origem

sábado, dezembro 04, 2010

Exibição miserável

E o futebol tem destas coisas: a pior exibição desta época (da era Jesus?) correspondeu a uma vitória 2-0 frente ao Olhanense. Costuma dizer-se que se salvou o resultado, mas depois do jogo que fizemos no passado Domingo em Aveiro, não estava nada à espera de ver isto… A sensação que deu, durante a maior parte do encontro, é que os jogadores do Benfica estavam a fazer um frete em campo. Faltou garra, faltou alegria, faltou vontade, faltou tudo aquilo que tivemos a rodos no ano passado.

A equipa foi praticamente a mesma de Aveiro (com o Aimar no lugar do Carlos Martins), o que torna as coisas ainda mais incompreensíveis. Espero que tenha sido só uma noite má, porque não é com exibições como esta que conseguiremos algo este ano. Até ganhámos esta partida, mas se jogarmos assim frente ao Schalke e ao Braga duvido muito que vençamos. Quando a primeira jogada de jeito é feita aos 40’ está tudo dito. Graças ao Moretto e ao seu frango monumental (retiro imediatamente todo o mal que sempre disse dele…), conseguimos ir para o intervalo em vantagem com mais um golo do Cardozo, que assim igualou o Magnusson como o maior goleador estrangeiro da história do Benfica com 84 golos (continuem a dizer que ele não corre, não presta, não se esforça, etc…). Mas foram do Roberto as duas mais difíceis defesas da 1ª parte.

Na 2ª parte, o Jesus colocou o Carlos Martins no lugar do Gaitán e as coisas melhoraram, mas pouco. Continuámos sem velocidade nenhuma, sem criar desequilíbrios atacantes e a deixar correr o marfim. O que vale é que defendemos melhor e o Olhanense praticamente não criou perigo, com excepção de um golo (bem) anulado por fora-de-jogo. Com a entrada do Salvio para o lugar ao Aimar, conseguimos ter um pouco de velocidade e a criar algumas oportunidades. O Cardozo atirou ao poste e marcámos o chamado golo da tranquilidade aos 81’ pelo Saviola, na sequência de um canto do Carlos Martins com desvio do David Luiz ao primeiro poste. Até final, não fizemos mais nada de relevante e este jogo vai entrar rapidamente na galeria daquele que é melhor mesmo só relembrar o resultado.

Com uma exibição destas, quase nem que apetece destacar ninguém em termos individuais, mas achei o Rúben Amorim dos menos maus e o Roberto importante para não ficarmos a perder logo na 1ª parte. Ah, e apesar de nem sempre ter feito tudo bem, o Cardozo lá marcou mais um e atirou outra bola ao poste. Ou seja, cumpriu a sua principal função.

As próximas duas partidas vão ser fundamentais na época: conseguir a qualificação para a Liga Europa e seguir em frente na Taça de Portugal é o mínimo que se exige aos jogadores nesta altura. O Jesus olha para os números do campeonato e diz que estamos apenas com menos três pontos que na época passada. Sim, é verdade, mas convém olhar um pouco mais além: também durante o Mundial da África do Sul, houve quem ficasse contente com o empate de Portugal frente à Costa do Marfim e se risse da derrota da Espanha frente à Suíça, quando as exibições das duas selecções foram diametralmente opostas e anteciparam o que acabou por acontecer depois. Não melhoremos o nosso nível exibicional e depois venham chorar no final da época…

3 comentários:

Seismilhoesum disse...

É INDISFARCÁVEL, repito, INDISFARCÁVEL que ALGO (quinhentos mil?) se passa! Se sim, acho lamentável por parte dos merce ,,, perão, atletas!

VHugo disse...

Preferes o jogo de ontem, ou como o de Braga do ano passado em que jogamos imenso e levamos na tromba?

http://forcamagicoslb.blogspot.com/2010/12/missao-cumprida.html

S.L.B. disse...

VHugo: remeto-te para o segundo parágrafo do post. Em Braga no ano passado fomos roubados (golo limpo anulado ao Luisão) e, por isso, é que perdemos. Com exibições como a de ontem, ganhamos um jogo em dez.