origem

quarta-feira, dezembro 08, 2010

D-e-p-l-o-r-á-v-e-l!

A segunda exibição vergonhosa no espaço de quatro dias custou-nos uma derrota caseira (1-2) frente ao Schalke. Só não saímos das competições europeias porque o Lyon marcou aos 88’ e assim empatou com o Hapoel de Telavive, caso contrário o opróbrio seria muito maior.

Como já disse aqui, se há coisa que eu não desculpo aos jogadores do Benfica é exibirem falta de vontade em campo. Tudo o resto pode falhar, menos a vontade de lutar por um resultado melhor. É inadmissível a 1ª parte que fizemos. A má escolha da equipa por parte do Jesus não pode ser vir de desculpa. Parecia que os jogadores estavam simplesmente a fazer um frete em campo. Sem velocidade, sem alegria, sem garra, sem capacidade de luta foi um z-e-r-o absoluto. Claro que só poderíamos ir para o intervalo a perder.

A 2ª parte continuou na mesma toada apesar das duas substituições logo no início. Não saía nada bem, mas os jogadores também não se esforçavam muito para que tal acontecesse. Em França, o Lyon marcou primeiro, mas o Hapoel ripostou logo e com dois golos. Na Luz, o Schalke fazia o 0-2. Só nessa altura é que os jogadores do Benfica se dignaram a jogar um bocadinho à bola. Claro que foi tarde demais. Apenas conseguimos marcar um golo, o que naturalmente não impediu uma derrota lamentável em casa.

Já terão reparado que não mencionei nenhum jogador do Benfica e não vou fazê-lo até ao final do post. Acho que o mínimo que deveriam fazer era darem ao clube os 800.000€ que perdemos hoje. Já que não lutaram pelo prestígio, não lutaram pela honra, não lutaram pela camisola que envergam e, com isso tudo, custaram essa quantia ao clube, ao menos que assumissem isso e a repusessem. As consequências desta exibição miserável só as veremos no dia do sorteio, já que não seremos cabeças-de-série no sorteio da Liga Europa e entre o Liverpool e o Steaua de Bucareste, por exemplo, há uma pequena diferença…

O Rui Costa foi à sala de imprensa no final do jogo assumir responsabilidades pelo fracasso desta participação na Champions. Só lhe fica bem. Relembrou que ainda estamos envolvidos em quatro competições e prometeu que ninguém lá dentro vai baixar os braços. Espero sinceramente ver isso reflectido em campo, já que estes últimos dois jogos deixaram-me seriamente apreensivo. E o que mais me preocupa é ver o Jesus dizer uma coisa nas conferências de imprensa antes dos jogos ("ir longe na Liga Europa") e suceder exactamente o contrário em campo no dia seguinte. Caso não arrepiemos caminho e demonstremos vontade em… jogar à bola(!), esta época vai ser muuuuuuuito longa… E bem podem falar nos três pontos que temos a menos do que no ano passado, que tenho a certeza que o grau de preocupação dos adeptos não vai ser nada amenizado. Há um ano estava mesmo a ver-se (vá… com bastante probabilidade) o que iria acontecer, este ano é a mesma coisa. Só que, neste caso, infelizmente.


P.S. - Há coisas que sinceramente não entendo… Por uma questão de princípio, nunca assobiei nem assobio um jogador do Benfica (e hoje essa questão de princípio foi o que me valeu mesmo…), mas nem tanto ao mar nem tanto à terra. Cheguei a ouvir palmas no final da partida! Desculpem?! Come again?! Depois daquilo ainda se bate palmas?! Ou as palmas eram para o Lyon e eu não percebi?

4 comentários:

Pedro disse...

Sou incapaz de assobiar mas hoje tb não os aplaudi. Não mereceram!!!!

hla disse...

Eu aplaudi dois jogadores.

Um deles porque deu tudo em campo (e se isso normalmente é um mínimo exigível, quando a maior parte deles se anda a arrastar em campo ter lá alguém que ainda luta é de louvar). Correu, lutou, gritou com os colegas, esbracejou e até abriu os braços para o céu como que a pedir a sorte que mereceu e não teve. Infelizmente não consegue jogar sozinho.

E o outro pela coragem que é preciso para ir ao centro do relvado aplaudir os adeptos sabendo desde logo qual vai ser o resultado dessa acção. Porque ser capitão é isso mesmo. Porque foi dos (muito) poucos que ainda lutou e porque tem sido, desde o início da época, uma das razões para os tempos não serem ainda piores.

No meio de tanta miséria, há-que saber distinguir quem merece de quem não merece. E entre assobiar uma dúzia de jogadores porque não correm, virar costas a todos eles ou aplaudir dois quando merecem os aplausos, eu opto por aplaudir os dois que merecem. São opções.

VHugo disse...

É por aplaudi-los nestas alturas que eles gozam!

http://forcamagicoslb.blogspot.com/

hla disse...

É por haver quem pense assim que o César Peixoto é assobiado antes sequer de ter oportunidade de fazer asneira ou o Cardozo é assobiado quando falha um golo depois de marcar três num jogo.

O que vale é que nem toda a gente é assim.