 12, 2005

Motivação

O que não vale uma magnífica vitória europeia! Aproveitando a embalagem adquirida frente ao Manchester United, ganhámos ao Boavista por 1-0 com um golo do Anderson e devemos ter feito a melhor exibição da época para o campeonato no Estádio da Luz. Apesar de o resultado ser escasso, a vitória foi mais que justa. A par do lado físico, a motivação é certamente um dos factores mais importantes no rendimento de uma equipa e, tal como na 4ª feira, foi isso que determinou o nosso triunfo. O elemento que melhor exemplifica este conceito é sem dúvida o Geovanni, que parece outro jogador e voltou a ser o melhor do Benfica.

Confesso que estava com bastante receio deste jogo, principalmente por temer as sequelas da histórica vitória a meio da semana. Quantas vezes no passado, a seguir a um jogo europeu que nos tenha corrido bem, nós facilitávamos no regresso do campeonato? Felizmente, mais uma vez, os meus receios eram infundados e não só começámos o jogo muito pressionantes, como mantivemos essa pressão novamente durante os 90 minutos. Como não se mexe em equipa que ganha, o Koeman optou por manter o mesmo onze de 4ª feira, só com a alteração forçada do Luisão (lesionado) pelo Ricardo Rocha. Voltámos a ter uma dinâmica atacante muito boa durante a 1ª parte, conseguindo 12 cantos e marcando o golo da vitória no último. Com o Geovanni a ponta-de-lança, a velocidade aumenta imenso, já que os seus famosos piques são sempre mais directos à baliza. Na 2ª parte, o nosso ritmo manteve-se elevado e criámos alguns contra-ataques bastante perigosos que, se tivéssemos um pouco mais de concentração, poderiam ter ajudado a dilatar o marcador. A equipa esteve toda bem e actuou como um bloco quer a defender quer a atacar. A generosidade entre os jogadores é algo que salta à vista de qualquer espectador. Se tivesse que fazer destaques individuais, para além do Geovanni, salientaria a exibição do Petit (que não deixa nenhum adversário passar por ele e se farta de cortar bolas), do Alcides (que voltou a apoiar muito bem o ataque e tem pormenores técnicos surpreendentes para um jogador com a sua altura) e do Anderson (deu-nos o golo da vitória, de cabeça na sequência de um canto já perto do intervalo, e juntamente com o Ricardo Rocha não permitiu veleidades aos atacantes do Boavista durante a 2ª parte). Mas, como disse, toda a equipa esteve em plano muito elevado.

A óptima medida da Direcção de “na compra de um bilhete oferecer outro” permitiu que o estádio estivesse com uma assistência muito superior à habitual (50.741 espectadores). O entusiasmo foi bastante grande e não há dúvida, como diz o Koeman, que assim não é fácil ganhar-se ao Benfica. Espero que esta medida não seja única, porque ver o jogo num estádio quase cheio é outra coisa. Além disso, a receita será certamente maior, porque haverá mais gente a querer ir se puder dividir o preço de um bilhete com outra pessoa. Ou seja, ganha-se em termos de assistência e recebe-se de certeza mais em termos de bilheteira.

A única coisa que não gostei acerca do jogo de ontem foi dos assobios do público ao João Pinto. O D’Arcy já tinha escrito um post (que eu subscrevo na totalidade) acerca do regresso dele à Luz. Muito lhe devemos durante os oito anos que esteve no Benfica, foi capitão de equipa durante cinco deles, podia jogar melhor ou pior, mas nunca lhe vi fazer um frete em campo e desde que saiu do Benfica jamais lhe ouvi ou li uma palavra de menor respeito para com o nosso clube. Provavelmente ainda hoje estaria no Glorioso se o maior cancro que passou pelo nosso clube não se lembrasse de o despedir, numa medida que foi um dos maiores erros desportivos de sempre. Curiosamente (ou talvez não) na época seguinte terminámos num infame 6º lugar. Não tenho memória curta e devemos estar-lhe gratos pelos bons momentos que nos proporcionou com a camisola do Benfica, mesmo que depois tenha sido empurrado para vestir outra camisola bem mais feia. No entanto, gostei de ver alguns aplausos (no meio dos assobios) quando ele foi substituído.

P.S. – O 12º jogador do clube regional, o Sr. António Costa, continua em grande forma. Depois de não ter visto um penalty do tamanho do mundo do César Peixoto sobre o Carlitos (no Gil Vicente-clube regional de há duas jornadas), hoje voltou a fazer das dele. A dez minutos do fim, o N’Doye do Penafiel domina a bola com o peito ainda no seu meio-campo no jogo frente ao V. Guimarães. O Sr. António Costa considera que foi com o braço e mostra-lhe o segundo amarelo (mesmo que tivesse sido com o braço não era deliberado e nunca seria para cartão). O N’Doye, sem dúvida o melhor jogador do Penafiel, sai do campo em lágrimas perante a injustiça e já não vai poder repetir a façanha de marcar um golo no estádio onde o seu clube vai jogar para a semana (no ano passado marcou lá um golo pelo Estoril). Não preciso dizer qual será esse estádio, pois não?! Apito Dourado, where art thou?

