origem

terça-feira, junho 26, 2007

Relembrar XV – “Envergonhados”

Em primeiro lugar, há que dizer que a tentativa de corrupção é por si só um crime. Não é preciso que haja relação causa-efeito, ou seja, lá por um jogo ter corrido de feição e o árbitro não ter tido necessidade de prejudicar uma determinada equipa, não quer dizer que o árbitro e quem o corrompeu não devam ser punidos. E as escutas do processo “Apito Dourado” são mais que elucidativas sobre este assunto.

Mas não contente com isto, o presidente do clube regional veio desafiar a comunicação social a mostrar as imagens do Nacional-Benfica (3-2) de 2003/04, para alguns ficassem “envergonhados com o que escrevem e insinuam”. Seja feita a sua vontade! Ora cá estão elas e podem tirar as vossas conclusões. É verdade que o Benfica não fez uma exibição particularmente brilhante (o Hélder e o Moreira tiveram culpas nos golos), mas aos 90’ houve este lance na grande-área do Nacional. Apesar do que diz o Sr. Alexandre Albuquerque da RTP, o choque está longe de ser “meramente acidental”. O Tiago foi atropelado e se o penalty tivesse sido assinalado muito provavelmente não teríamos perdido o jogo. Assim se decidiram campeonatos nos últimos 20 anos no futebol português.


video

domingo, junho 24, 2007

Rescaldo do V Jantar de Bloguiquistas

Há sensivelmente dois anos anos éramos poucos mais que uma equipa de futsal, depois evoluímos para o número de jogadores com que o clube regional terminaria a maioria dos jogos se as arbitragens fossem isentas (dez ou nove) e o maior de todos tinha tido 15 pessoas à mesa. Foi referido num dos repastos anteriores que qualquer dia tínhamos que alugar a Catedral mesmo (que não a da Cerveja) para albergar a blogosfera benfiquista e, de facto, ontem foi dado mais um passo para isso. Éramos quase um plantel habitual de uma equipa (que não treinada pelo Fernando Santos, pois esse só tem 14 jogadores) à mesa (21 pessoas)! Tivemos que ficar em três mesas diferentes, quase como num casamento com alguém disse.

Como é habitual, a noite passou demasiado depressa e a tradição de acabar o convívio por volta das 3h da manhã foi mantida da mesma maneira que das outras vezes (fala-se, fala-se, fala-se e de repente olha-se para o relógio e já são aquelas horas). O único ponto negativo (ou quiçá positivo, já que faremos mais uma receita) foi não termos conseguido festejar em conjunto o campeonato de futsal. Não faz mal, fica para hoje!

Foi um enorme prazer compartilhar a mesa com os seguintes convivas: Pedro F.F., D’Arcy, Gwaihir, Superman Torras, Corto Maltese, Pedro e respectiva consorte (uma das poucas lagartas com fair-play :), Ry e em estreia absoluta nestes eventos JG, Quetzal Guzman, Artur Hermenegildo e Luísa, Dezazucr, Papichulo, Americano, Johnny Rook, 1benfiquista na Invicta, Starblade, Glorioso Adepto e Viriato de Viseu (todos estes comentadores habituais em blogs do Glorioso). No início e no fim do jantar ainda apareceu o Pedro Soares Lourenço. As ausências, a maioria mais que justificada, foram todas lamentadas, mas há a certeza de que nos tornaremos a ver muito proximamente.

quarta-feira, junho 20, 2007

Jantar - deadline inscrições

É só para informar que as inscrições para o jantar de bloguiquistas encerram oficialmente na próxima 6ª feira, dia 22, às 20h. Para além do salutar convívio que se perspectiva, teremos a oportunidade de assistir juntos ao 2º jogo da final do campeonato de futsal, que nos poderá dar o título de campeão.

quinta-feira, junho 14, 2007

Finalmente acusado!

P**** da C**** acusado de corrupção desportiva

Não vou embandeirar em arco com esta notícia, até porque o caso está longe do fim, mas sem dúvida que isto é mais um passo em frente para que se repare a vergonha que foram estes últimos 20 anos no futebol português. Só quem é desonesto é que não quer ver o que se passou. As provas são mais que muitas, as escutas elucidativas, espero sinceramente que possamos todos voltar a acreditar na justiça no fim deste caso. Se assim for, cá estaremos para festejar a descida à Liga de Honra de quem já lá deveria estar há muito tempo.

