origem

segunda-feira, agosto 03, 2020

Vexame

A selecção da Holanda, perdão, o Benfica foi derrotado pelo CRAC por 1-2 na final da Taça de Portugal no passado sábado. Foi a ‘cereja no topo de (um dos piores) bolos’ da nossa gloriosa história, uma época absolutamente pavorosa cujas explicações vou aguardar para nos serem dadas.

 

Não, a vergonha não é perder uma final pela vantagem mínima para o campeão nacional. A vergonha é, depois de tudo o que se passou na temporada, depois de sete pontos de vantagem atirados ao ar, disputar uma final da Taça perante o adversário que nos tirou o título e apresentar aquele futebol, aquela garra e aquela (falta de) vontade de vencer! Vergonha é conseguir perder uma final depois de o adversário ficar a jogar com 10 aos 38’! Vergonha é ter a capacidade de sofrer dois golos de um adversário em inferioridade numérica! Vergonha é não se demonstrar por uns quantos minutos que fosse durante o jogo todo que se merecia ganhá-lo! Vergonha é fazer-nos a todos sentir que, se aquela bola ao poste do Jota já na compensação entrasse e houvesse prolongamento, isso seria uma injustiça (apesar de, obviamente, eu viver muito bem com isso)!

 

Numa partida muito fraca, o CRAC foi ligeiramente melhor enquanto estiveram 11 para 11. Depois de o Sr. Soares Dias ter mostrado o segundo amarelo (e bem, já que até seria vermelho directo) ao Luis Diaz, praticamente em cima do intervalo, passámos a ter naturalmente maior posse de bola, mas sem criar grandes oportunidades. A 2ª parte começou pessimamente, com um frango do Vlachodimos aos 47’ (soca mal uma bola quando só estava rodeado de jogadores do Benfica) num livre para a nossa área e o Mbemba a fazer o 0-1 de cabeça. Logo aí, pela expressão facial dos jogadores do Benfica, se viu que seria muito complicado dar a volta àquilo. E ainda faltava praticamente toda a 2ª parte para jogar! Pior se tornaram as coisas aos 58’ quando, em novo livre para a nossa área, o Mbemba bisou novamente de cabeça. Com as entradas do Taarabt e Carlos Vinícius por volta da hora de jogo, as coisas melhoraram um pouco, porque aquele conseguiu finalmente levar o nosso jogo para a frente. O melhor marcador do campeonato falhou um golo inacreditável ao cabecear pessimamente a bola num cruzamento do André Almeida a cerca de 15’ do fim, mas bateu bem o penalty por falta sobre o Rafa aos 84’, reduzindo a vantagem do CRAC. Já na compensação, o também entrado Jota teve o tal remate de primeira de pé esquerdo ao poste, que teria levado o jogo para um injusto prolongamento.

 

Foi abster-me de fazer apreciações individuais e termino só com o seguinte:

- Alguém considerou que, com a saída do Bruno Lage, o seu treinador-adjunto seria uma boa escolha para o que faltava jogar da temporada, nomeadamente a importantíssima final da Taça de Portugal.

- Alguém considerou que, com a saída do Bruno Lage, o responsável pelo treino das bolas paradas (que tão bons resultados deu durante a época...) seria o melhor para nos permitir ganhar a segunda prova mais importante do calendário nacional. (Que perdemos, oh que surpresa(!), em dois lances de bolas paradas...!)

- Alguém considerou que, com a saída do Bruno Lage, a equipa ficava bem entregue a quem diz, na véspera desta final, que este não era “o jogo mais importante da época” (nem é preciso comentar...).

 

Claro que alguém deveria ser responsabilizado por esta vergonha que se passou no sábado. E, obviamente, pela péssima época que fizemos!

 

P.S. – Agora a sério, que m**** de equipamento é aquele?! Vermelho alaranjado?! Sem um pingo de branco na camisola?! Números a preto nos calções?! Patrocínio da Emirates a preto sobre vermelho alaranjado que faz com que pura e simplesmente seja indecifrável à distância?! Que o marketing da Adidas precise de inovar eu ainda compreendo, mas que não haja ninguém responsável do Benfica que olhe para aquilo e diga “eh, desculpem lá, mas nem pensar!” isso é absolutamente incompreensível! É o equipamento principal do clube, PORRA, “vermelho e branco”(!), é assim tão difícil de entender?!?!

