origem

quinta-feira, junho 18, 2009

Actualidade gloriosa

Porque eu não gosto de fazer posts repetidos em dois blogs, aqui vão os links sobre o que eu penso acerca da saída do Quique / possibilidade da vinda de Jorge Jesus (aqui), as eleições antecipadas (aqui) e a efectiva contratação de Jorge Jesus (aqui). Quanto a este último tema, e para se perceber melhor a minha posição, convém relembrar estes momentos:

Benfica - Braga (declarações de JJ a partir de 2:10)

Braga - CRAC (declarações de JJ a partir de 3:05)

CRAC - Belenenses (declarações de JJ a partir de 2:20). O escandaloso fora-de-jogo vê-se melhor aqui.

domingo, junho 07, 2009

Olha, a selecção ganhou!

É verdade, parece mentira, mas não é. A selecção nacional ganhou em casa da poderosa Albânia (2-1) e, aproveitando a derrota caseira da Suécia frente à Dinamarca, está agora com três pontos de vantagem em relação àqueles. Continuamos com a corda ao pescoço, mas deixámos de ficar roxos. Ganhando os dois jogos frente à Hungria, que está em 2º lugar e a quatro pontos de distância e não perdendo na Dinamarca, temos boas hipóteses de ficar em 2º lugar.

Só que... a jogar como voltámos a jogar frente ao albaneses, podemos tirar o cavalinho da chuva. Foi mais uma partida que mostrou a valia do Professor Queiroz, nosso selecionador. O outro é que era burro, mas este tipo, que justificou no passado a não-convocação do Nuno Gomes (e do Postiga, já agora) pela não-titularidade nos seus clubes, vem agora colocar o Boa Morte (?!) a titular (foi uma desgraça himalaica), já para não referir o Ricardo Carvalho, Deco e Pepe que, se há coisa que têm feito nos últimos tempos, essa não é certamente jogarem muito nos seus clubes. Atenção que eu não estou contra a titularidade destes três hoje, mas onde é que anda a sua coerência, Sr. Professor?!

Marcámos na 1ª parte pelo Hugo Almeida depois de uma fífia inacreditável de um defesa, mas um minutos depois eles empataram. E nós só voltámos a marcar quando o guarda-redes adversário se armou em Ricardo e o caceteiro-mor do futebol português imitou o Luisão. Vá lá, foi a primeira coisa de jeito que o Bruno Alves fez na carreira, menos mal. Mas isto aconteceu aos 92'! Ou seja, livrámo-nos de boa. O que vale é que a Federação já veio dizer que o lugar de treinador está garantido qualquer que seja o resultado do apuramento. Ainda bem, não é bom destoar já que a (in)competência costuma ser bem premiada no nosso país.

Basquetebol

Catorze anos depois voltámos a conquistar o campeonato com uma vitória limpinha na final (4-0) frente à tricampeã nacional, a Ovarense. A todos que tornaram isto possível, nomeadamente ao Carlos Lisboa, ao Henrique Vieira, aos jogadores e a toda a secção, os meus mais sinceros parabéns. A mística do Benfica também passa (e hoje em dia quase em exclusivo, diria eu) pelas outras modalidades.

Este ano convém não esquecer que as cinco principais estiveram todas envolvidas nos play-offs de atribuição do título. O Voleibol, apesar do enorme corte orçamental, ficou em 3º lugar, o Hóquei em Patins também (esta terá sido a desilusão da época, porque uma má fase regular fez-nos defrontar o CRAC nas meias-finais e não na final, como tem sido regra), o Andebol foi vice-campeão e só perdemos a final frente ao CRAC no 5º e último jogo, o Basquetebol é campeão nacional e o Futsal está a uma vitória de atingir a final. E isto só para referir a disputa do campeonato, já que o Futsal ganhou a Taça de Portugal e o Andebol a Taça da Liga, sendo que esta modalidade e o Hóquei ainda vão disputar a Taça de Portugal.

Mais palavras para quê? Os jogadores do plantel profissional que ponham aqui os olhos... Isto se quiserem perceber o que é o Glorioso.

Viva o Benfica!