P.S. – Ouvi ontem um senhor, que agora tem a mania que é escritor, a perguntar na TVI: “para quê é que o [nome do clube cujo presidente é acusado de corrupção] iria comprar um jogo frente ao E. Amadora quando estava muito à frente do campeonato?” Coitado, deve ter estado distraído e já não se lembra do campeonato deste ano...

quinta-feira, junho 07, 2007

Feriado na Catedral

Fui uma das quase 13.500 pessoas que aproveitaram o feriado para ir respirar os bons ares do Estádio da Luz e ver o Benfica – lagartos em juniores. Já tinha ido ao Seixal ver também o jogo contra eles na 1ª fase do campeonato e tínhamos perdido por 0-1. Logo nessa altura apercebi-me que a equipa deles é melhor do que a nossa, a que não será alheio o facto de eles terem mais um ano de juniores do que nós, já que a maioria da nossa equipa era juvenil no ano passado.

Hoje empatámos por 1-1 com o nosso golo a ser obtido pelo chinês Yu Dabao aos 92’. Mas mais uma vez os lagartos jogaram melhor do que nós e foi sem supresa que chegaram ao intervalo a ganhar por 1-0, com um autogolo nosso. Só que, como seres répteis e rastejantes que são, na 2ª parte resolveram passar a maior parte no chão em vez de jogarem à bola. A maca deve ter entrado umas cinco vezes (sem exagero) em campo, o antijogo e as simulações eram mais que muitas e assim foi com redobrado gozo que comemorei o golo do empate, quando já não se esperava. Tivessem eles procurado o 2º golo e não teriam empatado. Enfim, nada que não se espere de quem vem daquelas bandas.

No entanto, devo dizer que fiquei um pouco desiludido com a prestação da nossa equipa. Não sei se foi por nervosismo de estarem a jogar no relvado da Luz (embora no jogo do Seixal a exibição também tenha sido fraca), mas vi muito poucos com capacidade para actuarem pela equipa principal. Aliás, neste preciso momento não há nenhum. O chinês Yu Dabao foi naturalmente aquele em que a atenção esteve mais concentrada. Tem bom toque de bola, joga bem de cabeça, não se movimenta mal e parece ter remate fácil. Mas ainda se mostra algo imaturo em algumas acções do jogo e portanto duvido que para o ano esteja apto para a equipa principal. Todavia, espero que esteja daqui a duas épocas. Tirando este, só o defesa-esquerdo (Ruben Lima) sobressaiu, anulando algumas jogadas do nº 11 deles, um sósia do Yannick Djaló, que é muito bom de bola. Em nível mediano esteve o nosso capitão, Miguel Vitor, defesa-central, que me parece ter bom sentido posicional. No meio-campo, o Romeu Ribeiro foi uma desilusão, sendo pouco raçudo a recuperar a bola e muito lento a endossá-la. Aliás, os lagartos ganharam a maioria das bolas divididas. Outra desilusão foi o Sami, que não fez nada digno de registo durante o jogo todo. O australiano Kaz Patafta entrou a meio da 2ª parte, tem bom toque de bola, mas parece-me muito lingrinhas e esconde-se muito do jogo. Quem também poderá ser prejudicado pela sua pouca estatura é o André Carvalhas, que jogou com e a nº 10. A sua velocidade não compensou o facto de perder as bolas divididas.


Acabámos por ter alguma sorte no momento que empatámos o jogo, mas o mais importante é que alguns destes jogadores, daqui a um ano, possam estar mais maduros e consequentemente ser aproveitados para a equipa principal. Ah, e que já agora consigam ganhar este campeonato de juniores.

terça-feira, junho 05, 2007

A época do Sr. Fernando Santos

Acabada que está a época, aqui está o prometido post sobre o nosso treinador. Estive muito céptico aquando da sua contratação e infelizmente não me enganei. Tivemos um momento a meio da temporada em que parecia que íamos ter sucesso, mas, como é comum nas equipas treinadas pelo Sr. Fernando Santos, morremos na praia. A questão fulcral para mim resume-se a isto: o que é que de positivo trouxe o Sr. Fernando Santos ao Benfica?

A resposta é óbvia: NADA! Conseguimos perder todas as competições em que estivemos envolvidos, mas ele já veio dizer que a época não pode ser considerada totalmente negativa! Escuda-se em estatísticas (maior número de pontos ganhos, defesa menos batida das últimas épocas e invencível em casa), mas como disse o meu amigo TMA num comentário num dos posts abaixo: “a estatística é a ciência segundo a qual um homem pode estar termicamente confortável com a cabeça no forno e os pés no congelador.” E foi isso que aconteceu, senão vejamos:

1) O apuramento para a 2ª fase da Liga dos Campeões não foi conseguido, apesar de estarmos num dos grupos mais fáceis.
2) A Taça de Portugal foi perdida para um clube da II Divisão (antes desta época, isto só tinha acontecido por duas vezes).
3) Falhámos o apuramento para as meias-finais da Taça Uefa frente a uma equipa inferior a nós.
4) No campeonato acabámos em 3º lugar.