 

Quem acha que basta ter o emblema do Benfica para um qualquer equipamento ser bonito, suponho que não se importe que no futuro a camisola alternativa passe a ser toda verde ou azul, certo?!

6 comentários:

A Lei do Oeste disse...

A propósito do inenarrável equipamento apresentado (não tem nada que se aproveite e até dou de barato que o emblema pudesse ser assim em termos de marketing, mas todo o resto nâo!!), houve tempos que o equipamento alternativo foi mesmo azul! Até motivou que o "responsável" pela ideia viesse dizer que era azul, sim, mas "azul à Benfica" :-)

Anónimo disse...

Razão em tudo o que diz. Só quem é vieirista doente é que não vê.
Das vergonhas e desgostos com que as «princesas» (e não esquecendo as responsabilidades dos desmandos de Vieira e da incompetência da espécie de treinadores que se revelaram Lage e Veríssimo) nos presentearam esta época, estamos mais que falados. Já me irrita e enjoa falar deles.
Relativamente aos equipamentos (o principal e o outro), aquelas vergonhas são mais um atentado ao Sport Lisboa e Benfica, e mais um dos muitíssimos episódios de desprezo pelos benfiquistas, coisas em que o senhor Luís Filipe Vieira (que um dia teve o descaramento de perguntar ao nosso Alberto Miguéns quando é que deixava de «trabalhar para essa merda de clube?», leia-se o Benfica) e seus muchachos são useiros e vezeiros.
Temos de correr com esta canalhada do nosso clube. Já deixei a proposta no Blogue do Alberto e quero deixá-la aqui: os benfiquistas que não querem mais Vieira deveriam formar um movimento que desse força aos candidatos opositores e garantisse que ele, a sua equipa e os seus bobis e tarecos serão, efetimanente, corridos.

S.L.B. disse...

@A Lei do Oeste: claro que me lembro desse equipamento na época em que o Vale e Azevedo perdeu as eleições para o Vilarinho. E a nova direcção da altura tomou a decisão lógica, assim que tomou posse, de o pôr de lado e recuperar o alternativo prateado do ano anterior. Veremos se a história se repetirá...

Nau disse...

Também não gosto dos equipamentos. O abastardamento do colorido do emblema, o símbolo principal do clube, é um descarado desrespeito aos Estatutos e ao Regulamento Geral. A «estrutura» tinha prometido alterar o emblema; o colorido foi o primeiro passo - a ver se pega.
Eu digo não!

Anónimo disse...

a seleçao da holanha klol essa foi boa man

joão carlos disse...

Sobre as bolas paradas nem vale a pena voltar a falar depois de um ano inteiro jogo após jogo sempre a falar do mesmo até nós adeptos até nos cansamos de estar a falar sempre da mesma coisa o que pelos vistos foi, e é, tão evidente para tantos adeptos sem conhecimentos nenhuns de futebol, sem ser o de ver jogos, nunca o foi para quem é profissional de futebol e isso diz muita coisa do que se passou.
Este treinador é responsável por algumas coisas mas dentro daqueles que tem culpas no que sucedeu ele é o que tem menos e tem muita gente á frente dele para as assumir, alias que as deveria assumir, mas como sempre ninguém vai dar explicações de nada nem assumir nada, porque isso seria assumir erros e como sabemos quem lá esta não comete erros, alias as virtudes são sempre de quem dirige o clube os erros são sempre dos outros por isso o melhor é ficares sentado, para não te cansares, se estas á espera de que venha alguém dar explicações do que quer que seja.
Sobre o equipamento acho que tudo o que de pior se podia colocar num equipamento principal foi feito e é a consequência de se querer ter o máximo valor de patrocínio nem que para isso se tenha de aceitar com tudo o que eles querem, e com este equipamento o melhor é pro moverem uma alteração no hino, não oficial, em vez de papoilas saltitantes mudar para laranjas saltitantes, quer dizer agora nem saltitantes são.