9 comentários:

GR1904 disse...

O JVP deu-nos muitas alegrias enquanto jogador do SLB. Não fui contra a sua saida do Benfica, apenas não concordei com a forma como saíu. No entanto, não me esqueço de quando ele foi campeão pelo scp, saltou ao som de "quem não salta é lampião" no alto da varanda da CML. O Paulo Bento, ao lado dele, manteve-se quieto. Não o assobio. Mas o tempo em que lhe batia palmas, já passou. Há muito.

Telmo disse...

Não sejamos fundamentalistas a esse ponto, eu acho muito bem que o JVP saltasse e festejasse quando foi campeão pelo Sporting, ou vamos esperar que ele no momento em que conquista um campeonato fique quieto e com cara triste em honra do Benfica?
Quem o assobiou ontem teve muito mal e deviam ter vergonha por serem tão ingratos.

jkd disse...

Apesar da sigla indiciar facciosismo, há que reconhecer que ainda não li neste blog um único post que não produzisse uma análise lúcida. O mesmo não se diga dos comments, mais isso é outra conversa. Parabéns ao s.l.b. pela coragem de defender JVP. Já agora, como sportinguista, uma pergunta ao s.l.b.: era necessário o benfica sofrer um minuto que fosse ontem à noite depois de tão esmagador domínio? Recordo que o boavista fez o 1º remate enquadrado com a baliza aos 85 m!

S.L.B. disse...

GR1904: durante um jogo é impensável bater palmas a um jogador que joga contra o Benfica (nem que seja o Rui Costa), mas na altura da substituição acho que o JVP teria merecido uma ovação ou, pelo menos, nunca deveria ter sido assobiado. Quanto aos saltos dele, concordo com o Telmo. Se tivesse gritado injúrias ao nosso clube, aí já estaria mais de acordo contigo.

JKD: como escrevi logo no 1º post deste blog, tenho a sorte de ter como iniciais S.L.B. :-) Não me considero faccioso (acho que sei ver quando o Benfica é beneficiado), posso ser é fanático. Seria muito injusto se não tivéssemos ganho o jogo de ontem, depois do domínio avassalador que tivemos e nesse sentido concordo contigo, o sofrimento não era mesmo necessário.

D'Arcy disse...

A vitória é incontestável, e saí muito satisfeito do estádio. Se a equipa mantiver a mesma atitude quando as 'estrelas' regressarem, de certeza que ainda vamos ter muitas alegrias esta época.

Mas fiquei mesmo muito triste com o que fizeram ao JVP.

Bem Litrado disse...

O importante nesta fase, foi conseguido: os 3 pontos. Geovanni surpreende os mais acérrimos críticos. Será que temos homem para aquela posição? Parece que sim, pelo que esta opção deve continuar.
Quanto ao JVP e como já disse, também não tenho memória curta pelo que concordo inteiramente com as opiniões expostas pelo SLB e pelo d'Arcy, corroboradas por muitos outros benfiquistas, felizmente.

GR1904 disse...

jkd, eu admito de forma veemente que sou faccioso. Não tenho problemas nenhuns com isso. Sempre vivi e sofri pelo SLB assim e certamente assim será até ao fim. No futebol, o sal está na rivalidade. Sem ela, isto perde muito do seu encanto. É como o fado que sem o som da guitarra perde-se nas suas prosas. Repito para quem não leu com olhos de ler o meu primeiro comment deste post que não assobiei o JVP, pois sei bem o que ele deu ao clube enquanto cá esteve. A lucidez tb se revela nas (boas) leituras que se fazem.

jkd disse...

Rivalidade é diferente de facciosismo. Por exemplo, gosto muito de ver o benfica e o porto a serem prejudicados por arbitragens. Mas quando isso acontece, pese embora a minha imensa alegria, reconheço que são prejudicados (aconteceu frente à Naval, por exemplo). Exactamente porque não sou faccioso. Se fosse, só vinha aqui ler-vos após o sporting-benfica, braga-benfica, benfica-gil vicente, etc.

Pl@ka disse...

O Benfica ontem fez talvez a melhor exibição para o campeonato em casa. Melhores só nas Antas (a melhor), e em Manchester e Villareal! Quando as estrelas voltarem antevejo muita coisa boa! Jogadores como Manuel Fernandes, Simão, Miccoli e Karagounis em boa forma fisica e mental são grandes jogadores em qualquer equipa e fazem sempre falta! Mas, estes jogadores de "segunda linha" motivados estão agora a jogar muito bem! Quanto ao João Pinto não o defendo tão fortemente, não tem directamente a ver com o jogador, mas com a pessoa que nunca apreciei! Não esqueço o excelente jogador que foi, quantos jogos magnificos e bastava falar no fantástico 3-6 em Alvalade! Mas, também me lembro dos rumores de mau ambiente no balneário com outras estrelas... mas, seria melhor não ser assobiado, nem aplaudido! Quanto á forma que saiu, nós sabemos que Vale Azevedo não se respeita a ele... quanto mais os outros! Abraço!