Os seus defensores podem vir argumentar que no campeonato terminámos somente a dois pontos do 1º lugar, mas o que deve ser realçado é que nos jogos importantes (contra os quatro primeiros classificados) só ganhámos UM! Em 18 pontos só obtivemos seis! Mais: a vitória na casa dos lagartos foi o ÚNICO resultado que nos animou verdadeiramente este ano. No ano passado, com o Koeman (que, recorde-se, conquistou um troféu: a Supertaça) ganhámos em casa do clube regional depois de mais de uma década, ao Manchester e duas vezes ao Liverpool. Pensei lá se estavam mais satisfeitos o ano passado ou este ano.

O Sr. Fernando Santos bem pode falar das lesões, do calendário, da falta de sorte, do castigo ao Nuno Assis e de quantas mais razões se possa lembrar, mas é ele o grande culpado desta péssima época. E por uma razão muito simples: falta de coragem! A mesma falta de coragem que o impediu de lançar o David Luiz na Vila das Aves e que possivelmente teria impedido o Luisão de actuar em Paris. A falta de coragem que o fez ter a peregrina ideia que poderíamos “ganhar tudo” com 12 jogadores! Nenhum treinador do mundo ostraciza o plantel como o Sr. Fernando Santos ostracizou o seu. Se os Manús, Paulo Jorges, Miguelitos e outros que tais não tinham estofo para jogar no Benfica, para quê é que lhes andámos a pagar salários? Ou como é que eles ganhariam esse estofo estando no banco? Todas as equipas que estavam envolvidas em mais do que uma competição fizeram rotação do plantel, menos nós. O empate em Aveiro e depois frente ao Espanyol só aconteceu, porque os titulares não tiveram descanso. O Simão levou a equipa ao colo em Aveiro e frente aos espanhóis já não jogou grande coisa. Podem vir dizer que o plantel não tinha qualidade, mas jogadores medianos só se tornam úteis jogando com alguma regularidade. Caramba, se no ano passado ganhámos ao Manchester e Liverpool com o Beto a titular, isto quer dizer alguma coisa, não? O Sr. Fernando Santos deveria ter assumido claramente qual era a competição que queria ganhar e rodar um pouco (não é preciso mudar 11 jogadores para rodar uma equipa) na outra. Só a sua falta de coragem o impediu de fazer isso. E se um treinador não tem coragem jamais conseguirá ser bem sucedido.

Por outro lado, o seu discurso não estimula ninguém. O “temos que falar” depois de cada derrota por três golos entrou para o anedotário nacional. Tem-se a sensação no campo que os jogadores não ouvem o que ele diz, caso contrário não se perceberiam alguns dos seus comentários no final dos jogos, em que a sua leitura seria perfeita se ele fosse um mero comentador e não tivesse voto na matéria! Infelizmente, mesmo apesar destes resultados desastrosos, já se percebeu que este senhor vai continuar a ser o nosso treinador para o ano. Para além do aspecto desportivo, isto é um erro enorme em termos da economia do clube. Já este ano tivemos em média menos 4.600 espectadores no estádio para os jogos do campeonato do que no ano transacto (39.010 vs. 43.605). Em 2005/06 tivemos 9 jogos com mais de 45.000 espectadores, este ano tivemos 3 (podem subtrair à vontade dois jogos do ano passado, porque o campeonato foi mais pequeno, que continua a ser mais do dobro). Aposto com que quiser que o número de lugares cativos vai descer para a próxima época. O Sr. Fernando Santos bem poderia agarrar-se a uma questão estatística para tomar a decisão que a maioria dos benfiquistas gostaria: em 103 anos de história só dois treinadores portugueses conseguiram ser campeões pelo Glorioso. Elucidativo, não?

Apesar de tudo isto, não percebo aqueles que fazem depender o seu cativo ou a sua ida ao estádio da não permanência do Sr. Fernando Santos. E tenho pena deles, sinceramente. O Benfica está muito para além das pessoas que temporariamente o representam e é um ideal que não deve estar subjugado a elas. Como sócios e adeptos cabe-nos estar presentes e apoiar no que pudermos, gostemos ou não do treinador. Além disso, essas pessoas perderão a oportunidade de dizer aos seus netos que viram ao vivo a última época do Rui Costa. E ver a excelência é algo que não tem preço.

P.S. – A Selecção fez a sua obrigação neste fim-de-semana e ganhou na Bélgica por 2-1. Criámos várias oportunidades de golos, mas vencemos somente pela diferença mínima. Foi um bom resultado especialmente considerando as ausências do Ricardo Carvalho, Cristiano Ronaldo, Simão e Nuno Gomes. O Nani e o Postiga marcaram dois bons golos, o Petit foi dos melhores em campo e o Hugo Almeida honrou as suas raízes.